Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Suzuki Swift: saiba (mesmo) tudo sobre a nova geração

A marca japonesa está a apresentar a nova geração do utilitário Swift e o AUTOMONITOR está presente. Mais logo poderá ler o primeiro ensaio, por agora fique com todos os detalhes do novo modelo.

Segundo o engenheiro responsável pelo projeto do Swift, Masao Kobori, “o nosso propósito foi criar um automóvel que fizesse um ‘Wow’ nas pessoas, que as leve a entrarem e a pisarem no acelerador do Swift.” Veremos se será assim.

Os destaques do novo Swift passam pelo estilo que a Suzuki reclama ser inovador dentro do ADN da marca (foram vendidos mais de 5,3 milhões do modelo…) ou seja, mudanças evolutivas e não revolucionárias. Por outro lado, a Suzuki deseja oferecer uma experiência de condução emotiva apostando muito no baixo peso (o Swift tem, na versão de entrada, apenas 840 kgs). O novo modelo é mais curto 10 mm que o anterior, mas tem mais 20 mm de distância entre eixos, oferece 245 litros de capacidade na mala (mais 54 litros), sendo 15 mm mais baixo e 40 mm mais largo. Finalmente, o Swift incorpora um avançado sistema de deteção que combina uma lente monocular com um sensor de laser, juntando-se os dois para proporcionar mais funções de segurança, como o sistema de travagem autónomo, o aviso de saída de faixa de rodagem e os máximos automáticos. Para o cruise control adaptativo, o Swift tem, ainda, um radar.

O novo Suzuki Swift pode ser resumido em números. O carro é 120 kgs mais leve que o anterior, é 5% mais económico, 3% mais silencioso, 8% mais aerodinâmico, tem menos 0,4 metros no diâmetro de viragem, tem mais 23 mm em altura e largura no banco traseiro e tem mais 25% de espaço para bagagem.

Estilo exterior

Entre os vários elementos, o Swift conta com o pilar A em preto e luzes dianteiras e traseiras colocadas de forma vertical. Para um visual mais musculado, a carroçaria do Swift é mais curta, mais baixa e mais larga, enquanto uma ampla e agressiva grelha frontal reforça a imagem do Swift.

Atrás, os pilares escurecidos criam a aparência de um teto flutuante. O puxador da porta incorporado no pilar é outro detalhe complementado pela iluminação LED utilizada na combinação dos faróis dianteiros e luzes traseiras. Depois há outras características do Swift, como as jantes de 16 polegadas (15 de aço para o base), sete cores de carroçaria diferentes e combinações de dois tons para maior personalização.

Estilo interior

O Swift exibe um painel de instrumentos de elevadas dimensões, os bancos são desportivos e há apontamentos brancos e cromados um pouco por todo o habitáculo que combinam com um tom preto geral. O painel de instrumentos apresenta um écran LCD colorido ou monocromático no centro, com o indicador da temperatura da água dentro de um dos seus dois medidores principais e o indicador do combustível dentro do outro. Além disso o Swift oferece consola central que pode ser inclinada 5 graus para o condutor, sistema de áudio com ecrã de 7 polegadas sensível ao toque com Bluetooth, ligação a smartphone, e navegação opcional.

Plataforma e mecânica

O novo Swift tem como base a plataforma “Heartect” de nova geração que tem como missão oferece um excelente comportamento graças à sua leveza e elevada rigidez. Uma revisão exaustiva da estrutura inferior da carroçaria e da estrutura dos seus componentes, resultou na adoção de um chassis de elevada rigidez que melhora a segurança em caso de eventual colisão e apresenta uma forma contínua, suave e curva que ajuda a dispersar melhor a energia. Isto levou à redução de reforços, que resultou numa carroçaria de apenas 840kg (na versão base), quer dizer, 120kg mais leve que a do atual Swift, e que contribui para a redução do consumo de combustível.

A suspensão tem um desenho completamente novo, sendo mais leve e rígida, a direção é as mesma, mas há novos suportes da suspensão que melhoram a condução. Segundo a Suzuki, a aderência à estrada, a resposta a curvar, assim como a suavidade ao fazê-lo foram melhoradas. 

O motor a gasolina 1.0 Boosterjet tem sistema de injeção direta de combustível o que reduz o consumo de combustível ao mesmo tempo que um turbo que cria binário. Tudo com um litro de cilindrada. A outra motorização é um bloco com 1.2 litros Dualjet, equipado com nova válvula EGR e injeção dupla, que se combinam com outros elementos para conseguir 5% de melhoria no consumo de combustível em comparação com o motor utilizado no Swift atual.

A transmissão às rodas dianteiras utiliza uma caixa manual de 5 velocidades com a unidade utilizada com o motor 1.0 a ter um comando que oferece uma sensação ligeiramente mais pesada. Também está disponível uma caixa CVT e uma caixa automática de 6 velocidades.

O Swift pode estar equipado com uma motorização híbrida. O sistema SHVS está dedicado para veículos compactos. Incorpora um motor de arranque (ISG) que funciona como um gerador e como motor elétrico, e uma bateria de íon de lítio. Em situações que requerem um elevado consumo de combustível como ao arrancar ou acelerar, o SHVS ajuda a reduzir o consumo de combustível ao proporcionar suporte do motor elétrico utilizando a eletricidade gerada através da travagem regenerativa. Porque o ISG utiliza uma correia em vez do convencional motor de arranque, para reiniciar de novo o motor após uma paragem automática, a ignição é mais suave. Para além disso, a leve bateria de íon de lítio, de larga duração, tem uma boa eficiência regenerativa que melhora a frequência de suporte ao motor. A bateria também fornece energia aos componentes elétricos, tais como componentes eletrônicos do motor, relógios e o sistema de áudio.

Mais logo poderá ler o primeiro ensaio ao novo Suzuki Swift e também ficar a conhecer a gama e os preços para Portugal.

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...