Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio Volkswagen Passat Variant 1.6 TDI: Nível superior

[easingslider id=”22450″]

Já com mais de quatro décadas de presença no mercado, o Passat reveste-se de especial importância para a Volkswagen. Com efeito, este importante modelo conta já com bem mais de 22 milhões de unidades vendidas desde o seu lançamento em 1973, sendo esta oitava geração do Passat uma verdadeira evolução face àquela que a precedeu.

A estética aposta igualmente na evolução, preferindo manter o traço clássico que caracteriza a marca, com uma frente moderna e até certo ponto com algum grau de agressividade, contando com assinatura luminosa LED integrada nos faróis que, por sua vez, surgem em consonância com a grelha marcada pelas lâminas horizontais, que conferem uma sensação de maior largura. Nesta versão Variant, o classicismo parece assentar ainda melhor, conferindo-lhe uma imagem mais Premium quando vista de perfil. Atrás, os faróis com tecnologia LED integrada e, uma vez mais, as linhas horizontais do para-choques conferem uma ideia de maior largura.

Estruturalmente assente na plataforma MQB, o Passat beneficiou de uma ‘cura’ de emagrecimento, tornando-se mais leve para beneficiar a economia e a agilidade dinâmica. No campo da eficiência, uma das suas ‘armas’ é o motor 1.6 TDI de 120 cv com tecnologia Bluemotion, restando saber como se comporta aquela que é a versão mais acessível do Passat, mais orientada para a eficiência de condução do que para o lado das prestações.

Motor justo, mas competente

Mas nem por isso este bloco turbodiesel deixa de ser uma surpresa agradável. Um dos segredos reside nos 250 Nm de binário disponíveis desde muito baixas rotações, ajudando a movimentar com ligeireza os 1485 kg deste Passat Variant. De tal forma que os 120 cv acabam por parecer um pouco mais em fase de aceleração. Isto até ao momento em que se atingem as 3000-3500 rpm, fasquia a partir da qual o motor começa a ‘exigir’ uma mudança superior, até por uma questão de contenção nos consumos. Já as recuperações são mais demoradas, sobretudo quando circula com as duas últimas relações da caixa manual de seis velocidades engrenadas, pensadas para melhorar a eficiência em velocidade de cruzeiro. Face a isso, em caso de necessidade de retomas com brevidade, é preferível recorrer à bem concebida caixa manual.

Levando 11 segundos a acelerar dos 0 aos 100 km/h, esta Passat Variant tem um objetivo explícito para o qual concorrem todos os esforços feitos pela marca: oferecer o melhor compromisso possível entre prestações e economia, feito que consegue cumprir com mérito. Assim, a média de consumo cifra-se em apreciáveis 5,4 l/100 km, o que não sendo comparável aos anunciados (e difíceis de obter em utilização real) 4,1 l/100 km, confirma credenciais económicas muito relevantes. Com depósito de 66 litros de gasóleo, é possível cumprir mais de 1200 quilómetros.

Volkswagen Passat Variant

Outro capítulo em que a nova geração Passat se demarca é na habitabilidade, com este modelo a primar por imenso espaço a bordo, sobretudo nos lugares traseiros (capaz de rivalizar com o ‘enorme’ Skoda Superb), tirando amplo partido do aumento de 79 mm na distância entre eixos e de 12 mm na largura. Desse crescimento, o habitáculo conta com mais 33 mm de comprimento em relação à geração anterior, sendo que, no geral, cinco adultos viajam confortavelmente e com desafogo. O desenho do interior obedece a um certo padrão de familiaridade, embora se destaque pela configuração mais arrojada do tablier (com lâminas horizontais das saídas de ventilação para maior noção de espaço), merecendo também destaque as melhorias em termos de qualidade, com recurso a materiais macios ao toque, e montagem bastante sólida a todos os níveis. Também a capacidade da bagageira cresceu, oferecendo 650 litros e formato retilíneo que beneficia a acomodação da carga.

