Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio Renault Mégane 1.5 dCi 110cv: Salto qualitativo

Com um historial de grande sucesso ao longo dos últimos anos, o Renault Mégane apresenta-se completamente renovado nesta nova geração, assentando as suas grandes mais-valias em características de qualidade, sistemas de assistência e de segurança e gama de motores mais eficiente do que nunca.

A marca Francesa espera voltar a uma posição que conhece bem no segmento dos familiares compactos – a de líder – mas os rivais também estão mais fortes do que nunca. Testámos a variante que, certamente, será uma das mais procuradas no mercado nacional com o motor 1.5 dCi de 110 cv de potência.

Moda Francesa

Mais de seis milhões de unidades vendidas atestam bem o sucesso do Renault Mégane desde que a primeira geração foi lançada, já há mais de duas décadas. A quarta geração, lançada no final de janeiro, pretende seguir-lhe as pisadas ao apostar numa série de conceitos que procuram diferenciá-lo da demais concorrência. Um dos elementos mais chamativos é o estilo, com a equipa de projeto da marca a conseguir produzir um modelo de linhas bastante atrativas, combinando nas medidas certas o carácter desportivo com a robustez própria de um familiar compacto.

Na frente, a grelha de grandes dimensões conta com o losango embutido mas em grande destaque, sobressaindo ainda a assinatura luminosa em formato de ‘C’, ao passo que na secção traseira o desenho dos farolins remete também para uma imagem mais dinâmica e de maior largura.

Mas é no interior que estão alguns dos progressos mais evidentes, com uma melhoria significativa da qualidade dos materiais e da construção, com a aplicação de revestimentos macios na parte superior do tablier e nas portas, ao passo que na consola central o destaque vai para o grande ecrã tátil de 8,7 polegadas em posição vertical (do sistema R-Link2) e para o sistema de ar condicionado, com ativação igualmente tátil e que foi (bem) deixado fora do sistema tátil, sendo assim de mais fácil acesso. Simples e ‘limpo’ de muitos comandos, a consola central acaba assim por se mostrar de fácil apreensão, embora fique marcada por dedadas ao cabo de algum tempo de utilização. No nível de equipamento da viatura ensaiada, os painéis interiores das portas contavam com luzes ambiente que se alteravam consoante o modo escolhido no sistema Multi-Sense.

Melhoria na habitabilidade, mas…

A nova geração do Mégane traz consigo ligeiros aumentos no comprimento (6,4 cm) e largura (0,6 cm) e, apesar de algumas melhorias na habitabilidade, o espaço disponibilizado para os ocupantes dos bancos traseiros fica apenas naquilo que é a média do segmento.

Sem que a amplitude para as pernas dos ocupantes dos bancos traseiros seja imensa, quatro adultos viajam com comodidade, mas para um quinto ocupante o lugar do meio revela uma dificuldade suplementar sob a forma do túnel central que se estende para a área traseira, o que dificulta a passagem do pé de um lado para o outro. Ou seja, no geral, o Mégane está melhor do que o modelo anterior, mas apenas ligeiramente, não sobressaindo neste campo como uma das referências.

Na bagageira conte-se com 434 litros que podem ascender aos 1247 litros com o rebatimento dos bancos traseiros, mostrando assim um lado bastante positivo no que diz respeito ao campo de carga. Único óbice é o patamar de acesso ao compartimento de carga em posição mais elevada.

Motor muito competente

Amplamente conhecido e testado, o motor 1.5 dCi de 110 cv volta a centrar as atenções como base relevante da gama Mégane (há versão dCi com 90 cv, mas deverá ser mais orientada para empresas). A prestação deste bloco diesel, tão sobejamente conhecida, não deixa grandes segredos, mas volta a afirmar a sua eficácia e capacidade de aliar economia a prestações eficazes.

Tal como já é apanágio dos blocos dCi da Renault, este 1.5 turbodiesel demonstra boas respostas desde baixos regimes, com acelerações vigorosas e recuperações bem conseguidas mesmo em relações mais elevadas. A agradabilidade de condução surge assim num patamar de realce, sustentada também por uma sensação inerente de agilidade mecânica (motor quase sempre disponível) e dinâmica (graças à redução do peso do veículo). Esta sensação é muito mais evidente no modo Sport do sistema Multi-Sense, que disponibiliza os 260 Nm do binário de forma mais lesta (além de alterar igualmente alguns parâmetros do chassis, como a assistência da direção).

Graças à energia disponibilizada desde baixas rotações, acaba também por não ser muito proveitoso (nem necessário) esticar o bloco a uma faixa mais alta de rotações, uma vez que a partir das 3500 rpm em nada se revela vantajoso, além de prejudicar os consumos, os quais em condução normal mostram muita contenção: no nosso ensaio, com os típicos 50% em cidade, 25% em estrada nacional e outros 25% em autoestrada, a média foi de 4,7 l/100 km, sendo um valor muito interessante nos dias que correm.

Ágil e seguro

Características meritórias deste novo Mégane são as de agilidade e segurança dinâmica. Tendo como ponto de partida o modelo anterior que já combinava de forma assertiva o comportamento com o conforto, a nova geração do Mégane evolui neste campo com um modelo ágil e fácil de levar até velocidades mais elevadas, mercê de suspensão eficaz e de direção com bom tato. Graças a isso, o rolamento da carroçaria é muito bem contido, permitindo mudanças de direção eficazes.

