Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio Fiat 500X 1.3 Mulitjet 95cv: Cavalo de batalha

150422_Fiat_500X-Melfi_16 Autêntico filão de ouro para a Fiat, o 500 assume hoje uma importância crucial na estratégia e posicionamento da marca italiana nos principais mercados europeus. Aproveitando a recente renovação do pequeno utilitário que tanto sucesso tem granjeado no Velho Continente, a Fiat lançou no mercado uma nova variante assente naquele modelo. Com efeito, a marca de Turim tem aplicado a tónica na diversificação da sua gama assente no 500 e após os lançamentos do 500L e 500L Living, a Fiat aventurou-se (literalmente) num modelo mais versátil a pensar no crescente segmento dos SUV compactos. Eis, então, a razão para a génese do 500X, um pequeno crossover que recorre às características típicas do 500 (e à mesma plataforma do ‘primo’ Jeep Renegade), mas com argumentos reforçados. Sendo este modelo uma variação de um ícone, nada melhor do que começar pelo lado estético: pegando num conceito de dimensões muito compactas, a Fiat soube produzir um modelo de aspeto bastante apelativo e agradável ao olhar, conseguindo mesmo rivalizar com o 500 ‘comum’ no charme que destila, sobretudo quando se olha para o 500X a partir de um ângulo de ‘três quartos’, com integração bem conseguida entre faróis, grelhas dianteiras e linha de cintura subida para aspeto robusto. Prova de que em Turim ainda se fazem automóveis de linhas agradáveis ao olhar (a este propósito, o novo 124 Spider já é conhecido e é outro ‘blast from the past’…). Mas, autêntico reforço em termos comerciais é o novo motor 1.3 Multijet de 95 cv que confere a este 500X City Look novos e importantes atributos, não só no desempenho dinâmico, mas também na vertente do preço. O bloco turbodiesel de 1.3 litros vem complementar a gama de motores proposta para o pequeno 500X, assumindo-se como uma verdadeira e competente ‘porta de entrada’ no universo ‘retro’ da marca italiana. Motor competente Ainda que os 95 cv pareçam ‘curtos’ para uma utilização quotidiana, a prática desfaz por completo esse preconceito. Na verdade, o 500X equipado com este motor 1.3 com turbo de geometria variável e injeção direta revela-se bastante competente e decidido na forma como entrega a potência, sendo particularmente interessante de explorar entre as 1500 rpm e as 3500 rpm, faixa em que revela maior fulgor e em que os 200 Nm de binário estão disponíveis de forma mais pronta. As recuperações também não desapontam, ainda que seja essencial recorrer à caixa de cinco velocidades (com escalonamento acertado e manuseamento agradável) para repor o ritmo de forma mais determinada, por exemplo, em caso de ultrapassagem. Outro ponto muito positivo desta versão prende-se com o trabalho efetuado ao nível do ruído, mas sobretudo das vibrações do motor diesel, que são praticamente impercetíveis no interior. 150422_Fiat_500X-Melfi_02 Quanto a prestações, a marca anuncia 12,9 segundos para a aceleração dos 0 aos 100 km/h, mas esse valor parece até excessivo, já que a sensação geral é de que este motor é mais despachado no momento de subir de ritmo. A economia do bloco Multijet também sobressai pela positiva, já que no cômputo do ensaio obtivemos uma interessante média de 5,0 l/100 km, isto numa utilização perfeitamente real. A versão ensaiada dispunha ainda do sistema ‘Drive Mood Selector’ com três modos distintos que alteram a resposta do acelerador, a assistência da direção e a forma como o binário é transmitido ao eixo motriz (dianteiro, neste caso), numa espécie de adaptação do sistema DNA da Alfa Romeo. Ou seja, existe um modo Sport que torna o motor mais reativo e a direção mais pesada, ao passo que o modo All Weather faz o contrário, suavizando as respostas do acelerador e aligeirando a direção. Contudo, entre o modo Normal e o All Weather as diferenças não parecem muito evidentes, ao contrário do que sucede entre o Normal e o Sport. Sendo um SUV e contando com maior altura ao solo, a dinâmica deste 500X oferece um bom equilíbrio entre conforto e dinâmica, mostrando acerto de suspensão competente, mesmo que algo firme, o que se torna particularmente evidente em piso mais degradado (algo em que as jantes de 18″ equipadas no modelo ensaiado não ajudam…). Contudo, não chega a ser demasiado incómodo, lidando com essas ‘agruras’ do terreno de forma sólida. Sentados ao volante, duas notas ainda: os bancos continuam a não oferecer grande apoio lateral, mas a visibilidade geral é bastante boa, permitindo ter uma noção exemplar do espaço circundante. O painel de instrumentos multifunções é um atributo tecnológico de relevo, disponibilizando diversos tipos de informação ao condutor num ecrã TFT central de 3.5″ entre os dois manómetros analógicos da velocidade e do conta-rotações. Nele é possível ver registos de viagens, velocímetro digital e até dados relativos ao modo Sport. Aposta no estilo e qualidade No interior, quatro ocupantes viajam sem apertos, mesmo atrás, onde o espaço em altura e para os joelhos estão em bom nível, beneficiando igualmente de assentos longos que oferecem bom suporte às pernas dos passageiros. Todavia, ainda que o chão seja praticamente plano, não havendo túnel central para importunar o passageiro do meio, a largura atrás não é muito convidativa para viagens compridas com três adultos naqueles lugares. A bagageira, com 350 litros, tem capacidade na média do segmento mas destaca-se pelo formato retilíneo e plano de carga facilmente acessível. Tal como o 500 de que deriva, este ‘X’ conta com um interior elegante, destacando-se pela presença de materiais macios ao toque na parte superior do tablier e também das portas, imperando desta forma uma noção geral de qualidade. Os plásticos ficam escondidos nas zonas inferiores do habitáculo. Além disso, a montagem geral é também de bom nível, havendo ainda que mencionar os diversos espaços de arrumação no interior – dois ‘porta-luvas’ no tablier à frente do banco do passageiro, locais nas portas e um espaço coberto no túnel central. Em termos de equipamento, esta versão Pop Star do 500X City Look (ou seja, aquele com aspeto mais urbano) surge já muito bem apetrechada, dispondo de seis airbags (dianteiros, laterais dianteiros e de cortina), Drive Mood Selector, jantes em liga leve de 17″, ar condicionado manual, rádio Uconnect com ecrã tátil de 5″, streaming áudio Bluetooth com DAB e Cruise Control com limitador de velocidade, entre outros elementos. O preço de base desta versão é de 21.650 euros, mas através de uma campanha lançada pela marca italiana, o 500X Pop Star pode ser adquirido por 19.900 euros, o que não deixa de ser um predicado muito apelativo (e quiçá decisivo) para aquele que pretende ser um ícone ‘rebelde’. VEREDICTO Com o Fiat 500X, a marca de Turim procura obter o seu quinhão de sucesso no competitivo segmento dos SUV compactos, fazendo-se valer de argumentos fortes para o conseguir. O primeiro desses argumentos, no caso em apreço, passa pelo motor 1.3 Multijet, sendo o que mais se adequa ao mercado luso: aliando prestações competentes, utilização agradável e consumos muito comedidos, esta parece ser a aposta certeira na gama do 500X. O conforto geral sai algo prejudicado pela firmeza da suspensão (e pelas jantes de 18″), mas no cômputo geral este 500X tem tudo para ser um extensor da popularidade do pequeno 500. Depois, claro, há o lado estético, com o qual o 500X sai valorizado, além do equipamento muito completo, num pacote que lhe permite rivalizar meritoriamente com o Nissan Juke ou Renault Captur. Ou seja, a Fiat tem aqui um dos mini-SUV mais apelativos do mercado. FICHA TÉCNICA Fiat 500X 1.3 Multijet 95cv Pop Star

