Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Lotus mantém empenho na redução de peso dos seus modelos

lotus evora 410

A Lotus continua empenhada na redução de peso dos seus veículos: só neste ano, a marca de Hethel conseguiu fazer a sua gama de modelos ‘emagrecer’ consideráveis 207 kg, permanecendo assim fiel ao seu princípio de baixo peso e engenharia evoluída para os seus desportivos de topo. Desde o Elise, até ao mais exclusivo 3-Eleven, cada Lotus tira partido de uma abordagem avançada à construção do chassis e dos seus elementos, com o seu modelo mais pesado a apontar apenas 1395 kg na balança.

Inspirando-se na mesma abordagem que Colin Chapman já havia preconizado para os seus carros, a Lotus mantém hoje a constante procura por novas técnicas e tecnologias de construção mais avançadas, na forma do conceito de ‘Laboratório de Baixo Peso’, uma filosofia que surge instaurada em cada componente. Graças a esta abordagem, a marca procura que cada carro represente a epítome da abordagem da Lotus de que “mais leve é o correto’.

“Não estamos preocupados em seguir as outras marcas automóveis. A inovação surge ao tomar-se uma nova abordagem e não paramos de procurar. Colin Chapman disse, de forma famosa, que ‘adicionar potência torna-te mais rápido nas retas, mas retirar peso torna-te mais rápido em todo o lado’ e esse pensamento tornou-se parte do nosso ADN”, referiu Jean-Marc Gales, CEO do Group Lotus, considerando ainda que o “peso é o inimigo” principal na conceção de cada veículo.

“Perdendo peso, vão-se conseguir grandes ganhos: capacidade de curvar mais rígida e rapidamente, travagem melhor, agilidade e respostas mais apuradas e acelerações mais rápidas”, acrescentou ainda Gales.

Para os seus modelos, a Lotus tem recorrido a fibra de carbono para reduzir o peso e aumentar a rigidez estrutural dos seus veículos, permitindo ao mesmo tempo a calibração correta da suspensão para comportamento mais eficaz e rolamento de carroçaria mais controlado sem prejudicar o conforto. Além disso, o princípio de construção em alumínio da Lotus continua a ser utilizado para redução de peso, sendo considerado como um dos padrões dentro da indústria automóvel: por exemplo, o chassis do Elise e do Exige pesa apenas 68 kg, mais ou menos metade do equivalente a um chassis em aço. Por outro lado, consegue ser mais fácil de produzir do que uma alternativa em fibra de carbono.

Pesos-leves

Com um peso de 1325 kg, o Lotus Evora Sport 410 é 70 kg mais leve do que o Evora 400, ao passo que o Exige Sport 350 pesa muito menos, apenas 1125 kg tendo sido revisto nesta última iteração para oferecer máxima eficiência e baixo peso. Opcionais em carabono permitem retirar ainda 30 kg, pelo que no caso mais extremo o Exige Sport 350 pode pesar apenas 1085 kg do que o anterior Exige S, numa redução de 91 kg.

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Estas profissões vão desaparecer já a partir deste ano. Saiba se a sua é uma delas
Marketeer
Adidas espera crescer à boleia de Beyoncé