Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Mini SUV vão valer 2 milhões de unidades na Europa

O segmento dos pequenos SUV/crossovers deverá ultrapassar os dois milhões de unidades na Europa, já em 2020, impulsionado pela chegada de novos modelos e marcas, como a Hyundai, a Kia e a VW, como seu novo T-Roc, refere uma análise da Automotive News Europe.

Foto: RenaultEm 2020, as vendas de pequenos SUVs e crossovers deverão ultrapassar os 2,3 milhões de unidades, de acordo com uma análise da Automotive News Europe, com base em projeções da LMC Automotive.

No ano passado, o segmento cresceu 14%, para mais de 1,4 milhões, de acordo com os números da JATO Dynamics, com o sucesso do Renault Captur (foto) e Peugeot 2008 a impulsionar as vendas. Foat 500X, Suzuki Vitara, Ford Ecosport e Jeep Renegade, foram outros protagonistas da categoria.

O Vitara foi o modelo com maior crescimento do Top 10 das vendas do ano passado, com 69% mais registos face a 2015.

A França, onde o segmento dos pequenos SUVs e crossovers já vale 14% das vendas, é o maior mercado deste tipo de modelos, devido ao enorme sucesso do Renault Captur, Peugeot 2008 e Dacia Duster. A Itália ultrapassou no ano passado o Reino Unido, passando para o segundo lugar da tabela de vendas por países, com o Fiat 500x a explicar a subida e o Jeep Renegade, produzido em Itália na mesma base do 500x, a dar um importante contributo para o crescimento do segmento.

A Alemanha é o quarto maior mercado da Europap. O Opel Mokka X lidera, mas a anunciada chegada do VW T-Roc, no Verão, poderá animar a disputa pelo primeiro lugar no segmento.

Em Portugal, o líder Renault Caputur e o vice Peugeot 2008 fazem metade das vendas de um segmento que valeu quase 19 mil unidades, no ano passado, equivalendo a quase 9% do mercado de ligeiros de passageiros. Nissan Juke, Citroen C4-Cactus, Mazda CX-3 e Dacia Duster ocupam, por esta ordem, os lugares seguintes do ranking, todos com vendas anuais superiores a 1000 unidades no ano passado.

Volkswagen aposta forte com o T-ROC

A Volkswagen é a próxima marca a entrar no segmento, com o lançamento do T-ROC (foto), montado na fábrica portuguesa da AutoEuropa, e cuja chegada ao mercado está agendada para o Verão. A SEAT, marca espanhola do Grupo, também vai ter o seu pequeno SUV, o Arona, a que seguirá no próximo ano o pequeno SUV da Skoda.

Foto: VWMais para o final do ano, chegarão os novos pequenos SUVs da Hyundai e da sua marca gémea KIA. O SUV subcompacto da KIA deverá chamar-se Stonic e completará a gama da marca, que já dispõe do compacto Sportage e do médio Sorento. Terá como base o novo hatchback compacto Rio. Deverá ser formalmente apresentado no Salão Automóvel de Frankfurt, em setembro.

Outra novidade, apresentada em março no Salão de Genebra, é o Opel Crossoland X, que ficará posicionado abaixo do atual Mokka X. A Cirtoen, por seu lado, conta com o C4 Cactus e já anunciou o lançamento do C-Aircross, um crossover que subituirá o pequeno monovolume C3 Picasso.

Marcas premium à espreita

Este é um segmento de marcas generalistas, mas as premium prometem animar o mercado, até porque os SUV e crossovers garantem margens superiores às dos modelos convencionas.

De acordo com dados da JATO Dynamics, referidos pela Automotive News Europe, o preço médio de um SUV/crossover subcompacto foi, no ano passado, cerca de 25% superior ao de um modelo hatchback standard equivalente.

Foto: AudiMini Countryman, Audi Q2 (foto) e Jeep Renegade são para já as únicas propostas premium na categoria. Mas depois de tomarem de assalto o segmento imediatamente acima, dos SUV e crossovers compactos, não é de excluir que outras marcas premium, e em particular a Mercedes-Benz ou a Volvo, se interessem por esta categoria, com um peso cada vez maior no mix das marcas.

A Aliança Renault-Nissan lidera o segmento, com quase um terço das vendas, se somarmos Renault Captur, Nissan Juke e Dacia Duster. A PSA ocupa a segunda posição, com o Peugeot 2008 e Citroen C4-Cactus, mas a sua quota vai subir com a incorporação da Opel, quarta classificada na categoria, e que além do Mokka X está a lançar o novo Crossoland X, montado com base na mesma plataforma do 2008 e do futuro Citroen C3.

O Grupo Volkswagen ocupa a sétima posição do ranking, com uma quota de 4,7% do segmento, onde está presente com o Skoda Yeti, mas é um dos mais fortes candidatos a subir ao pódio, com o sucessor do Yeti e o lançamento do Volkswagen T-Roc e do SEAT Arona, ainda este ano.

Foto. SusukiA Suzuki é sexta classificada, com uma quota de 6,4%, devido sobretudo ao sucesso do novo Vitara (foto).

Tal como está a acontecer no segmento dos subcompactos convencionais, também os mini SUVs e crossovers estão a registar uma tendência de desdieselização, em favor de uma nova geração de motorizações gasolina de 3 e 4 cilindros turbo, com cilindradas entre os 900 e os 1200 cm2.

Em 2016, a percentagem de veículos vendidos com motores diesel voltou, para 47% do total das vendas do segmento, ficando pela primeira vez abaixo do patamar dos 50%, segundo dados da JATO. Em 2013, quando o segmento começou a animar, as vendas diesel atingiam os 56% do total, recorda a Automotive News Europe.

 

 

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...