Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Mercedes-AMG detalha gama desportiva GLE

[easingslider id=”19979″]

A Mercedes-AMG prossegue a sua estratégia de lançamento de modelos SUV de altas prestações, preparando-se para lançar cinco novos modelos GLE com potentes motores V6 e V8 bi-turbo.

A tradição dos SUV desportivos da Mercedes-AMG iniciou-se em 1999, quando a marca de Estugarda lançou o ML 55 AMG, dando agora seguimento a essa família com uma nova gama de modelos assentes no GLE.

O acesso à gama faz-se com o GLE 450 AMG 4Matic Coupé, combinando a desportividade típica dos modelos AMG com as capacidades de versatilidade de um SUV tradicional. Este conta com tracção integral de série e componentes especiais ao nível da suspensão e do amortecimento, enquanto os travões derivam de outros modelo AMG. Esta versão conta com motor V6 bi-turbo com 3.0 litros de cilindrada melhorado, capaz de debitar 367 cv de potência e 520 Nm de binário máximo. A aceleração dos 0 aos 100 km/h faz-se em 5,7 segundos.

O novo propulsor V6 bi-turbo tem por base a gama de motores BlueDIRECT da Mercedes-Benz, embora aperfeiçoado pelos engenheiros da AMG em vários níveis, como na adaptação da pressão do turbo para incrementar a potência e o binário. Disponível está também o selector de programas de condução Dynamic Select, o qual permite alternar entre cinco modos – Individual, Confort, Mau Piso, Sport e Sport+ –, cada um dos quais com alterações visíveis no comportamento do automóvel.

Seguem-se as versões GLE 63 Coupé e GLE 63 S Coupé, que recorrem ao mesmo bloco V8 de 5.5 litros, embora com níveis de potência distintos. O primeiro debita 557 cv (700 Nm de binário), enquanto o segundo aumenta a potência disponível para os 585 cv (760 Nm), contando ambos com acertos específicos de suspensão, direcção e travões, destacando-se a inclusão da tecnologia AMG Ride Control com regulação activa de rolamento da carroçaria, Active Curve System, e direcção desportiva. A tracção integral 4Matic AMG distribui a potência pelos dois eixos, com prioridade concedida ao traseiro, estando ainda munido de programas de condução Dynamic Select. Os valores de aceleração dos 0 aos 100 km/h de ambos são semelhantes, com o primeiro a gastar 4,3 segundos, com a versão S a gastar menos uma décima, ou seja, 4,2 segundos.

Por fim, em moldes semelhantes, surgem as versões GLE 63 e GLE 63 S, também com os mesmos valores de potência para o motor V8 bi-turbo, ou seja, 557 cv e 585 cv, respectivamente. O GLE 63 surge como sucessor directo do ML 63 AMG, apresentando grande parte das características descritas anteriormente.

De notar que todos eles surgem com aparência distintiva para visual desportivo mais aguerrido, além de detalhes técnicos aprimorados para se destacarem em termos dinâmicos.

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Apresentações estratégicas dão mote a nova academia em Lisboa
Marketeer
O Apartamento conquista cinco novos clientes