Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Estado português utiliza carros usados e apreendidos

transito carros cidade filas

De modo a reduzir a despesa pública, os carros apreendidos pelas autoridades ou simplesmente usados têm vindo a ser inseridos na frota do Estado.

Esta iniciativa está integrada nas últimas regras mais “apertadas” e em vigor que provocaram nos últimos quatro anos uma redução de 10% da frota pública, que tem hoje 26.903 veículos. A maioria dos veículos são apreendidos pelas forças de segurança (PSP e GNR) e pela PJ, segundo adiantou o jornal SOL através de fonte oficial da Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública (ESPAP).

Segundo consta, existem atualmente 1766 veículos do Estado que resultam de apreensões ou abandono – quase 7% do total. Os carros em causa são avaliados numa primeira fase sobre o estado geral do veículo e de seguida é averiguado, junto dos tribunais ou entidade que regula o processo de apreensão, se a situação jurídica do veículo está regularizada para que possa ser integrada no parque automóvel.

O Ministério da Administração Interna e o Ministério da Justiça são os que mais veículos utilizam provenientes deste projeto. Em termos de categoria de veículos, o Estado pode obter não só ligeiros de passageiros como também motociclos, pesados de passageiros e pesados de mercadorias.

O Governo adotou ainda uma política mais económica no que diz respeito aos veículos concedidos a chefes de gabinete. Antigamente, cada um destes representantes recebia um Audi A4 mas hoje recebe um Seat Leon.

 

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Carlos Coelho no encerrramento da XVIII Conferência Human Resources
Marketeer
Dona da Louis Vuitton investe em marca optimista