Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

BMW iNext totalmente elétrico e autónomo chega em 2021

BMW Vision Next 100 (49)

Foi durante a reunião anual de acionistas, realizada hoje em Munique, que a informação surgiu pela voz de Harald Krueger, CEO da BMW: o iNext totalmente elétrico e autónomo está a ser desenvolvido para ser apresentado em 2021.

A submarca ‘i’ – que inclui atualmente o i3 e o i8 Híbrido Plug-In – deverá contar com modelos totalmente elétricos e autónomos e o iNext terá um interior totalmente renovado e uma motorização elétrica “de ponta”, de acordo com Krueger.

A nova berlina será o elemento chave da marca Alemã para defender a sua posição no segmento de mercado de veículos de luxo e contrariar empresas como a Tesla Motors.

“O iNext contará com um inovador motor elétrico, será autónomo e terá um novo sistema de conectividade digital. O seu design será leve e inteligente, e contará com um interior totalmente renovado – será o primeiro da futura geração dos eletro-autónomos”, afirmou Krueger.

Depois de, em março, ter revelado o Vision Next 100 concept – uma visão futurista para os próximos 100 anos da marca, apresentado nas comemorações do seu centenário – a BMW parece agora estar a mudar de estratégia devido à pressão da Tesla, mas também da aposta neste campo das rivais Mercedes-Benz e Audi.

Além do iNext, a BMW está a expandir a sua área de atuação com a oferta de serviços de mobilidade (devido à menor importância que os consumidores citadinos dão ao facto de possuir automóvel) como o carsharing que tanto permite a uma pessoa “alugar” um motorista como a própria viatura.

Liderança ameaçada

Esta nova estratégia surge numa altura em que a BMW pode perder, pela primeira vez desde 2005, o primeiro lugar nas vendas mundiais dos automóveis de luxo. A Mercedes-Benz, que beneficia de uma linha de produtos rejuvenescida e uma série de novos modelos em todos os segmentos, assumiu a liderança durante o primeiro trimestre deste ano e – detalhe importante – tem uma taxa de crescimento duas vezes superior à da BMW.

A batalha para permanecer na liderança já teve um efeito prático para os consumidores: a redução de preços de alguns dos seus modelos. O preço médio dos veículos da BMW caiu 5,9 % – para cerca de 33.700 euros – no primeiro trimestre, à medida que a procura pelos modelos mais baratos como o SUV X1 se fez sentir (contribuindo para minimizar os números da renovada berlina Série 7), segundo cálculos da Bloomberg.

Ainda assim, a BMW está em linha com os objetivos traçados para 2016 que preveem um ligeiro crescimento – o sétimo consecutivo se assim se verificar – segundo Krueger: “Depois do nosso primeiro trimestre, estamos no caminho certo para o resto do ano”.

BMW Vision Next 100 (4)

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...