Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Lista de espera para Aston Martin mais caro da história supera expetativas

Vulcan

O futuro hiperdesportivo que está a ser desenvolvido em conjunto pela Red Bull Racing e pela Aston Martin está já a granjear grande interesse da parte de potenciais clientes. Aquele que promete ser o modelo da marca Britânica mais caro da história não só da Aston Martin, mas de todo o Reino Unido (legalizado para andar em estrada) superou todas as expectativas: a lista de espera para as 100 unidades contou com 200 inscrições, depois de uma série de apresentações secretas para clientes endinheirados, no Mónaco, este fim de semana.

O hiperdesportivo, que tem o nome de código 001 pela afinidade entre a marca Britânica e os filmes de James Bond, promete ser tão rápido como um carro de Fórmula 1 e irá custar mais de 3,27 milhões de euros.

Recorde-se que o nome da Aston Martin regressou à Fórmula 1 após uma ausência de 55 anos mediante uma parceria com a equipa da Red Bull, e este último automóvel vem numa altura em que a empresa procura colocar-se numa situação financeira mais estável e segura.

Apesar do seu estatuto entre os entusiastas de automóveis e a visibilidade pública alcançada com os filmes de James Bond, a Aston Martin não apresenta lucros financeiros desde 2010 e tem em mãos um investimento de 262 milhões de euros na expansão das suas instalações de produção.

A fabricante britânica ‘ofereceu’ inicialmente o seu hiperdesportivo aos clientes do One-77 (1,5 milhões de euros) e Vulcan (1,9 milhões de euros), mas decidiu aventurar-se num processo de vendas não convencional. Convidou  milionários e colecionadores para o Grande Prémio de Fórmula 1 no Mónaco, colocou o seu hiperdesportivo num camião descaracterizado que chegou ao principado noite cerrada e mostrou-o em local secreto – quase como num filme do agente secreto 007.

A construtora começará a recolher o montante de reserva num valor de, pelo menos, 327 mil euros já no próximo mês, com os primeiro modelos a saírem da sua sede em Gaydon no final de 2018.

Em paralelo, a Aston Martin continuará o já anunciado processo de renovação da sua gama: o DB11 substituirá o DB9, enquanto o DBX será o crossover a sair da sua nova fábrica em South Wales. Até final da década, pelo menos mais dois modelos estão previstos chegar aos mercados.

Recorde-se que atualmente 80% dos seus veículos feitos inteiramente à mão no Reino Unido são para exportação.

DBX
DBX
Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...