Naturalmente, o conforto é a tónica essencial deste novo Mégane, mas o cuidado no rolamento e a sensação conseguida de dinamismo tornam este compacto num companheiro de viagens bastante competente e, até, divertido de explorar em estradas sinuosas (rivalizando com o Opel Astra e ficando ligeiramente atrás do Ford Focus neste aspeto).

Para melhorar o prazer de condução muito importa o sistema Multi-Sense, um elemento tecnológico que oferece diferentes variantes – Sport, Eco, Comfort, Neutro e Perso – e que permitem alterar a resposta do acelerador, a assistência da direção e o amortecimento, notando-se bem a diferença entre o nível Sport e o modo Eco, por exemplo, na medida em que o motor fica mais ‘cheio’ nas suas respostas no modo desportivo, proporcionando acelerações bem mais vigorosas. Pode ser acionado a partir de um botão no túnel central ou do ecã tátil, onde são agrupadas também todas as informações de viagem, de consumos, de média e de sistemas de assistência à condução.

Na sua versão de base, a marca propõe já um modelo bastante equipado, sendo que a versão Intens (26.755 euros) se destaca ainda por disponibilizar tecnologias como o Aviso de Saída de Faixa de Rodagem, ar condicionado automático bi-zona, sensores de luminosidade e de chuva e cruise control. A versão ensaiada contava ainda com alguns extras como o Pack Safety, que acrescenta os sistemas de travagem de emergência ativa, alerta de distância de segurança e regulador adaptativo de velocidade por 650 euros. De base, a entrada na gama 1.5 dCi de 110 cv faz-se a partir dos 24.805 do nível Zen, o mais acessível.

VEREDICTO

O salto qualitativo dado pela Renault foi significativo. Este novo Mégane tem por ambição lutar pelo topo do segmento C e fá-lo munindo-se de um vasto leque de virtudes, como a qualidade interior, a motorização eficiente e competente e a dinâmica capaz de surpreender, num conjunto muito completo. Além disso, os sistemas de segurança e de conectividade acentuam a boa experiência de utilização, merecendo por isso uma apreciação muito positiva. Apenas a habitabilidade traseira destoa, revelando algumas limitações, mas no cômputo geral este Renault mostra que a luta pelo topo do segmento C está mais animada do que nunca e que tem competência mais do que suficiente para voltar a disputar o lugar que tão bem conhece nesta categoria: o primeiro lugar.

FICHA TÉCNICA

Renault Mégane 1.5 dCi 110 Eco Intens

Motor
Tipo 4 cilindros em linha, long.,injeção direta, turbo TGV
Cilindrada 1461
Diâmetro x curso (mm) 76,0 x 80,5
Taxa compressão 15,5:1
Potência máxima (cv/rpm) 110/4000
Binário máximo (Nm/rpm) 260/1750
Transmissão e direcção
Tracção Dianteira
Caixa Manual de 6 velocidades
Direcção Pinhão e cremalheira, com assistência eléctrica
Dimensões e pesos
Comp./largura/altura (mm) 4359/1814/1447
Distância entre eixos (mm) 2669
Largura de vias fte/tras. (mm) 1591/1586
Travões fr/tr. Discos ventilados/discos
Peso (kg) 1205
Capacidade da bagageira (l) 434-1247
Depósito de combustível (l) 47
Pneus série – equipados
205/55 R16 (Continental ContiEcoContact 5)
Prestações e consumos
Aceleração 0-100 km/h (s) 11,3
Velocidade máxima (km/h) 187
Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) 3,4/4,2/3,7
Emissões de CO2 (g/km) 95
Preço base (Euros) 24.805 (Zen)
Preço versão ensaiada (Euros) 26.755 (Intens) / 28.050 (mais opcionais)

Equipamento de série

Airbags dianteiros
Airbags laterais
Airbags de cortina
Airbag do passageiro desconectável
Isofix
ABS
Sistema de assistência à travagem de urgência
Apoios de cabeça dianteiros reguláveis em altura
Fecho centralizado
Sistema de controlo da pressão dos pneus
Pré-equipamento de alarme
Alerta de saída da faixa de rodagem
Cruise Control
Sensor de chuva e de luminosidade
Computador de bordo analógico/numérico a cores/3D
Sistema de ajuda ao estacionamento traseiro
Sistema Renault Multi-Sense (personalização da condução)
Kit de reparação de pneus
ESP
Sistema de ajuda ao arranque em subida (HSA)
Faróis de nevoeiro
Faróis diurnos com tecnologia LED / DRL
Retrovisores exteriores rebatíveis eletricamente com função de desembaciamento
Faróis de halogénio
Welcome Pack
Iluminação dos espelhos de cortesia condutor e passageiro
Vidros eléctricos
Tomada de 12V
Banco do condutor regulável em altura c/regulação do apoio lombar
Cartão Renault “Mãos-Livres”
Ar condicionado automático “bi-zona” (regulação independente condutor/passageiro)
Vidros escurecidos
Sistema R-Link 2: ecrã tátil 7″ c/navegação e ligação à internet, comando voz e cartografia Europa
Caixa telemática de serviços
Jantes em liga leve 16″
Volante em couro multifunções

Equipamento opcional

Pintura metalizada (430€)
Pack Safety: Sistema de travagem de emergência ativo, alerta de distância de segurança e cruise control adaptativo (650€)
>IMPLICA: Travão de estacionamento elétrico (220€)
Sistema multimédia com ecrã tátil de 8.7″

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Hotéis InterContinental do Sul da Europa têm novo director comercial
Marketeer
Nestlé lança nuggets e hambúrgueres vegetarianos