Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Sindicato principal da Renault contra aumento do rendimento de Ghosn

slide8

O maior sindicato da Renault, a CGT, criticou a proposta do fabricante de aumentar para mais do dobro o rendimento do CEO Carlos Ghosn para 7.22 milhões de euros, como a Automonitor já tinha noticiado.

“Ghosn ganha o jackpot e nós ficamos com as migalhas”, declarou a CGT, num comunicado divulgado esta semana.

O descontentamento do sindicato é intensificado depois de a Renault ter anunciado que iria despedir 7500 colaboradores em França no próximo ano, com o objectivo de reduzir custos fixos na ordem dos 396 milhões de euros e ajudar a aumentar o lucro do fabricante como parte de um acordo laboral estabelecido com os sindicatos em 2013, que incluía ainda o congelamento de salários.

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Fred Castro: O propósito está onde menos se espera
Marketeer
Renault testa serviço de carsharing com veículos autónomos