Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Contiservice quer 100 pontos de venda até 2020

Pedro Teixeira Continental Pneus

A Continental Pneus Portugal (CPP) anunciou que até 2020 vai expandir a sua rede de oficinas de serviços de pneus e mecânica automóvel Contiservice para cerca de uma centena de pontos de venda, garantindo em simultâneo a cobertura geográfica de todo o país. “O mercado tem demonstrado grande recetividade e abertura à nossa rede, o que nos leva, um ano após a chegada do projeto ao terreno, a sermos ainda mais ambiciosos do que as previsões iniciais”, explicou o diretor-geral da CPP, Pedro Teixeira (foto).

A rede Contiservice foi lançada no ano passado e conta neste momento de 18 oficinas associadas, tendo até agora mobilizado um investimento total de 700 mil euros. Além de novas oficinas parceiras a Continental pretende também alargar a prestação de serviços de veículos ligeiros aos pesados. Dependendo da sua área, um ponto de venda pode custar entre 15 e 20 mil euros em sinalética e adaptação da oficin, o que significa que o plano de expansão até 2020, com a integração de 82 novos pontos, implicará um investimento entre 1,23 e 1,64 milhões de euros

A par do plano de expansão, a Contiservice implementará o novo conceito de Partner Contiservice, que complementará a rede de oficinas com o estatuto atual de Contiservice Members. As oficinas Partner terão menos envolvimento e uma identificação com a imagem corporativa da rede menos vincada, funcionando como uma espécie de estatuto de pré-adesão à redde Member. O objetivo para o futuro é que os Members representem cerca de 60% dos pontos de rede.

A rede de agentes ContiService tem acesso a consultoria personalizada, por uma equipa dedicada com know how em gestão, suporte em marketing e comunicação, beneficiando ainda das campanhas e ações exclusivas dedicadas ao ponto de venda.

????????????????????????????????????

 

 

Líder no mercado nacional de pneus

O Grupo Continental é um dos maiores conglomerados mundiais de serviços e componentes para a indústria automóvel, com 430 unidades em 55 países, quase 208 mil empregados e um volume de negócios global em 2015 de 39,2 mil milhões de euros. A divisão de fabrico e venda de pneus é a maior área de negócios do grupo, respondendo por 28% daquele valor, seguida pelos departamentos de chassis e segurança (22%), componentes para o interior dos habitáculos (20%), transmissões (19%) e ContiTech (11%)

Em Portugal, o grupo tem quatro unidades industriais, na região do Ave e junto à VW AutoEuropa, em Palmela, e a Continental Pneus Portugal, que distribui e comercializa as marcas de pneumáticos do grupo e integra a rede de oficinas Contiservice.

A Continental Pneus Portugal é, desde 2013, líder de mercado no segmento de pneus ligeiros, distribuindo onze das marcas do universo Continental, das quais se destacam a Continental, a Uniroyal, a Mabor e a Barum.

Nos últimos quatro anos o volume de negócios da Continental Pneus Portugal cresceu sempre a um ritmo de dois dígitos, tendo atingido os 71,3 milhões de euros, no ano passado. Os resultados líquidos subiram cerca de 50%, entre 2011 e 2015, para 938 mil euros.

Do volume de negócios total, cerca de 77% referem-se à venda e comercialização de pneus premium (Contine, sendo os restantes 23% relativos às segundas marcas

Para este ano, os objectivos da empresa passam por crescer cerca de 2,6% no segmento dos pneus para veículos ligeiros, em linha com as perspetivas do mercado, e subir cerca de 10% das vendas de pneus para pesados.

Mercado cada vez mais premium

No ano passado, o mercado português de pneus para veículos ligeiros deverá ter ultrapassado os 3,5 milhões de unidades, num crescimento homólogo de cerca de 7,5%. As vendas das marcas associadas da European Tyre & Rubber Manufacturers Association, que representam cerca de 80% do mercado total, atingiram as 2,87 milhões de unidades, cabendo a parcela restante às marcas que não tem unidades de produção na Europa e, em particular, às marcas low cost chinesas

Além do crescimento em volume, o mercado português tem-se caracterizado por uma perda de peso das marcas premium, que em quatro anos perderam 3 pontos de quota de mercado em favor das segundas marcas, passando de 55%, em 2012, para 52%, no ano passado.

Outra característica, que tem a ver com as tendências do mercado automóvel de ligeiros em direção a modelos como os SUV, é o peso crescente das chamadas pneus de ultra performance, para jantes de 17 ou mais polegadas, que passaram de 17% das vendas totais para 21%, entre 2012 e 2015,

O mercado de pneus para veículos pesados, por seu lado, cresceu 4% no ano passado, para 184 mil unidades.

 

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Estas profissões vão desaparecer já a partir deste ano. Saiba se a sua é uma delas
Marketeer
Sushi At Home troca embalagens de plástico por cartão