Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio: Alfa Romeo Giulietta 2.0 JTDM-2 Sprint

[easingslider id=”13748″]

Para muitos, o nome Alfa Romeo é sinónimo de alma desportiva. Como tal, a adição de uma versão Sprint à gama Giulietta reveste-se de especial significado para os amantes da histórica marca italiana, já que confere a este familiar compacto uma ‘chama’ diferente consubstanciada pelo equipamento extra e pelo aspecto ainda mais apelativo.

Por outro lado, a designação Sprint procura homenagear o Giulietta Sprint original, lançado no Salão Automóvel de Turim em 1954, o qual teve o condão de colocar um automóvel de características mais desportivas ao alcance de todos. Passaram-se, então, 60 anos e a Alfa Romeo quis marcar esse momento com a criação de uma variante Sprint para o renovado Giulietta.

Sedutor por natureza

Uma das grandes virtudes da Alfa Romeo é não saber fazer automóveis feios. Qualquer que seja o ângulo escolhido para observar o Giulietta, a criação italiana revela-se elegante, ainda para mais quando surge ‘vestida’ com uma sedutora roupa encarnada, como a do modelo ensaiado. De resto, a experiência com o Giulietta passa muito pelo lado sensorial. Mas já lá iremos mais adiante.

Por fora, a versão Sprint acentua o cunho desportivo com a presença de saias laterais, pára-choques traseiro com difusor de grandes dimensões e saídas de escape duplas. Além disso, compõe o ramalhete com acabamentos antracite brilhante na grelha, puxadores das portas, capas dos espelhos retrovisores e molduras dos faróis de nevoeiro. No interior, também existem alguns detalhes específicos, como os bancos revestidos em tecido e em Alcantara, com o logótipo da Alfa ‘desenhado’ nas costas dos mesmos e a designação ‘Sprint’ bordada nas cabeceiras. De resto, são de assinalar os acabamentos com efeito em carbono no tablier (embora macios ao toque…) e o volante em pele com pespontos a vermelho (também presentes nos bancos).

O interior, de inspiração desportiva, revela-se bem conseguido, embora a concepção do habitáculo comece já a revelar a idade de mercado do Giulietta. A posição de condução revela-se acertada, mas em termos ergonómicos a conjugação entre o posicionamento da alavanca da caixa de velocidades e o encosto de braço em situação avançada não resulta bem, acabando o cotovelo por bater no referido suporte com alguma frequência. Pormenores…

08

Já a habitabilidade é de bom nível, tanto à frente como atrás onde a largura e o espaço para as pernas são mais do que suficientes para passageiros de estatura média (entre as costas do banco traseiro e as do banco dianteiro o espaço varia entre 58 e 89 cm). Os bancos de trás destacam-se ainda pelo bom suporte para as pernas dos passageiros. A altura acaba por estar dentro dos valores da concorrência, ainda que atrás, a curva descendente do tejadilho possa colocar entraves a pessoas com mais de 1,80 m de altura (apenas 91 cm até ao tejadilho).

Máquina de sensações

Mas é no capítulo das sensações de condução que o Giulietta Sprint se destaca. Equipado com motor 2.0 JTD de 150 cv, o Giulietta Sprint revela grande disponibilidade desde baixos regimes, com os 380 Nm logo às 1750 rpm a permitirem facilidade de aceleração e recuperações sem esforço. Isto mesmo no modo ‘Natural’ do selector DNA, que permite alternar entre três facetas de condução. Com a ligeira renovação técnica aplicada no ano passado, o Giulietta surge mais eficaz logo à partida, ou seja em modo ‘N’, com boa resposta do acelerador e eficácia da direcção.

141027_07

Contudo, no modo ‘Dynamic’, as respostas do motor ficam ainda mais vivas e entusiasmantes, entrando também em acção o diferencial Q2, que contribui para um comportamento realmente eficaz. Com efeito, a aliança entre um chassis muito bem concebido e este diferencial autoblocante Q2 tornam o Giulietta numa proposta seguríssima no momento de curvar com mais afinco, não se notando rolamento excessivo da carroçaria. Por outro lado, a direcção ganha um peso que acaba por ser desnecessário num automóvel do quotidiano.

Já o modo ‘All Weather’ torna todo o conjunto mais suave de utilizar, em especial a entrega da potência e a assistência da direcção, enquanto o diferencial Q2 também está activo, mas para assegurar níveis de tracção sempre ideais. No modo ‘Natural’, o diferencial não se encontra activo.

Apesar da suspensão firme e da apetência dinâmica do conjunto, o Giulietta Sprint não se revela desconfortável em mau piso, antes demonstrando grande solidez de rolamento mesmo com as jantes de 18” desta unidade.

Após tudo isto, existe ainda um outro indicador surpreendente: os consumos. O motor 2.0 JTD com os seus 150 cv não se mostra sedento, cumprindo este ensaio com média de 5,8 l/100, acima dos 4,2 l/100 km anunciados pela marca, é certo, mas num valor que denota a grande eficiência do conjunto.

Por fim, entre o equipamento do Giulietta, destaque para o novo sistema Uconnect que faz uso de um ecrã táctil na consola central para conexão a smartphones, havendo ainda a reportar a existência de tomadas USB e AUX, além dos já habituais airbags dianteiros, laterais e de cortina e de ar condicionado automático, entre outros itens.

Esta versão Sprint do Alfa Romeo Giulietta pode ser adquirida por 32.000 euros, afigurando-se como um modelo francamente equilibrado, que potencia o lado desportivo sem colocar em causa a sua versatilidade enquanto familiar, ganhando desta forma argumentos reforçados. Sobretudo, para aqueles que se revêm na chama sedutora dos modelos italianos, preferindo-a em detrimento do classicismo de rivais como o Volkswagen Golf ou SEAT Leon.

FICHA TÉCNICA

Motor
Tipo 4 cilindros em linha, transv., inj. common-rail, turbo
Cilindrada 1956
Diâmetro x curso (mm) 83,0 x 90,4
Taxa compressão 16,5:1
Potência máxima (cv/rpm) 150/3750
Binário máximo (Nm/rpm) 380/1750
Transmissão e direcção
Tracção Dianteira
Caixa Manual de 6 velocidades
Direcção Pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica
Dimensões e pesos
Comp./largura/altura (mm) 4351/1798/1465
Distância entre eixos (mm) 2634
Largura de vias fte/tras. (mm) 1554/1554
Travões fr/tr. Discos ventilados/discos
Peso (kg) 1320
Capacidade da bagageira (l) 350/1045
Depósito de combustível (l) 60
Pneus série 225/45 R17
Pneus do modelo ensaiado 225/40 R18
Prestações e consumos
Aceleração 0-100 km/h (s) 8,8
Velocidade máxima (km/h) 210
Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) 3,7/5,0/4,2
Emissões de CO2 (g/km) 110
Preço (Euros) 31.200
Versão ensaiada (Euros) 32.000
Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
O impacto da Inteligência Emocional nas empresas
Marketeer
Domino’s Pizza vai deixar quatro mercados europeus