Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Toyota Prius Plug-In: Apontado às empresas

A versão Plug-In do Prius é bastante mais cara que o Prius convencional e, na prática, oferece 50 km de autonomia elétrica, uma cadeia cinemática melhorada e um estilo mais atraente. Olhado assim pode parecer pouco sedutor e para um cliente particular um Prius convencional é a escolha certa. Mas para as empresas, a conversa é outra!

O seu AUTOMONITOR já lhe contou tudo sobre o novo Prius Plug-In e também o primeiro ensaio ao modelo que chega a Portugal dentro de poucas semanas. Olhemos agora com algum carinho para aquilo que significa o Prius para o mercado nacional.

Conheça (mesmo) tudo sobre o novo Toyota Prius Plug In

Primeiro ensaio Toyota Prius Plug-in: justifica-se?

A Toyota vai oferecer o Prius Plug-In nas versões Luxury e Power Ski. A primeira oferece, entre outras coisas, espelhos retrovisores exteriores elétricos, aquecidos e retráteis, faróis LED com máximos adaptativos automáticos, faróis de nevoeiro, farolins traseiros LED, ar condicionado automático, bancos dianteiros aquecidos, carregador sem fios para o smartphone, espelho interior electrocromático, “head up display”, sensores de luz e chuva, sistema de navegação, entrada e arranque mãos livres, alerta do ângulo morto, cruise control adaptativo, deteção traseira de aproximação de veículos e o Toyota Safety Sense.

Para o nível Luxury há apenas dois opcionais: os bancos em pele e o Pack Techno (sistema de som JBL com 10 colunas, sistema inteligente de ajuda ao estacionamento e sensores de estacionamento inteligente.

A variante Power Sky adiciona o teto solar com recarregamento da bateria, mas com esta adição, o Prius perde a deteção traseira da aproximação de veículos, o “head up display” e o alerta do ângulo morto.

Como oferta de lançamento, para clientes particulares, a Toyota vende o Prius Plug In Luxury com os estofos em pele (1800 euros) pelo preço do modelo base. Contas feitas, o Prius Plug In Luxury custa 41.200 euros, com a opção pele fica por 42.800 euros e com o pack Techno, o preço final é de 44.800 euros. O Power Sky custa 43.200 euros. Além dos bancos em pele e do Pack Techno, a Toyota propõe a pintura metalizada por 540 euros e a pintura metalizada especial por 810 euros.

Olhando assim, este Prius Plug-In é mais caro que o Prius convencional cerca de 5 mil euros e não parece muito sedutor, ainda por cima quando a performance é semelhante e o Plug-In oferece, apenas, maior autonomia elétrica, maior potência em modo EV e um estilo diferenciador mais agradável que o do modelo convencional. Porém, para uma empresa, o Prius Plug-in é muito mais atraente. Senão, vejamos.

O Prius Plug-In beneficia de um desconto de 75% sobre o Imposto Sobre Veículos (ISV), 100% de dedutibilidade do IVA para as empresas e empresários em nome individual, 100% da depreciação da viatura é aceite como gasto fiscal em sede de IRC e redução da taxa de tributação autónoma, de 64% para empresas e 50% para empresários em nome individual. Além disso, beneficia de um incentivo direto à compra de 562,50 euros.

Pegando em todas estas vantagens, o Prius Luxury com estofos em pele e Pack Techno pode acabar com um preço total inferior em mais de 10 mil euros, posicionando-o de forma ideal face a rivais não híbridos e, sobretudo, face aos concorrentes com semelhante motorização. E convenhamos que um Prius Plug-In carregadinho de equipamento a gastar menos de 4 litros por cada 100 quilómetros por qualquer coisa como 30 mil euros, é uma excelente novidade. Pena que seja apenas para as empresas e empresários em nome individual.

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Sharing my Change: Soft skills, Strong changes
Marketeer
Algarve quer entrar em 2020 na companhia de turistas andaluzes