Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio: Volvo XC90 D5 AWD Geartronic Inscription

[easingslider id=”23111″]

A segunda geração do Volvo XC90 inicia a transformação da “nova” Volvo, apresentando uma linguagem estética inédita, estreando uma plataforma, novos motores, sendo até o primeiro modelo da marca a utilizar esta versão do sistema multimédia Sensus Connect, que controla todas as funções a bordo através de um ecrã táctil de 12,3”.
Ao primeiro olhar, o Volvo XC90 resulta impactante. Proporções muito volumosas, enormes jantes de 21, reduzida altura ao solo quando em presença da suspensão pneumática, tudo ainda realçado pelo contraste entre os diversos cromados e a cor escura da carroçaria da unidade ensaiada. Os faróis dianteiros, integralmente em LED, apresentam uma assinatura luminosa a fazer lembrar o martelo Mjolnir do deus nórdico, Thor. Na imagem, qualquer semelhança entre o novo XC90 e o anterior é pura coincidência.

Até agora, o Porsche Cayenne e o Range Rover têm ostentado o título de “SUV com o habitáculo mais requintado e luxuoso”, mas o Volvo XC90 vêm colocar em causa tal tabela classificativa, sendo capaz de deixar qualquer um completamente deliciado. O desenho geral é muito bem conseguido, mas são os acabamentos que fazem a diferença. Sejam os opcionais revestimentos a pele, ainda que vistos em segmentos mais baixos, os incontáveis toques de requinte, como o comando que dá ordem de marcha ao motor, o painel de instrumentos, ou o ecrã da controla central. Tudo, no habitáculo do XC90, é repleto de bom-gosto, qualidade e requinte.

O inédito sistema multimédia, apesar de congregar todas as funções do SUV nórdico, é extremamente fluido e intuitivo, marcando aqui mais um sinal de que a Volvo se está a colocar ao nível dos melhores, ou até acima destes.
Igualmente muito boa é a montagem de todos os materiais e a posição de condução, extremamente confortável e versátil para todas as estaturas, permitindo uma excelente visibilidade para todos os ângulos. Atrás, há imenso espaço na segunda fila, que ainda conta com dois bancos individuais, semelhantes aos dianteiros. Na terceira fila, o espaço é naturalmente mais contido, mas capaz de albergar alguém com menos de 1,80 metros.

Com tanto espaço e luxo, o Volvo XC90 quase nos obriga a abater quilómetros e quilómetros. Ora, antes de me fazer a uma estrada nacional ou auto-estrada, há que passar pela esburacadas estradas da capital portuguesa. Aqui, mesmo com o “Drive Mode” seleccionada para o modo “Comfort”, a opcional suspensão pneumática tem muita dificuldade em processar as irregularidades do piso, muito por culpa das enormes jantes de 21”, provocando desagradáveis e oscilações em todo o habitáculo, o que deixa uma mancha no capítulo do conforto. Ainda em cidade, mesmo com uma excelente visibilidade, o Volvo XC90 sente-se sempre como um automóvel grande, até porque os comandos não apresentam a mais rápida das respostas, o que lhe retira agilidade.

Já fora do caos da urbe, o Volvo XC90 sente-se muito mais confortável, apresentando imensa estabilidade, mesmo a velocidades muito acima do permitido para as auto-estradas nacionais, controlando eficazmente os movimentos da carroçaria, o que se torna particularmente notável tendo em conta a sua tara superior a duas toneladas, mesmo sem ser preciso utilizar o modo “Dynamic” do “Drive Mode”. Nestas situações, acaba por ser o bloco dois litros Diesel a dar sinal menos, mostrando que o “downsizing” nem sempre resulta bem. Apesar dos 225 cv, acaba por ser curto para manter bons ritmos e, principalmente, para recuperações lestas. Para piorar a situação, quando em situações de carga total de acelerador e regimes médios de rotação, revela-se excessivamente ruidoso, o que não se coaduna com toda a restante serenidade a bordo.

Já as estradas nacionais, tal como acontece com o Range Rover, não são o seu melhor ambiente, se percorridas a ritmos mais elevados, já que o sistema de travagem tem alguma dificuldade em lidar com o elevado peso e a direcção não apresenta a resposta desejada.

