Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Sete números essenciais do novo Renault Grand Scénic

Renault-Grand-Scenic-(1)

 

A mais recente aposta da Renault para o seu segmentos dos monovolumes foi hoje revelada, na forma do Grand Scénic, que chegará ao mercado no final deste ano com novos atributos em matéria de versatilidade e de habitabilidade, além de uma gama de motores cuja grande novidade passa pela chegada de uma variante diesel com assistência híbrida e base no bloco dCi de 110 cv. Mas o novo Grand Scénic representa também uma aposta profunda da marca do ‘losango’ neste segmento, com um modelo de aspeto robusto e com alguns laivos de crossover, graças à maior altura ao solo.

Eis uma lista com os sete factos essenciais do novo Renault Grand Scénic para que fique a conhecer este modelo em maior detalhe de forma mais simples.

[dropcap type=”circle” color=”#FFFFFF” background=”#FF6600″]7[/dropcap] O número de lugares que este novo modelo pode contar no seu interior, com três filas de bancos pensadas para oferecer versatilidade de utilização e conforto a todos os ocupantes.

[dropcap type=”circle” color=”#FFFFFF” background=”#FF6600″]35[/dropcap] Em milímetros, foi este o aumento da distância entre eixos preconizada para a nova geração do Grand Scénic, conferindo-lhe desta forma maior amplitude no interior e maiores capacidades de versatilidade.

Renault-Grand-Scenic-(6)

[dropcap type=”circle” color=”#FFFFFF” background=”#FF6600″]63[/dropcap] O novo Grand Scénic destaca-se pela modularidade interior e pela sua capacidade suplementar de armazenar objetos no habitáculo. Assim, aquele é o valor total dos locais de arrumação adicionais no habitáculo, com destaque para a gaveta ‘Easy Life’ no lugar do porta-luvas e que oferece 11,5 litros, para a consola de correr e para os quatro compartimentos integrados no piso, tão apreciados pelas famílias.

[dropcap type=”circle” color=”#FFFFFF” background=”#FF6600″]30[/dropcap] A altura ao solo do novo Grand Scénic está maior. Tal como a marca fez com o Espace, o novo Grand Scénic também ganhou uma maior altura ao chão, dando-lhe uma maior versatilidade em termos de utilização, mesmo que não seja um SUV na verdadeira aceção da palavra. No total, está agora a 160 mm do solo, algo que também é ajudado pelas generosas jantes de…

[dropcap type=”circle” color=”#FFFFFF” background=”#FF6600″]20[/dropcap] Polegadas: eis o diâmetro das jantes deste novo modelo, numa aposta arriscada da marca que procura oferecer maior agressividade visual e dinamismo de condução. Disponível tanto para o Scénic como para o Grand Scénic, estas jantes surgem com uma largura de 195 mm para pneus de medida única – 195/55 R20 – que oferecem uma menor resistência ao rolamento e foram objeto de um desenvolvimento específico para reduzir o consumo de energia. A marca garante que conservam um “conforto de referência ao mesmo tempo que oferecem as proporções ideais para estes modelos”.

[dropcap type=”circle” color=”#FFFFFF” background=”#FF6600″]718[/dropcap] No caso da versão de cinco lugares, a capacidade de carga da bagageira com todos os bancos em posição normal ascende aos 718 litros, ou seja, mais 40 litros do que na anterior geração do Grand Scénic. Mas o novo Grand Scénic reserva ainda uma surpresa na forma do sistema de modularidade One Touch (instantânea) que permite rebater automaticamente os bancos traseiros para obter um piso plano e facilitar o carregamento. Além disso, note-se que o Grand Scénic é também 24 cm mais longo do que o Scénic apresentado em Genebra.

[dropcap type=”circle” color=”#FFFFFF” background=”#FF6600″]5[/dropcap] Serão as opções diesel oferecidas pela marca Francesa, ainda que as mesmas estejam dependentes da opção de cada mercado. Ou seja, poderá variar de acordo com cada país. Ainda assim, para já, a Renault tem na calha cinco motores a gasóleo que deverão significar o grosso da vendas do novo Grand Scénic. Assim, contam-se os motores 1.5 dCi 110 com caixa manual de seis velocidades ou automática EDC de sete velocidades, 1.5 dCi 110 Hybrid Assist também com caixa manual e o bloco Energy dCi de 1.6 litros declinado em duas variantes – de 130 cv (com caixa manual de seis velocidades) e de 160 cv, esta apenas associável com caixa automática EDC de seis velocidades. A versão de Assistência Híbrida preconiza um gerador elétrico e uma bateria de 48 Volts que consegue armazenar a energia decorrente da travagem, assim permitindo que o motor elétrico auxilie o motor térmico na aceleração. A gasolina, duas opções Energy TCe de 115 cv e de 130 cv, ambos com caixa manual de seis velocidades.

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Estas profissões vão desaparecer já a partir deste ano. Saiba se a sua é uma delas
Marketeer
Feitoria vence Melhor Restaurante nos Prémios Mesa Marcada