Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

A cartada forte da Honda com o novo Civic global

Civic Hatchback Prototype

A Honda joga uma cartada forte com a próxima geração do Civic, a décima do compacto familiar que no início de 2017 conhecerá um novo capítulo. Revelado no Salão de Genebra enquanto concept, o modelo de cinco portas terá a sua apresentação oficial no Salão de Paris, sendo que o estilo não será muito diferente do preconizado por aquele protótipo. Tanto mais que as linhas acabam por seguir muito de perto a imagem da berlina e do coupé já lançados nalguns mercados, como no Norte-Americano há alguns meses (no caso da variante de quatro portas).

Assente numa nova plataforma global (desenvolvida com base na dos Estados Unidos da América), com que a marca pretende unificar a sua gama ao invés de desenvolver variantes específicas para cada mercado, a estratégia passa agora pelo lançamento na Europa das versões sedan e hatchback e, em sentido inverso, da variante de cinco portas (hatchback) nos EUA, naquele que será o regresso desta carroçaria a um segmento de que os Norte-Americanos são muito entusiastas. O modelo hatchback será produzido unicamente na fábrica da Honda em Swindon, no Reino Unido, infraestrutura em que foi feito um forte investimento por parte da marca Japonesa no último ano.

A versão berlina está, por seu turno, a ser desenvolvida para lançamento na Europa – ainda que a sua chegada a Portugal não seja uma certeza –, com a Honda a procurar recuperar terreno num segmento em que já teve grande presença e que hoje se traduz num patamar pouco expressivo face a propostas de outras marcas como a Ford (Focus), Opel (Astra) ou Renault (Mégane), além de outras marcas asiáticas como a Toyota (Auris), Hyundai (i30) ou Kia (cee’d), todas elas com um enorme salto em frente nas suas mais recentes gerações e que até no caso da Hyundai se apresta a chegar na forma de uma nova geração, coincidentemente em Paris.

Sendo um modelo bastante completo e competente, o atual Civic acabou por não cair no goto dos clientes Europeus, que penalizaram a companhia Japonesa pelo ténue arrojo face ao modelo da oitava geração (2006-2012), mesmo que a carroçaria carrinha e a motorização diesel de baixa cilindrada tenham sido grandes ajudas para a comercialização do modelo no Velho Continente.

Motores renovados

O que já está garantido para a Europa é o lançamento, então, do hatchback com uma nova gama de motores desenvolvida praticamente de raiz, como é o caso do bloco 1.0 trilíndrico com 130 cv e do motor 1.5 Turbo com potência em redor dos 175 cv no campo das opções a gasolina (ainda que um documento surgido recentemente tenha dado conta do facto de este motor poder ser também orientado para oferecer 201 cv), enquanto a variante diesel terá por base o motor 1.6 i-DTEC revisto para maior eficiência e disponibilidade. Estes deverão também ser os motores utilizados na carroçaria de três volumes.

honda civic (1)

O caso do motor de um litro sobrealimentado é particularmente relevante, tratando-se de um motor que conta com um processo de gestação já longo com vista à sua total adaptação ao mercado Europeu numa era em que o ‘downsizing’ é tendência quase dominante e em que a grande maioria das marcas aposta em blocos mais compactos e sobrealimentados para reduzir as emissões e os consumos.

Veia desportiva de regresso

Mais tarde chegará também uma versão desportiva Type R com recurso ao mesmo motor 2.0 Turbo de 310 cv do atual, com base na carroçaria de cinco portas, tendo já sido visto em ensaios no circuito de Nürburgring Nordschleife, o palco de referência para o desenvolvimento de versões desportivas. Esta será uma variante igualmente importante, não tanto pelo volume de vendas, mas sobretudo pela concretização de uma imagem de marca mais elevada, fazendo retornar uma aura mais desportiva que tenderá a ser complementada com o novo NSX e com um modelo desportivo colocado abaixo deste e que terá por missão ‘reencarnar’ o espírito do S2000.

Uma hipotética variante intermédia – potencialmente denominada Type S – também tem sido falada nos meandros da indústria automóvel, mas nada é ainda garantido quanto a esta versão. Já a denominação não é propriamente uma novidade, tendo sido vista pela última vez na carroçaria de três portas do Civic de 2008 a 2012.

honda civic type r 2017

Quanto ao estilo dos novos Honda Civic, a mudança promete ser radical face ao atual. Linhas mais dinâmicas, mais baixo e mais largo conferem ao novo compacto um visual mais atlético e desportivo, algo que a marca tentará também fazer passar para a vertente do comportamento, fazendo com que o seu modelo ganhe credenciais capazes de lutar pelo topo do segmento no que diz respeito à condução, algo que também está na lista de prioridades do engenheiro chefe global do novo Civic, Mitsuru Kariya.

A julgar pelo concept de Genebra e pelas imagens que entretanto já surgiram do novo Civic em ensaios, a forma será substancialmente idêntica ao protótipo, embora deva surgir um pouco menos ‘extremo’, ou seja, sem as enormes jantes de 19”, suspensão rebaixada e kit de carroçaria menos agressivo, perdendo-se, ao que tudo indica, também a tripla saída de escapes – que poderá ficar reservada para o Civic Type R.

Resta, pois, esperar por Paris para se ficarem a conhecer os pormenores definitivos e mais alguns detalhes da estratégia da marca para aquele que é um dos modelos que terá missão árdua no segmento, sabendo-se já que a Hyundai terá um novo i30 também em Paris (como já foi referido), mas que também a Volkswagen prepara uma reformulação substancial do seu bem-sucedido Golf, a qual também deverá ficar pronta este ano, e a Ford tem já em desenvolvimento o seu novo Focus.

Prepara-se uma ‘guerra’ animada no segmento C, que continua a ser um dos mais relevantes para as marcas na Europa, mesmo com a crescente popularidade dos SUV.

https://www.youtube.com/watch?v=yscaciF8IwU

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...