A estes ritmos, os consumos apresentados pelo motor Diesel não são os mais apelativos, ficando sempre bem acima dos 10 L/100 km. Com uma condução normal e utilização do modo Eco, é perfeitamente possível rodar em torno dos 8 L/100 km, o que se pode considerar como um valor totalmente adequado às caracteristícas do SUV sueco.
No caso desta versão XC90 D5 AWD Geartronic Inscription, a Volvo pede 71.515 euros pelo melhor dos seus automóveis. É um valor perfeitamente enquadrado com a concorrência, mas que, na prática, pouco diz, pois nenhum comprador de um automóvel desta faixa de preço abdica de alguns equipamentos opcionais, o que, no caso da unidade ensaiada, a fazem ascender a um preço final de 103.391 euros. O preço de um T2 em vários concelhos da área metropolitana de Lisboa, portanto.

Veredicto
O novo XC90 prova que a Volvo tem muito a dizer na guerra dos automóveis premium, contando-se mesmo como um automóvel ao nível do que de melhor fazem os alemães em vários capítulos, mas numa embalagem muito mais atraente e requintada. Só falta mesmo melhorar a eficácia da suspensão e arranjar assim um bom motor seis cilindros e com uns três litros de capacidade.

FICHA TÉCNICA

Motor
Tipo 4 cilindros em linha, long., inj. directa common-rail, biturbo
Cilindrada 1969
Diâmetro x curso (mm) 82,0×93,2
Taxa compressão 15,8:1
Potência máxima (cv/rpm) 225/4250
Binário máximo (Nm/rpm) 470/1750-2500
Transmissão e direcção
Tracção Integral
Caixa Automática de 8 velocidades
Direcção Pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica
Dimensões e pesos
Comp./largura/altura (mm) 4950/1923/1776
Distância entre eixos (mm) 2984
Largura de vias fte/tras. (mm) 1676/1679
Travões fr/tr. Discos ventilados/discos
Peso (kg) 2078
Capacidade da bagageira (l) 692
Depósito de combustível (l) 71
Pneus série 275/40 R21
Prestações e consumos
Aceleração 0-100 km/h (s) 7,8
Velocidade máxima (km/h) 220
Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) 5,4/6,2/5,7
Emissões de CO2 (g/km) 152
Preço (Euros) 71.515
Preço da unidade ensaiada (Euros) 103.391

 

Equipamento de série

ABS
Airbag condutor e passageiro
Airbags laterais
Airbags de cortina
Isofix
Controlo electrónico de estabilidade
Ar condicionado automático com regulação independente
Bancos dianteiros com regulação eléctrica e memória
Bagageira com abertura eléctrica
Espelhos retrovisores com regulação e rebatimento eléctricos
Faróis dianteiros integralmente em LED
Cruise control
Aviso de sáída de faixa
Sensores de estacionamento traseiros e dianteiros
Hill Descent Control
Sensor de luz e chuva
Painél de Instrumentos digital com ecrã de 12,3″
Sistema de áudio high performance com AUX e USB
Sistema de navegação

Opcionais da unidade ensaiada

Pintura Onyx Black (€1027)
Jantes de liga leve 21″ Inscription (€1630)
Luxury Seats Pack: Extensão elétrica do assento, bancos do condutor com apoio lateral regulável electricamente,
extensão eléctrica para os bancos dianteiros, pele perfurada e ventilada (€972)
Family Pack: Fecho de segurança eléctrico das portas traseiras e bancos de criança integrados (€221)
Xenium Pack: Head-up display, Câmara traseira, Espelhos retrovisores exteriores e interior Anti-encandeamento, Painel de bordo e painéis das portas com inserções em couro, Tecto de vidro, Cortinas nos vidros laterais traseiros (€4182)
IntelliSafe Pro Pack: Cruise-control adaptativo, BLIS – Aviso de presença de viaturas no ângulo-morto (€1870)
CarPlay Intro Pack: Tomada de 230V, Carplay (€369)
Versatility Pack: Keyless Entry, Rede de protecção de carga, Suporte de mercearias, Tomada de 12V na bagageira (€769)
Ar condicionado automático 4 zonas (€615€)
Alarme com sensores de movimento (€646)
Premium Sound Bowers&Wilkens (€3382)
Chassis Four-C c/suspensão pneumática (€2645)
Ar condicionado na 3ª fila (€738)
Tapete na 3ª fila (€31)

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Isabel Barros distinguida com prémio «Excelência» na liderança. Foi a única portuguesa
Marketeer
Lego lança minissérie no YouTube