Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

A febre das carrinhas “pão de forma”

A Volkswagen Kombi, a famosa “pão de forma” que começou a ser produzida nos anos 50, deixou de ser produzida em São Paulo, no único mercado onde ainda era fabricada, em Dezembro de 2013. Dois anos antes, um concept car chamado Bulli foi apresentado no Salão de Nova Iorque mas nunca teve continuidade. Segundo a marca, o protótipo era somente uma viatura para ser apresentada em Salões, sem fins de comercialização.

Com um corte na produção e uma ideia que não ganhou asas, ninguém esperava que a Volkswagen Kombi em vez de uma morte certa tivesse um rejuvenescimento imediato. Mas na verdade, são centenas as vans que encontramos todos os dias pela costa portuguesa ou pelos parques de campismo. São inúmeros os negócios de turismo que abraçaram esta ideia e que vendem aos turistas os antigos ideais de “liberdade”.

À conversa com a Automonitor estiveram algumas das entidades e pessoas que desfrutam ou lucram destes ícones alemães. Loyd Rozzo, fundador da empresa Siesta Campers, confessou-nos que começou a sua empresa de aluguer de carrinhas em 2008. “Tivemos esta ideia depois de um acampamento que fizemos há muitos anos atrás no Reino Unido. Estávamos estacionados dentro da nossa Volkswagen Camper quando de repente avistámos uma linda Volkswagen Type 2. Fui falar com os donos e percebi que estava toda restaurada e conservada no interior. Disseram-me que era alugada. Automaticamente pensei que aquela era uma excelente ideia para Portugal onde o sol brilha o ano inteiro.”

Com o plano delineado, Loyd importou a sua primeira Type 2 de Nova Iorque para o Reino Unido e depois conduziu-a até Portugal onde começou a sua pequena empresa no Algarve. Actualmente conta com uma frota mais alargada de Campers T5 Transporter (e recentemente T6 Transporter) assim como alguns modelos Kombi mais antigos de meados dos anos 70. “Normalmente alugamos este tipo de carrinhas a surfistas e famílias jovens. Obviamente que se um surfista quiser fizer muitos quilómetros em pouco tempo, como ir da Nazaré para Sagres, os veículos mais antigos não são uma boa opção porque andam menos e sofrem com as altas temperaturas do verão português. Além disso, uma VW T2 consome 15l/100km comparativamente a uma T6 que gasta 7l/100km.” – adiantou o fundador.

Luís Gonçalves, agora proprietário particular de uma Volkswagen Camper T4, também assume que quando vendeu a sua pão de forma foi um momento difícil mas que a sua escolha no novo modelo recaiu sobre a funcionalidade. A antiga, comprou-a por 4000 euros e vendeu-a por 6500 com uma falta de reparações na ordem dos 5000 (tal é a febre dos consumidores). As reparações eram constantes e já carregava consigo 40 anos e 9 donos.

É por este motivo que muitos clientes fogem da manutenção oficial da marca e procuram mecânicos que sejam especializados nestas carrinhas ou em Carochas, como o caso de Cândido Baptista, mecânico da Clínica Carocha que durante muitos anos se dedicou à reparação destes modelos. Actualmente passou o seu “legado” para a empresa Vintage Vans – uma oficina portuguesa dedicada ao restauro de carrinhas antigas da marca que concede equipamentos tão exclusivos que elevam os preços acima dos 100.000 euros.

Já Loyd Rozzo confessa porém que restaurou a sua primeira T2 numa empresa chamada VW Heritage no Reino Unido. “Eles são a maior empresa a nível europeu com peças de clássicos para a marca Volkswagen. Contudo, a maior parte das peças são feitas no Brasil e a qualidade não é muito boa. Eu diria que passamos a maior parte do tempo a arranjar as partes que foram restituídas por peças brasileiras como os puxadores, carburadores, etc. Por isso, temos neste momento uma equipa especializada, pronta a agir mesmo durante o verão, que nos ajuda a consertar as carrinhas quando estas têm algum problema.”

Do lado da marca, João Carrilho, Marketing Manager de Veículos Comerciais da Volkswagen Portugal adianta no entanto que existem vários clientes que fazem a manutenção de viaturas pão de forma na rede de concessionários Volkswagen. “Os concessionários de Veículos Comerciais podem fazer a manutenção dessas viaturas. Para os modelos mais antigos poderão haver peças não disponíveis mas poderemos sempre tentar arranjar uma solução. A Volkswagen tem um departamento de historic parts, que assegura a disponibilidade das peças mais procuradas para carros históricos”. Mais salientou que em termos de marketing a Volkswagen vai aproveitar o 65º aniversário do famoso modelo para efectuar algumas actividades em torno do ícone, destacando um Festival Pão de Forma a realizar em Portugal em Agosto.

Para o futuro, as opiniões são variadas. Loyd Rozzo anseia por uma carrinha 100% eléctrica que revolucionaria de certa forma o seu mercado e Luís Gonçalves descarta a hipótese do condutor conseguir sentir o verdadeiro espírito de uma van através de um simples aluguer. Contudo, assume que são um mercado em expansão e já são imensos os sites que oferecem serviços para férias (como a própria Siesta Campers), casamentos e/ou sessões fotográficas (como a Carlota Amélia).

A título de proposta, João Carrilho sugeriu-nos embarcar numa aventura de 9.000 km a bordo da versão actual Multivan ou California, tal como o próprio fez o ano passado, durante 3 semanas. De Lisboa aos Balcãs, João visitou as magníficas paisagens da Croácia, Montenegro e Albânia e conferiu que nas estradas, viajavam como ele centenas de pães de forma Volkswagen com mais de 30 anos a funcionar “como no primeiro dia”.

[easingslider id=”4600″]

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Hotéis InterContinental do Sul da Europa têm novo director comercial
Marketeer
Nestlé lança nuggets e hambúrgueres vegetarianos