Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Contacto Renault Clio R.S. Trophy: Virtudes de circuito

Com a atualização estética e técnica que a Renault levou a cabo no novo Clio (ler aqui) chega também uma reformulação da fórmula RenaultSport para o utilitário Francês, que visa manter o seu lado mais emocional e sem compromissos para fazer face a modelos como o Peugeot 208 GTi ou Opel Corsa OPC.

Como tal, a marca proporcionou aos jornalistas um primeiro contacto, mesmo que breve, com a versão Clio Trophy, incidentalmente a mesma que se irá vender em Portugal – afinal de contas, quem quer um modelo do género, deseja essencialmente o pacote mais extremo possível e não a versão ‘diluída’.

O novo Renault Clio R.S. Trophy ganha assim esta variante com motor de 220 cv, aliado a caixa automática EDC6 e chassis com acerto específico: mais firme, mais rigoroso, mais eficaz. A palavra de ordem aqui é eficácia. Assim, este Clio R.S. Trophy conta com um chassis rebaixado 20 mm à frente e 10 mm atrás, além de jantes de 18 polegadas que emprestam um visual mais robusto e dinâmica melhorada.

Visualmente, ainda que tenha recebido algumas mudanças, tal como o resto da gama, o destaque vai para o sistema de iluminação RS Vision, o qual deriva do mais ‘louco’ Clio R.S. 16, modelo especial que foi criado e revelado por ocasião do GP do Mónaco. Graças a esse sistema, que tem duplo propósito – de faróis de nevoeiro e luzes de curva – o aspeto é outro, sendo também necessário destacar a melhoria da capacidade de iluminação dos faróis principais (tecnologia Full-LED), cuja competência é 40% superior neste novo R.S.. Depois, existem pequenos retoques nos para-choques dianteiros, jantes com novos desenhos e para-choques traseiro com difusor integrado, além de aileron na tampa da bagageira e de dupla saída de escape.

No interior, também há melhorias, mas o universo é mais orientado para a competição. O volante, em pele, é quase subjugado pelas duas patilhas colocadas atrás para a trocas das mudanças quando em modo semiautomático. Os bancos ao estilo de bacquet proporcionam bom suporte lateral do corpo, havendo ainda a registar novos sistemas de infoentretenimento disponíveis.

‘Animal’ de pista

No programa de apresentação do renovado Clio, a Renault reservou uma sessão de testes em pista, de resto, o único local onde era possível experimentar o novo Clio R.S. Trophy, comprovando desta forma o epíteto de ‘animal’ de pista. Com o clima Francês a pregar uma partida, a única opção foi ir para a pista com o piso molhado, o que teve o condão de tornar a experiência vagamente mais escorregadia.

Ainda assim, nas meras cinco voltas que pudemos efetuar, uma noção tornou-se evidente: o motor 1.6 turbo de 220 cv de potência demonstra capacidades interessantíssimas, com rapidez de respostas e sonoridade bastante apelativa a partir do sistema de escape Akrapovic (opcional), uma mais-valia neste conjunto dinâmico. A aceleração dos 0 aos 100 km/h cumpre-se em 6,6 segundos e o Clio R.S. Trophy tem o condão de se sentir veloz. O motor ‘forte’ desde baixos regimes demarca-se pela facilidade com que nos impele para a frente. Acima das 2000 rpm (faixa a partir da qual está mais à vontade) já evidencia o chamado ‘pontapé nas costas’, mediante a impetuosidade da mecânica. A velocidade máxima é de 235 km/h.

A rivalizar com as impressões na capacidade de aceleração está a travagem, que também surpreende. O Clio Trophy tem um sistema de travagem ‘mordaz’, oferecendo confiança mesmo no molhado, ainda que a ‘magia’ dos sistemas eletrónicos também faça a sua parte neste capítulo.

A caixa de velocidades de dupla embraiagem (EDC6) é rápida e as patilhas no volante têm dimensões maiores para serem facilmente operadas  Em modo automático oferecem um apelo ‘racing’, mas em última instância, fica-se com pena de não ter uma versão manual para que se possa explorar um pouco mais de condução ‘à antiga’.

A dinâmica é outro ponto de referência. As alterações no chassis, com amortecimento mais firme e barras estabilizadoras mais grossas traduzem-se no rolamento de carroçaria praticamente nulo, com elevado nível de feedback para o condutor. Assumimos que em estrada ‘aberta’ deva também fazer sentir ao condutor as imperfeições do asfalto… Mas isso ficará para outra época. Os níveis de motricidade são altíssimos, mesmo com o piso molhado, ainda que naturalmente tenha evidenciado ligeira tendência para fugir de frente, além de ter o controlo de tração a proibir a transmissão da potência às rodas dianteiras.

No leque de equipamento, para quem procura registar dados de telemetria, o Clio R.S. Trophy dispõe da tecnologia R.S. Monitor e dos modos de condução RS Drive com os Normal, Sport e Race, cada qual com o seu acerto específico.

Terminado o breve contacto com o Renault Clio R.S. Trophy, fica a sensação de que estamos na presença de um modelo com dinâmica muito assertiva em pista, com um motor quase fulgurante e estabilidade direcional muito competente, num pacote que é complementado ainda pela sonoridade do sistema de escape Akrapovic, um pequeno ‘tesouro’ na técnica deste utilitário Sport. Resta saber como se comporta em estrada aberta e, sobretudo, no desgastado piso nacional…

O Renault Clio R.S. Trophy chega em meados de setembro com um preço de base em redor dos 31.750 euros.

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Marketeer
O Natal da Meo rima com Apple TV