Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Novo Mercedes GLE apresentado com versão híbrida em destaque

[easingslider id=”8356″]

 

A Mercedes revelou as primeiras imagens do seu novo GLE, modelo que substitui o anterior Classe M e que se junta a um segmento cuja importância aumentou exponencialmente nos últimos anos. Este novo GLE, que adopta também o novo estilo de nomenclatura da marca de Estugarda, terá como rivais modelos como o Range Rover Sport, Audi Q7 ou BMW X5, pelo que elevou os seus predicados.

Em termos estéticos, o GLE apresenta semelhanças evidentes com o mais compacto GLE Coupé apresentado no ano passado, mas distancia-se evidentemente do Classe M, cujo estilo era mais ‘quadrado’ e menos atraente. Na frente, destacam-se os faróis (que opcionalmente pode receber tecnologia LED), grelha estilizada e pára-choques com tomadas de ar de maiores dimensões. Na traseira, sobressaem os farolins com novo desenho e tecnologia LED, além de saídas de escape duplas.

Por outro lado, as alterações mecânicas são bem mais relevantes, já que além das tradicionais opções a gasolina e Diesel, o GLE conta com uma versão Plug-in Híbrida, tornando-se assim o primeiro SUV com essas características da Mercedes. O GLE 500e 4Matic combina um motor V6 bi-turbo de 3.0 litros com 333 cv e uma unidade eléctrica com 116 cv de potência. Em conjunto, a potência eleva-se aos 436 cv e 650 Nm de binário, sendo a potência transmitida às quatro rodas por intermédio de uma caixa 7G-Tronic. O condutor terá à disposição quatro modos de condução – ‘Hybrid’, ‘E-Mode’, ‘E-Save’ e ‘Charge’.

No modo puramente eléctrico (‘E-Mode’), o GLE 500e 4Matic dispõe de uma autonomia de 30 quilómetros com uma velocidade máxima até 130 km/h. Os benefícios em termos de consumos são mais amplos: média anunciada de 3,0 l/100 km. O modo ‘E-Save’ permite salvar o actual estado da bateria para mais tarde e o ‘E-Charge’ trata de carregar mais a bateria. O tempo de carregamento ronda as duas horas no caso de se optar por uma ‘wall-box’, embora também possa ser carregado a partir de tomadas domésticas comuns.

De resto, as opções Diesel passam pelo GLE 250d com motor de 2.0 litros de 204 cv, o GLE 300d com motor V6 de 258 cv (todos os modelos Diesel contam com  caixa automática de nove velocidades). Já a gasolina contar-se-ão o GLE 400 com motor V6 bi-turbo de 333 cv, o GLE 500 com motor V8 bi-turbo de 429 cv e os topos de gama GLE 63 AMG com motor V8 bi-turbo de 557 cv e GLE 63 AMG S de 585 cv. Segundo a marca, no cômputo geral da gama alcançou-se uma redução de consumos e de emissões poluentes na ordem dos 17%.

No interior, o aspecto é semelhante ao dos restantes modelos da marca, com destaque para o ecrã de 7.0” na consola central comandado a partir de um ‘rato’ táctil no túnel central. A marca adianta que existirão possibilidades diversas de combinação de cores e materiais, incluindo madeira e fibra de carbono. Além desses, é de notar a presença da linha de equipamento AMG que oferece grande profusão de couro, volante desportivo e novas soluções estéticas no exterior, evidente nos pára-choques e jantes de 20”. Entre as tecnologias em destaque, contam-se a suspensão Airmatic e o sistema de controlo de amortecimento AMG Ride.

O novo Mercedes GLE será revelado oficialmente no Salão de Nova Iorque, que se inicia a 3 de Abril.

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Por que é que os salários quase não crescem?
Marketeer
Triumph instala pontos de reciclagem para roupa usada