Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Vendas da Volkswagen tardam em recuperar em ‘clima’ de subida geral

VW_Concept_CES

Embora tenha contado com um aumento no número de unidades vendidas no mês de maio, o Grupo Volkswagen voltou a perder quota no mercado de automóveis novos de passageiros na União Europeia, sendo de destacar o ritmo lento de retoma da Volkswagen, ainda a sentir – embora de forma mais diluída – os efeitos da polémica com os seus veículos diesel no mercado europeu.

Em maio, segundo os dados da Associação Europeia de Construtores Automóveis (ACEA), as vendas do Grupo Volkswagen aumentaram 9,3%, de 283.424 para 309.708 unidades em 2016, o que se traduziu, ainda assim, numa redução na sua quota de mercado para 24,0%, contra os 25,5% registados em igual período do ano passado. Uma parte deste abrandamento pode ser explicado pela retoma mais ligeira da Volkswagen, cujo crescimento em maio foi de apenas 4,1%, ao passo que Audi e Skoda estiveram em muito melhor forma, com subidas de 21,1% e de 15,3%, respetivamente, destacando-se no caso desta última a importância do modelo Octavia numa grande parte dos mercados. As vendas da Porsche também subiram 6,1%, sendo que do grupo germânico apenas a SEAT teve uma prestação discreta, com um ganho de meros 0,1%.

renault méganeA segunda mais vendida em maio foi a Renault (137.102), cujo crescimento foi ainda mais elevado: englobando as vendas da Renault e da Dacia, a empresa Francesa cresceu 28,7%, com a Renault a contar com uma prestação muito forte por parte do novo Mégane, subindo 35,5% face a maio do ano passado. Por seu turno, a Dacia aumentou 13,0%. No seu cômputo, o Grupo Renault teve uma quota de 10,6% no mês passado, um aumento de 1,0% face ao mês homólogo de 2015.

Por outro lado, o Grupo PSA, liderado por Carlos Tavares, teve um aumento de 18,7% em maio na União Europeia (UE), havendo uma similaridade nos valores dos ganhos: 18,8% para a Peugeot, 18,5% para a Citroën e 18,6% para a DS, cabendo uma quota de mercado ao grupo de 10,5% (equivalente a 135.442 veículos vendidos), um ganho de 0,2% face ao mesmo mês de 2015. Com uma série de novos produtos transversal a todas as marcas, como o 2008 para a Peugeot ou o DS 3 no caso da DS, a companhia tem conseguido alavancar o seu processo de crescimento no Velho Continente.

151126_Fiat_Tipo_03O Grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA) também mostra sinais fortes de crescimento (+25,7%), para um total 96.602 unidades matriculadas na União Europeia em maio, conseguindo uma quota de 7,5%, mercê de ganhos substanciais da Fiat (+27,2%) e da Jeep (+31,4%) causados pelos seus SUV, mas também no caso da marca de Turim pelo desempenho do 500 regular e do novo Tipo.

O Grupo Opel surge logo a seguir com 86.588 unidades vendidas, um aumento de 11,9%, sendo também aqui de atribuir grande responsabilidade ao novo Astra, cuja geração atual tem sido bem-sucedida na grande maioria dos mercados, além dos pequenos Corsa, Karl e do SUV Mokka.

Sempre alicerçada no bom desempenho do Fiesta, a Ford subiu 7,9% em maio face ao mesmo período do ano passado, correspondente a 85.824 veículo matriculados. Os grupos Premium tiveram também um mês de destaque: o BMW subiu 21,2% em maio (84.222), cabendo à BMW um aumento de 22,5% e à MINI de 16,5%, ao passo que o Daimler cresceu 14,3% (77.007), motivado pelo impulso da Mercedes-Benz (67.143) que subiu 14,9% e da smart (9864) que aumentou 10,6%.

VEJA AQUI OS DADOS COMPLETOS DAS VENDAS ACEA

Destaque ainda para os ganhos da Mazda (+31,1%), graças a uma linha de produtos bastante jovem, o mesmo se podendo dizer da Honda (+31,0%), ao passo que a Jaguar Land Rover teve igualmente uma prestação comercial muito interessante, valendo-lhe um aumento de 26,1% em maio. A companhia Britânica está agora a apostar mais no mercado de frotas e isso começa a dar os seus frutos, a par de uma série de modelos recente com destaque para o F-Pace e para o XE.

Ganhos generalizados atrás do Grupo Volkswagen

Em termos acumulados, num mercado que dá sinais contínuos de recuperação e em que os ‘fantasmas’ da crise parecem estar cada vez mais fracos, o Grupo Volkswagen reflete o já referido caso das emissões poluentes com a perda de 1,1% na quota de mercado face aos cinco primeiros meses do ano passado (23,8% face a 24,9%), mesmo que as vendas tenham aumentado – no total do grupo – em 5,1%. A Volkswagen tem o crescimento mais ténue, de apenas 1,1%, sendo a sua prestação compensada, de certa forma, pelos ganhos da Audi (+13,5%) e da Skoda (+10,2%), enquanto a Porsche cresce 4,0% neste período.

1143049_PEUGEOT_2008_Allure BlueHDi 82 1802STYP013O Grupo PSA mantém-se como a segunda força Europeia, com uma ténue perda de quota de 0,2% (10,5% contra 10,7%), mas com um aumento generalizado das vendas na ordem dos 8,1%, com Peugeot e Citroën a crescerem 8,6% e 8,2%, respetivamente para um total de 668.229 unidades registadas. Logo atrás surge o Grupo Renault, com um aumento de 10,7% nas vendas correspondente a um aumento ligeiro na quota de mercado para 9,8% (de 9,7% de janeiro a maio de 2015), valendo-se do lançamento do Mégane, o que se traduz num aumento de 13,2% da Renault. Ao mesmo tempo, aproxima-se também da compatriota PSA, com um total de 626.382 veículos comercializados.

A Ford sobe 6,9% nos primeiros cinco meses do ano, obtendo agora uma quota de 7,1% (454.914). Como tal, tem já no seu encalço o Grupo FCA, cujo aumento tem sido enorme no começo de 2016. O grupo Ítalo-Americano cresceu 18,1% neste período e tem uma quota de 7,0% (446.553), estando a menos de dez mil unidades vendidas da Ford na disputa pelo quarto lugar entre as marcas que vendem automóveis novos de passageiros no Velho Continente.

O Grupo Opel surge a seguir, com um aumento de 10,2% (432.939) entre janeiro e maio, com uma quota de mercado de 6,8%. O Grupo BMW surge como primeiro dos grandes grupos Premium com uma subida de 13,8% (409.537) e 6,4% de quota, mantendo-se à distância da Daimler, que cresceu 15,1% (377.344) e conta agora com 5,9% de quota. Se avaliarmos unicamente as três marcas Premium, independentemente do seu grupo, a Audi lidera com 357.470 face aos 331.697 da Mercedes-Benz e aos 328.639 da BMW.

mercedes classe aO Grupo Toyota subiu também 8,6%, passando muito desta subida pela Lexus, que aumentou 18,7% em 2016, mas os ganhos são generalizados pela quase totalidade das marcas: a Hyundai sobe 9,6%, a Kia 14,9%, a Volvo 11,1%, a Mazda 29,4% e a Jaguar Land Rover 33,6%, cabendo mesmo a este conglomerado a maior subida de toda a tabela, ainda que a Honda também tenha tido um crescimento superior a trinta por cento (+32,4%).

Negativamente, notam-se as ligeiras quebras da Nissan (-0,9%) e a Mitsubishi (-8,3%).

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...