Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ford lidera na estratégia e execução de veículos autónomos

Quem o diz é um estudo independente realizado pela Navigant Research que investiga a questão dos veículos autónomos através da análise de 18 empresas que desenvolvem sistemas de condução autónoma.

Nesse estudo, a Navigant Research pontua cada empresa através de dez critérios que incluem visão, estratégia de marketing para lançamento no mercado, parceiros, estratégia e capacidade de permanência. Neste estudo, independente, a Ford encabeça a lista de todas as empresas automóveis e tecnológicas de todo o mundo que desenvolvem tecnologia de veículos autónomos.

Raj Nair, vice presidente executivo de desenvolvimento de produto da Ford Motor Company

Leia a seguir o que Raj Nair, vice presidente executivo de desenvolvimento de produto da Ford Motor Company, entende ser o compromisso com a condução autónoma.

“Não há dúvida de que os automóveis autónomos estão no nosso futuro coletivo. Eles representam uma mudança transformadora no transporte que, por sua vez, conduzirá a uma transformação do mundo em que vivemos.

Nós, na Ford, esforçamo-nos para sermos líderes na revolução da condução autónoma – líderes conhecidos por fazermos as coisas certas, colocando a segurança dos nossos clientes em primeiro lugar, e construindo uma ideia de negócio forte que permita que esta tecnologia sirva às necessidades dos clientes.

É por isso que estamos muito satisfeitos por sermos reconhecidos pela Navigant Research no seu relatório “Leaderboard for Automated Driving”, um estudo independente publicado anualmente. Na avaliação da Navigant, em termos de estratégia e execução de sistemas de condução autónoma, a Ford foi classificada no primeiro lugar entre 18 empresas ligadas ao universo automóvel a à tecnologia em todo o mundo.

Este é um relatório importante porque a Navigant tem um olhar critico sobre o que é necessário para trazer os automóveis autónomos para o mercado de escala, olhando para lá dos esforços de desenvolvimento do hardware e do software que dominaram, recentemente, os media.

Enquanto fazemos avanços significativos no desenvolvimento do nosso hardware, conhecido como “Plataforma de Veículos Autónomos”, e o software (conhecido como Virtual Driver System), já temos em testes uma frota de vários Ford Fusion Hybrid desde 2013. Porém, ainda há muito trabalho a fazer para trazer que a condução autónoma chegue ao mercado.

Primeiro, a integração é fundamental. As nossas plataformas de hardware e software precisam ser integradas num sistema de veículos eficiente e de alta qualidade. Esta é uma tarefa complexa. Todos os vários sistemas elétricos e mecânicos devem conversar uns com os outros. A gestão da energia deve ser otimizada, pois o sistema de cálculo e gestão requer uma potência significativa. O motor e a transmissão devem ser calibrados com o objetivo de maximizar a eficiência de combustível. E a suspensão precisa ser ajustada para oferecer um conforto acima da média.

Em segundo lugar está a capacidade de produção. Fabricar o veículo que faz parte do modelo autónomo não é tarefa fácil. Acreditem em mim, pois estamos a fabricar carros há 113 anos. Acredito que a Ford tem os melhores engenheiros e as melhores condições de produção do Mundo. Todos os dias, nas nossas fábricas os funcionários tomam todos de sistemas muito complexos, para criar veículos de classe mundial – centenas de vezes por dia.

Trabalhando juntas, as equipas de engenharia e de produção estão bem posicionadas para oferecer uma experiência confiável a toos aqueles que abraçarem o conceito da condução autónoma.

A qualidade terá um papel decisivo no futuro da condução autónoma, pois os carros terão muito mais quilometragem que o habitual em modelos de uso pessoal. Por isso mesmo, termos de oferecer veículos de enorme qualidade que suportem esse aumento de utilização.

Tudo isso que referi, é apenas parte da equação, pois há muito outros elementos críticos que têm de ser resolvidos antes de levarmos para a estrada os veículos com condução autónoma.

Os nossos planos passam por disponibilizar a condução autónoma para serviços de mobilidade como o “car sharing”, por exemplo, ou entregas ao domicilio. Para isso, é preciso ter um fornecedor de serviços que seja o contacto com o utilizador. Na Ford, criamos a Ford Smart Mobility LLC para desenvolver a nossa estratégia e capacidades de comercialização de mobilidade, incluindo como os veículos serão geridos e operados.

Estou muito orgulhoso do trabalho que a nossa equipa está a fazer para liderar a revolução autónoma, e estamos muito felizes e honrados pelo reconhecimento que estamos já a receber pelo longo caminho que percorremos.

Dito isto, não subestimamos a quantidade de trabalho e inovação que temos pela frente, e continuamos empenhados em fornecer veículos que realmente mudarão a forma como o mundo se move e tornará o transporte acessível para milhões de pessoas em todo o mundo.”

Leia também: Ford, GM e Aliança Renault-Nissan na frente da condução autónoma

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...