Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio: Nissan Qashqai 1.2 DIG-T 360

[easingslider id=”21811″]

Lançado há oito anos, o Nissan Qashqai veio para deixar marca num segmento dominado pelo Renault Mégane e pelo Volkswagen, sendo responsável pelo renascimento da Nissan no mercado europeu e, ao mesmo, pelo aparecimento da febre dos SUV. Nestes últimos anos, os motores Diesel tiveram toda a importância no sucesso do Nissan Qashqai, até porque a primeira geração tinha na sua gama a gasolina um motor 1.6 atmosférico, com uma relação performances/consumos muito pouco aliciante.
Com esta segunda geração do SUV nipónico, nascida numa altura em que os pequenos motores a gasolina sobrealimentados começam a dar sinal de vida, o motor Diesel 1.5 dCi ganha um concorrente de peso com esta versão 1.2 DIG-T de 115 cv.

Mas vamos a números. O factor mais importante a ter em conta é, sem dúvida, o preço. Aqui, a diferença entre ambos os motores, para o mesmo nível de equipamento, fica-se pelos 2800 euros, o que não se pode considerar um valor astronómico, até porque o diferencial de preço esbate-se quando olhamos para a diferença anunciada para o consumo médio, que se cifra nos 4,0 l/100 km para o Diesel e 5,8 l/100 km para o motor a gasolina. A juntar a isto, temos de ter em conta que a gasolina é consideravelmente mais cara que o gasóleo e que os consumos reais do motor a gasolina têm uma amplitude maior.
Por outro lado, a versão DIG-T anuncia menos 1,3 segundos no exercício 0-100 km/h, sendo a velocidade máximos de ambos semelhante.

114111_1_5

Isto é tudo o que a teoria nos dá, mas a verdade é que os automóveis não podem ser analisados apenas por esse prisma. Na prática, o motor o pequeno motor a gasolina, com injecção, mostra-se sempre muito mais suave e linear na entrega de potência, ao mesmo tempo que transmite tranquilidade pelo seu silêncio, mostrando que a diferença em termos de refinamento continua a pender muito para o lado dos motores a gasolina.

Contudo, nem tudo funciona particularmente bem neste motor de 1,2 litros. Como forma de reduzir os consumos, a Nissan adoptou relações de caixa demasiadamente longas para as capacidades do pequeno motor, o que torna as recuperações excessivamente demoradas, obrigando a recorrer à mesma amiúde. Como resultado, temos uma condução pouco agradável quando queremos adoptar um ritmo ou pouco mais elevado, ou simplesmente ultrapassar veículos mais lentos. Ao mesmo tempo, os 190 Nm de binário parecem curtos e, como a potência máxima só está disponível a partir das 4500 rpm, somos obrigados a rodar a regimes elevados, com as naturais consequências para os consumos, que não se mostram propriamente simpáticos nestas situações. Acredite que não é difícil rodar em torno dos 9 l/100 km. Para ver o computador de bordo registar valores mais aceitáveis é preciso conduzir com bastante calma e paciência. Aqui, o Diesel é bastante mais agradável e económico.

Felizmente, independentemente da motorização escolhida, o Qashqai continua a provar que o seu sucesso não se deve só a uma moda. Excelente nível de conforto, um comportamento dinâmico bastante competente, bastante espaço para ocupantes e bagagens e ainda uma recheio de equipamento muito completo, mesmo nesta versão intermédia, 360.
O habitáculo continua a misturar bons materiais com outros menos agradáveis ao tacto, sendo a montagem alvo de maior critica, por se apresentar pouco sólida, o que origina alguns ruídos parasitas.

113729_1_5

Veredicto
A Nissan está com uma campanha de 3500 euros de apoio à retoma da sua viatura usada, o que coloca este Nissan Qashqai 1.2 DIG-T 360 com um preço de 23.650, o que se pode considerar um valor extremamente competitivo, tendo em conta as inúmeras qualidades do SUV nipónico. No entanto, se puder, faça o esforço e opte pelo motor 1.5 dci, que é muito mais competente e económico, até porque o diferencial de preço será facilmente recuperado numa futura retoma.

FICHA TÉCNICA

Motor
Tipo 4 cilindros em linha, long., inj. directa, turbo
Cilindrada 1197
Diâmetro x curso (mm) 72,2×73,1
Taxa compressão 10,1:1
Potência máxima (cv/rpm) 115/4500
Binário máximo (Nm/rpm) 190/2000
Transmissão e direcção
Tracção Dianteira
Caixa Manual de 6 velocidades
Direcção Pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica
Dimensões e pesos
Comp./largura/altura (mm) 4377/1806/1590
Distância entre eixos (mm) 2646
Largura de vias fte/tras. (mm) 1565/1560
Travões fr/tr. Discos ventilados/discos
Peso (kg) 1434
Capacidade da bagageira (l) 430-1598
Depósito de combustível (l) 55
Pneus série 215/55 R18
Prestações e consumos
Aceleração 0-100 km/h (s) 10,6
Velocidade máxima (km/h) 185
Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) 5,2/6,8/5,8
Emissões de CO2 (g/km) 133
Preço PVP/Preço promocional (Euros) 27.170/23.650

 

Equipamento de série

6 airbags (frontais, laterais e de cortina)
ABS+EBD+ESP
Escudo de Protecção Inteligente: Aviso de mudança de faixa involuntária, Identificador de sinais de trânsito, Regulador automático das luzes de máximos e Sistema anti-colisão frontal
Sensor de luz e chuva
Retrovisor interior com anti-encandeamento automático
Cruise Control e limitador de velocidade
Sistema ISOFIX® na 2ª fila de bancos
Sistema de monitorização da pressão dos pneus
Ar Condicionado automático com regulação independente
Banco do condutor com apoio lombar ajustável e regulação em altura
2ª fila de bancos rebatível por partes (60/40)
Volante multifunções
Luzes diurnas em LED
Jantes de liga leve de 18″
Vidros traseiros escurecidos
NissanConnect: Apps via smartphone, Ecrã táctil de 7″ Sistema de navegação em 3D e Tecnologia GoogleTM Send-to-Car Câmara de visão exterior de 360º
Sensores de estacionamento dianteiros e traseiros
Computador de bordo com ecrã TFT a cores de 5″
Ligação Bluetooth®
Travão de mão eléctrico
Acesso mãos-livres ao habitáculo

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Da sustentabilidade às Pessoas: o propósito para Sonae MC, Fidelidade e Randstad
Marketeer
7 sugestões de Halloween na Quinta do Lago