Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Descubra qual a sua personalidade ao volante

Underperformance-on-a-team

Conduzir pode ser uma experiência stressante especialmente nas cidades mais movimentadas. Alguns condutores com pouca paciência intimidam os mais inexperientes, já os amantes de velocidade vêm uma meta de partida em cada paragem nos semáforos. A Goodyear e a London School of Economics (LSE) desenvolveram um estudo onde analisam os vários tipos de personalidades dos que estão atrás do volante, numa investigação do ponto de vista da psicologia social, na qual foram registados diferentes padrões de comportamento na sua interação.

A Goodyear revela que “as respostas estão condicionadas pela forma como nós próprios gerimos os seus próprios sentimentos e incertezas em relação à condução dos outros condutores”. Conheça as sete personalidades que se manifestam mais frequentemente:

1- O Professor: necessita de se certificar de que os restantes condutores estão cientes dos seus erros e espera reconhecimento dos seus esforços para ensinar outros.

2- O Sabichão: acha que está rodeado por pessoas incompetentes e contenta-se em gritar em tom condescendente com os outros condutores na proteção do seu próprio automóvel.

3 – O Competitivo: precisa de passar à frente de todos os outros condutores e irrita-se quando alguém intromete no seu caminho. É provável que acelere quando alguém o tenta ultrapassar ou reduza a distância entre ele e o automóvel da frente para impedir que outra pessoa se meta à sua frente.

4 – O Justiceiro: quer punir os outros condutores por qualquer comportamento considerado incorreto. Pode acabar por sair do seu automóvel ou abordar os outros condutores diretamente.

5 – O Filósofo: aceita as falhas dos outros condutores e tenta explicá-las racionalmente. Consegue controlar os seus sentimentos quando conduz.

6- O Evasivo: trata os condutores que cometem infrações comportamento de forma impessoal, considera-os apenas um perigo.

7 – O Fugitivo: ouve música ou fala ao telefone para se isolar. Os fugitivos distraem-se com relações sociais selecionadas para não se relacionarem com nenhum dos outros condutores na estrada. É uma estratégia para evitarem ficar frustrados desde o primeiro momento.

 

Estes padrões de personalidade surgiram na primeira parte do projeto, onde foi estudada a atitude dos condutores de um ponto de vista qualitativo e através de grupos de debate e de entrevistas em profundidade. A segunda parte do projeto é um estudo pan-europeu em 15 países, cujos resultados finais e análise do estudo a nível europeu são esperados em outubro.

 

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
A sua empresa pode fazer sorrir crianças hospitalizadas. Saiba como.
Marketeer
Insectos comestíveis estão a ganhar terreno em Portugal