Motor
Tipo 4 cilindros em linha, long., inj. directa common-rail, turbo
Cilindrada 1248
Diâmetro x curso (mm) 69,6,0×82,0
Taxa compressão 16,8:1
Potência máxima (cv/rpm) 95/3750
Binário máximo (Nm/rpm) 200/1500
Transmissão e direcção
Tracção Dianteira
Caixa Manual de 5 velocidades
Direcção Pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica
Dimensões e pesos
Comp./largura/altura (mm) 4248/1796/1600
Distância entre eixos (mm) 2570
Largura de vias fte/tras. (mm) 1545/1545
Travões fr/tr. Discos ventilados/discos
Peso (kg) 1395
Capacidade da bagageira (l) 350-1000
Depósito de combustível (l) 48
Pneus série/equipados 215/55 R17 /225/45 R18
Prestações e consumos
Aceleração 0-100 km/h (s) 12,9
Velocidade máxima (km/h) 172
Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) 4,6/3,8/4,1
Emissões de CO2 (g/km) 107
Preço (Euros) 21.650
Preço da unidade ensaiada (Euros) 19,900
Equipamento de série Airbags dianteiros Airbags laterais Airbags de cortina Controlos de Estabilidade e de Tração Hill Holder Drive Mood Selector (seletor de modalidade de condução) Jantes em liga leve de 17″ Ar condicionado manual Rádio Uconnect™ 5’’ com ecrã tátil, streaming áudio Bluetooth com DAB Cruise Control com limitador de velocidade Faróis de nevoeiro com função cornering Volante desportivo em pele com 3 raios de base rasa e com comandos de rádio Painel de instrumentos TFT monocromático de 3,5’’ Travão de estacionamento elétrico Vidros elétricos dianteiros/traseiros Bancos dianteiros reguláveis em altura Capas dos espelhos retrovisores exteriores da cor da carroçaria Desativação do airbag do passageiro de fácil acesso no tablier Isofix Alarme e fecho centralizado Espelhos retrovisores com regulação eléctrica Volante regulável em altura e profundidade Sensor de pressão dos pneus Bluetooth Opcionais da unidade ensaiada Pintura metalizada (500€) Sensores de estacionamento traseiro (250€) Pack Visibility (sensores de luz e de chuva, rebatimento dos espelhos retrovisores: 350€) Jantes de 18″ em cinzento brilhante (400€)]]>

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Acabaram o doutoramento e o futuro reserva-lhes um salário de 1201 ou de 3192 euros
Marketeer
Nesta cozinha há Lisboa e novos petiscos para partilhar