Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Vendas UE: Grupo Volkswagen resiste à polémica das emissões

Volkswagen Passat R-Line Envolto na polémica referente aos valores de emissões, tanto de NOx, como de CO2, o Grupo Volkswagen sofreu uma ligeira queda no mercado de vendas automóveis em outubro (-0,5%). Contudo, não foi tendência única já que os outros dois grupos que se lhe seguiram em outubro – PSA e Renault – também apresentaram quebras no mês passado, de 0,9% e 0,7%, respetivamente. No seio do grupo germânico (que vendeu 276.771 unidades em 2015 contra 278.147 do mesmo mês em 2014), a Volkswagen vendeu menos 0,2%, com valores de vendas quase idênticos (136.125 contra 136.345), num sinal de estagnamento. Skoda e SEAT também registaram valores negativos em outubro, de 2,6% e 11,4%, respetivamente. Por outro lado, Audi (+4,1%) e Porsche (+13,9%) tiveram um mês de outubro bastante positivo, em especial no caso da marca desportiva de Estugarda, que apenas no mês passado vendeu 5666 veículos na União Europeia. As vendas do Grupo PSA também decaíram em outubro de 2015, registando 117.785 unidades matriculadas na UE, em comparação com as 118.807 unidades vendidas no mesmo período do ano passado. Em comparação direta, trata-se de uma variação homóloga negativa de 0,9%, motivada sobretudo pelas descidas de Citroën (-5,5%) e DS (-6,1%), uma vez que a Peugeot apresentou uma subida de 2,8%. Na terceira posição situa-se a Renault que, a exemplo dos dois grupos já referidos, também caiu, neste caso, 0,7%. Assim, no mês passado o grupo composto pela Renault (+0,6%) e Dacia (-4,0%) vendeu 106.728 face aos 107.508 automóveis vendidos no período homólogo de 2014. A Ford foi a quarta marca que mais vendeu em outubro, apresentando um crescimento de 1,7% (77.272), ao passo que um dos grupos que mais cresceu foi o BMW (76.774), que subiu 13,4% em outubro, muito sustentado pelos novos produtos da marca bávara (+13,7%), mas também pela diversificação da gama MINI, que lhe vale um aumento de 12,3% em outubro. O grupo FCA também cresceu de forma significativa em outubro, atingindo os 8,0% de subida, com a Fiat a aumentar 8,7% graças aos novos modelos da família 500 (sobretudo o 500X), e a Jeep a subir 74,4%, uma vez mais com base no Renegade, um SUV compacto que tem garantido enorme sucesso para a marca do grupo ítalo-americano. Com uma série de produtos praticamente nova, tanto para a Mercedes-Benz, como para a smart, a Daimler também teve um mês de outubro bastante positivo, com um crescimento de 21,0%, perfazendo um total de 68.096 unidades comercializadas. Aliás, o crescimento da smart em período homólogo é impressionante, na ordem dos 215%, embora também seja explicado pelo facto de no mês de outubro de 2014 se ter assistido ao ‘render da guarda’ entre as duas gerações dos modelos da marca citadina. Crescimento generalizado em 2015 No cômputo dos dez meses do ano, a toada geral é de crescimento, cavalgando assim na onda da recuperação económica e financeira dos países da União Europeia. O Grupo Volkswagen mantém a liderança, embora com uma quota de mercado inferior em 2015 face ao mesmo período do ano passado. Ainda assim, entre os dois anos, o grupo cresceu 6,4%, subindo das 2.694,563 unidades vendidas em 2014 para os 2.866,366 veículos vendidos nos primeiros dez meses deste ano, com todas as marcas do grupo a apresentarem valores positivos. Destaque, contudo, para os 30,9% de subida registados pela Porsche, que se apresta assim a ter um ano de recordes no mercado europeu. A Volkswagen subiu 6,7% sendo a única marca a suplantar a fasquia do milhão de unidades vendidas na UE, graças ao sucesso do Polo, Golf e Passat, três pilares essenciais para a marca de Wolfsburgo. O Grupo PSA também mantém uma toada de crescimento assinalável, com um crescimento de 4,3% no cômputo dos dez primeiros meses de 2015, com a Peugeot a crescer 6,8% e a Citroën 4,1%, a primeira alicerçada no sucesso dos 208 e 308 e a segunda com o sucesso, sobretudo, do C4 Cactus. Já a DS perdeu 16,8% na comparação direta entre 2015 e 2014, embora este seja um ano de renovação de gama. Na terceira posição encontra-se o Grupo Renault, com um crescimento de 6,8% face ao mesmo período do ano passado, havendo a registar a subida de 8,3% da Renault (graças à dupla Clio/Captur) e de 3,2% da Dacia. A Ford, que é a quarta na tabela, cresceu 6,5%, destacando-se na marca norte-americana o sucesso europeu do Fiesta, Focus e do Mondeo, enquanto o Grupo Opel cresceu ligeiramente – 0,9% -, com a Opel a subir, por si só, 5,4%. O Grupo BMW apresenta um crescimento homólogo de 12,1%, tirando grande proveito do crescimento das gamas da marca bávara (+9,5%) e da MINI, esta última vivendo agora uma fase de grande fulgor, com o surgimento de novos modelos e variantes, incluindo versões MINI de 5 portas e Clubman. No total, o crescimento é de 24% para a MINI. A FCA é outra das companhias que está a atravessar um ano bastante interessante, com a diversificação da família 500 e o aparecimento do Jeep Renegade a contribuírem para o crescimento de 13,2%. A Jeep, à conta do seu novo SUV, cresce mesmo 156,1% no cômputo dos dez primeiros meses de 2015, tendo vendido bem mais do dobro das unidades comercializadas no mesmo período de 2014. A Daimler conta também com uma subida de 17,1% no ano de 2015. Para tal, o grupo alemão recorre ao sucesso da Mercedes-Benz, que apresenta um crescimento homólogo de 11,8%, e essencialmente da smart, que melhorou 81,5% entre um ano e outro graças às novas gamas fortwo e forfour. O Grupo Toyota aumentou 6,7%, enquanto a Nissan cresceu igualmente na ordem dos dois dígitos, ou seja, de 18,6%, tirando partido da sua gama de SUVs como o Qashqai e o Juke. Confira os dados das vendas.]]>

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Marketeer
IKEA vai financiar projectos que promovam o direito a brincar