O comportamento também merece nota muito positiva, com filtragem muito competente das irregularidades do piso e boa estabilidade direcional em curva, mercê do trabalho evoluído das suspensões. Em curvas feitas de forma mais arrojada existe algum natural rolamento da carroçaria, mas mesmo esse é positivamente controlado. O equipamento está em linha com o que se pode esperar do segmento, disponibilizando de série elementos como o ar condicionado de três zonas, ou o cruise control. Por fim, o custo desta versão Confortline – 35.810 euros – acaba por oferecer um outro compromisso interessante, este na relação custo/benefício, com um preço acertado face àquilo que propõe. Como nota, refira-se que a entrada na gama Diesel da carrinha Passat faz-se a partir dos 34.270 euros, no nível Trendline.

Veredicto

Na sua mais recente geração, o Volkswagen Passat dá seguimento a um legado de sucesso, mostrando grandes mais-valias em termos de construção, qualidade, segurança e conforto, primando ainda pela habitabilidade e pela eficiência proporcionada pela vertente técnica. Volta a figurar no topo do segmento enquanto alternativa aos Premium, embora esteja mais perto do que nunca desse mesmo patamar, o que demonstra bem a evolução alcançada pela VW com o novo Passat. O motor 1.6 TDI, não sendo uma poço de força, não revela falhas na entrega da potência, acabando por se mostrar à altura com dois benefícios extra: os da economia e emissões reduzidas – 107 g/km de CO2. Um chamariz para clientes particulares e de frotas…

FICHA TÉCNICA

Volkswagen Passat Variant 1.6 TDI Bluemotion Confortline

Motor
Tipo 4 cilindros em linha, long., inj. directa common-rail, turbo
Cilindrada 1598
Diâmetro x curso (mm) 79,5,0×80,5
Taxa compressão
Potência máxima (cv/rpm) 120/3600
Binário máximo (Nm/rpm) 250/1750-3600
Transmissão e direcção
Tracção Dianteira
Caixa Manual, de seis velocidades
Direcção Pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica
Dimensões e pesos
Comp./largura/altura (mm) 4767/1832/1477
Distância entre eixos (mm) 2791
Largura de vias fte/tras. (mm) 1584/1568
Travões fr/tr. Discos ventilados/discos
Peso (kg) 1485
Capacidade da bagageira (l) 650-1780
Depósito de combustível (l) 66
Pneus série-ensaiados 215/60 R16-215/55 R17 (Continental ContEco Contact)
Prestações e consumos
Aceleração 0-100 km/h (s) 11,0
Velocidade máxima (km/h) 204
Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) 3,7/4,7/4,1
Emissões de CO2 (g/km) 107
Preço (Euros) 35.816
Preço da unidade ensaiada (Euros) 40.006

Equipamento de série

Airbag dianteiro condutor/passageiro
Airbag lateral dianteiro
Airbag de teto
Desactivação do airbag do passageiro
Cintos de segurança dianteiros com pré-tensores
Cinto de segurança traseiro central com 3-pontos de fixação
Isofix
Encostos de cabeça bancos dianteiros / traseiros
ABS / EBD
Controlo de tracção electrónico
Controlo de estabilidade
ABS
Hill Holder
Sistema de alerta de colisão
Indicadores de mudança de direcção nos espelhos rectrovisores
Fecho central de portas
Ar condicionado de 3 zonas
Vidros eléctrico dianteiros/traseiros
Volante ajustável em altura/profundidade
Comandos no volante/volante multifunções
Direcção assistida (progressiva com a velocidade do veículo)
Sensor de luminosidade
Sensor de chuva
Faróis de nevoeiro dianteiros
Retrovisor interior com anti-encadeamento automático
Espelhos exteriores rebatíveis eletricamente
Espelhos exteriores ajustáveis eletricamente
Cruise control
Sensores de estacionamento frente/trás
Computador de bordo
Sensor da pressão dos pneus
Rádio com leitor de CDs/MP3 e tomada USB e ecrã tátil
Bluetooth

Opcionais da unidade ensaiada

Pintura metalizada (€525)
Alarme (€362)
Câmara traseira com guias de estacionamento (€363)
Sistema de navegação “Discover Media” (€764)
Keyless Entry (€466)
Vidros escurecidos (€284)
Jantes de liga leve ‘Soho’ (€537)

Faróis LED (€889)

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
A sua empresa pode fazer sorrir crianças hospitalizadas. Saiba como.
Marketeer
Insectos comestíveis estão a ganhar terreno em Portugal