Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Portugueses passam mais de 8 horas por semana em deslocações

Os portugueses gastam em média 08h11 em deslocações durante os dias úteis, menos 01h24 que a média dos europeus, e preferem sobretudo o carro como meio de transporte, segundo um inquérito feito em 10 países da Europa.

Esta 1.ª edição do Observatório Europeu da Mobilidade promovido pela consultora Boston Consulting Group e pela empresa de inquéritos IPSOS, regista que quem mais gasta tempo de deslocações são os gregos (13h02) e os que demoram menos tempo em viagens de segunda a sexta-feira são os franceses (07h12).

No ranking sobre utilização do automóvel, os portugueses são os que mais utilizam o automóvel para irem trabalhar (72% contra 61% de média europeia). Além da preferência pelo automóvel, 38% dos portugueses considerou ser difícil usar transportes públicos perto da sua habitação, indicando como principais razões para não os utilizar a reduzida frequência e os “destinos serem mal servidos”.

O inquérito que envolveu cerca de mil portugueses, e um total de 10 mil europeus, registou também que 45% dos portugueses se queixa da fluidez do tráfego na horas de ponta (contra 58% de média europeia), enquanto 66% (61% da média europeia) consideram que os investimentos públicos em soluções de transporte intermodal são, atualmente, insuficientes.

Perante a questão se usaria menos o carro caso os investimentos necessários em mobilidade fossem realizados, os portugueses são dos que mais concordam com a afirmação (77% contra 66% da média europeia).

23% dos portugueses tem a sensação de estar “demasiado longe de tudo” (26% para a média europeia), uma constatação sobretudo repetida por pessoas que vivem numa zona rural.

Se ficassem desempregados, 42% dos portugueses respondeu pensar que teria de se mudar para encontrar um emprego equivalente (contra 36% de média europeia).

Em Portugal há ainda “expetativas muito fortes” quanto à melhoria das condições de deslocação e maior satisfação, na comparação com a média europeia, com a rede rodoviária, mostrando a 3.ª melhor pontuação, depois da Alemanha e da França.

Com as novas tecnologias, os portugueses acreditam que dentro de 15 anos poderão percorrer distâncias muito longas em veículos elétricos sem problemas de autonomia (86% contra 73% para o conjunto dos europeus), deixar o seu carro à entrada das cidades e utilizar apenas transportes públicos acessíveis desde esses locais (81% contra 70% em média) e circularem veículos sem emissões de gases com efeito de estufa (85% contra 68% no geral).

O estudo foi realizado pela Ipsos e pela BCG para a ASFA junto de 10.018 inquiridos europeus, incluindo um mínimo de 1000 pessoas em cada um dos 10 países estudados (França, Irlanda, Itália, Alemanha, Espanha, Bélgica, Grécia, Polónia, Eslováquia e Portugal). Foi inquirida, em cada um dos países, uma amostra representativa (método das quotas) da população nacional com 15 anos ou mais. Estudo realizado online de 23 de fevereiro a 28 de março de 2017.

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...