Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Situação acalma no seio do grupo VW mas Piech terá posição fragilizada

piech winterkorn vw A situação no grupo Volkswagen continua longe de estar totalmente pacífica, com as mais recentes informações obtidas pela Reuters a indicarem que a liderança de Ferdinand Piech, chairman do grupo, se encontra fragilizada na sequência de um confronto que teve lugar na passada semana. Segundo essa mesma informação obtida pela agência noticiosa a partir de fontes próximas da direcção do grupo germânico, um confronto entre Piech e os restantes membros do conselho de administração quase resultou numa tentativa para o afastar do cargo máximo da Volkswagen. Piech, que é uma das figuras chave do grupo há mais de duas décadas, desencadeou uma crise interna ao criticar Martin Winterkorn, CEO da Volkswagen, garantindo que não seria ele o seu sucessor. Com as críticas a Piech a virem posteriormente de vários lados, incluindo da Porsche, o responsável máximo do grupo convocou uma reunião de emergência para debelar a situação, tendo a mesma decorrido em Salzburgo na passada semana, na qual terá existido então um confronto verbal entre Piech e os outros cinco membros do conselho de administração. No final desse encontro ter-se-á chegado, então, a um consenso para prolongar o vínculo de Winterkorn além de 2016, que seria a data em que o seu contrato expiraria. Fontes citadas pela Reuters indicam que nessa reunião, Piech terá chegado a levantar a hipótese de se demitir, tendo outra confirmado que os restantes cinco elementos do conselho estavam a preparar-se para exigir a demissão de Piech caso este não oferecesse apoio total ao CEO da Volkswagen. “Piech estava completamente isolado”, referiu uma das fontes, que quis manter o anonimato. Segundo a mesma, só em 2017 se irá decidir quem será o sucessor de Piech, cujo mandato à frente do grupo termina em Abril desse ano. Interrogado pela Reuters sobre este assunto, o escritório de Piech não prestou declarações. Posição de Piech fragilizada Contudo, na sequência desta crise interna, a posição de Piech terá ficado fragilizada. O jornal alemão Bild revelou na sua edição de ontem que a permanência de Piech à frente do grupo ainda não está assegurada, indicando a existência de um plano concertado entre representantes de sindicatos e accionistas, nos quais se incluem a família Porsche e o estado da Baixa Saxónia, para derrubar Ferdinand Piech. Por outro lado, o objectivo agora de todos os envolvidos no grupo é apaziguar os ânimos a tempo da próxima reunião de accionistas que terá lugar a 5 de Maio, algo que não parece fácil de alcançar no espaço de poucos dias.]]>

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Isabel Barros distinguida com prémio «Excelência» na liderança. Foi a única portuguesa
Marketeer
Lego lança minissérie no YouTube