Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Monovolumes compactos perdem peso na Europa

O segmento dos monovolumes compactos deverá continuar a perder peso para os SUV e crossovers, na Europa, pelo menos até 2020, refere uma análise da Automotive News Europe, com base em dados da LMC Automotive.

Foto: VolkswagenEm 2020, as vendas de monovolumes compactos na região deverão cair para menos de meio milhão, em perda clara face aos 820,3 milhares do ano passado. A LMC prevê também que as vendas dos modelos das marcas premium presentes neste segmento – BMW Série 2 Active Tourer e Gran Tourer e Mercedes-Benz Classe B –, se mantenham estáveis em torno das 167 mil unidades/ano, até ao final da década, continuando a ganhar quota às marcas generalistas.

SUVs e crossovers desviam vendas dos monovolumes

Os monovolumes têm vindo a perder peso no mercado devido à cada vez maior preferência do consumidor europeu por SUVs e crossovers. Esta tendência levou atá a que algumas marcas a substituírem nas suas gamas os monovolumes por crossovers, como aconteceu com os Peugeot 3008 e 5008, o Renault Scénic ou o futuro Opel Zafira, que se transformaram em crossovers. “A popularidade destes SUV compactos é a maior ameaça aos monovolumes”, confirma Felipe Munoz, analista da JATO Dynamics. A Peugeot, por exemplo, vendeu duas vezes mais unidades do novo SUV 3008, nos dois primeiros meses depois do lançamento do modelo, do que o monovolume mais vendido no segmento, o Volkswagen Touran (foto), recorda a Automotive News Europe.

Fonte: ANEO Touran, que foi alvo de um restyling em 2015 é o monovolume compacto mais vendido na Europa (ver tabela), tendo registado uma subida de vendas de 52%, no ano passado, para 112.850 unidades. Aa vendas desaceleraram nos dois primeiros meses do ano, acusando uma baixa de 8% face ao bimestre homólogo do ano passado, em parte devido ao sucesso da nova geração do SUV compacto da marca, o Tiguan, e da chegada ao mercado da versão 7 lugares Tiguan Allspace.

A Volkswagen mantém, no entanto, o Touran na sua gama. “Apesar do Allspace poder canibalizar algumas vendas, o Touran mantém-se um modelo-chave para nós e com uma posição forte em ternos de vendas”, garante o diretor da marca Volkswagen, Alison Jones, contrariando as opções de outras marcas, que optaram por abandonar o segmento. A SEAT deixou de produzir o Altea, mantendo apenas o grande Alhambra, e o mesmo se passou com o Mazda5, a Fiat, a Honda ou a Skoda, que descontinuaram os seus monovolumes e passaram a apostar nos SUV.

Aproveitando esta onda, é cada vez maior o número de SUV e crossovers compactos que se declinam em versões alongadas de 7 lugares, seguindo um desdobramento de gama que os monovolumes fizeram há uma década atrás.

SEAT, Skoda, Volkswagen, Nissan, Hyundai, KIA, Peugeot, Opel, Renault e até a Dacia, são marcas que já têm, ou terão muito em breve, modelos de SUV compactos com 5+2 lugares.

Foto: Renault

A Renault é talvez o caso mais paradigmático. A marca francesa foi a inventora dos monovolumes na Europa, quando lançou a primeira geração do Espace e declinou o conceito para o segmento dos modelos compactos e médios, quando, em 1996, lançou o primeiro Scenic. No ano passado, a quarta geração deste modelo (foto), perdeu atributos de monovolume e apresentou-se com um look mais próximo de um crossover. Uma solução que a marca já experimentara, um ano antes, com o grande monovolume Espace.

Nos dois primeiros meses do ano, as vendas do novo Scénic cresceram 4,7%, para 12,224 unidades, mas estão ainda abaixo das vendas de alguns monovolumes mais antigos, como o Ford C-Max ou o Citroen Picasso.

O BMW Série 2 é o monovolume premium mais vendido na Europa e ocupa o terceiro lugar na tabela geral de vendas do segmento, com mais de 100 unidades vendidas no ano passado.

Alemanha é o maior mercado da Europa

O mercado onde os monovolumes têm maior peso é a França, com 8,6% das vendas totais de automóveis do país, no ano passado. Mas nos primeiros dois meses de 2017 as vendas de monovolumes compactos caíram 16% e a quota de mercado baixou para 7,3% Dos 10 maiores mercados europeus de monovolumes compactos, sete registaram uma quebra de vendas de dois dígitos no primeiro bimestre do ano.

Pelo volume de vendas, o maior mercado europeu é a Alemanha, país de origem de alguns campeões da categoria, como o Volkswagen Toura, o Opel Zafira, o BMW Série 2 Active Tourer e o Merzcedes-Benz Classe B.

 

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...