Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Como vai ser o novo Citroen C3

Citroen C3Com revelação oficial agendada pera julho, a terceira geração da Citroen C3 será uma das estralas do próximo Mondial de l’Automobile, o Salão Automóvel de Paris, em outubro, dias antes da sua chegada ao mercado

Após sete anos no ativo, o C3 atual acusava já um certo desgaste, com uma quebra de 20% das vendas nestes últimos dois anos, devido sobretudo a uma concorrência cada vez mais forte, como o Peugeot 208, alvo de um reestyling no ano passado, e do Renault Clio IV, lançado em 2012 e que que terá uma atualização em julho.

Apesar disso, o C3 mantém-se como o modelo mais vendido da marca francesa, sendo também o seu representante no segmento B, dos veículos utilitários, o segundo mais importante do mercado europeu.

Um dos objetivos estratégicos para o novo C3 é torná-lo menos feminino, o que implicará um design de curvas menos arredondadas e um estilo mais alinhados com os atuais C4 Picasso, C4 Cactus e com o do pequeno citadino C1, garante a L’Argus.

De acordo com o esboço do site francês (ver imagem) com base nas fotos do modelo WRC que a marca tem camuflado em testes de preparação para o campeonato mundial de ralis do próximo ano, o novo C3 terá uma dupla fileira de faróis, um capot dianteiro mais elevado e uma grelha mais vertical que a do modelo atual. Na traseira, os farolins estão na linha dos já conhecidos no C1.

Citroen C3 2

Em linha com o que está a fazer noutras gamas, também o futuro C3 terá direito a uma versão normal, mais clássica, e uma versão tipo SUV, no espírito do C1 Urban Ride ou do antigo C3 X.TR. Entre as muitas opções de personalização, a L’Argus garante que existirá a possibilidade de combinações bicolores entre o tejadilho e a carroçaria.

O habitáculo estará já ajustado ao programa Citroën Confort Advance, que visa melhorar o conforto de utilização ao nível da ergonomia dos comandos, da insonorização, dos bancos e das suspensões.

P novo C3 tem como base a plataforma PF1 de veículos subcompactos do Grupo PSA, também utilizada pelo Peugeot 208, devido aos atrasos no desenvolvimento da nova plataforma CMP, que devido a desacordos com a General Motors só deverá estar disponível a partir de 2018.

Será produzido na fábrica eslovaca de Trnava, de onde também sai o Peugeot 208. Os dois modelos são aliás muito próximos em termos de comprimento, volume da mala e habitabilidade interior.

Em termos de motorizações, a gama inclui o bloco gasolina 1.2 Puretech 82 cv, associado á caixa manual ou robotizada ETG5, de 5 velocidades e o 1,2 Puretech Turbo 110 cv, com caixa manual ou com a automática EAT6, de 6 velocidades.

Veja AQUI o que a L’Argus escreveu sobre o novo Citroen C3

 

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Estas profissões vão desaparecer já a partir deste ano. Saiba se a sua é uma delas
Marketeer
58% dos profissionais de Marketing e Vendas procura novo emprego