Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Contacto: O que achámos do Tesla Model X

Chama-se Model X e é, provavelmente, a forma mais ecológica e rápida de se viajar com sete ocupantes. SUV da Tesla é 100% elétrico, tem autonomia de 489 km e uma agilidade surpreendente para a suas dimensões. É fácil ficar deslumbrado por este modelo que pudemos testar durante três horas em território nacional.

Por João Tomé

Foto: Tesla

A Tesla não é uma marca estranha em Portugal, muito graças à importação de veículos. Até há uns meses estimava-se que existiam perto de 180 veículos da marca norte-americana em Portugal. Desde fevereiro que a Tesla está oficialmente no país e abriu recentemente a sua primeira loja em Lisboa. Há também uma loja pop-up no Porto, na rotunda da Boavista, em frente à Casa da Música, que se manterá no local até 3 de junho.

Tivemos oportunidade de conduzir em Cascais o modelo da marca mais recente e já no mercado, o monovolume/crossover/SUV, Model X e o primeiro impacto é de surpresa: pelas dimensões imponentes, pela altura elevada e, depois, pela tecnologia inovadora até nos pequenos pormenores.

Foto: TeslaA estética é semelhante ao dos outros modelos da Tesla, em especial o Model S, o executivo de luxo, com linhas futuristas e arredondadas. Mal nos aproximamos do Model X, com o comando da chave, que tem a forma de pequeno Model X de bolso, a porta da frente abre-se automaticamente. Um sensor permite ativar esta opção – bastando para isso programar o tablet gigante (já lá vamos).

[xyz-ihs snippet=”Simulador Cetelem v2″]

Mesmo antes de entrarmos, podemos abrir as portas traseiras Asas de Falcão com o pressionar num botão lateral na tal chave. Mas o que o que impressiona é a forma inteligente (graças a vários sensores) como as portas Asas de Gaivota abrem para cima. A Tesla batizou as portas de Asa de Falcão para as distinguir das Asa de Gaivota. Estas têm apenas um eixo onde a porta abre, ao passo que a Asa de Falcão tem, além do eixo onde contacta com o restante chassis, outro a meio da sua estrutura, o que a permite subir verticalmente em espaços lateralmente mais reduzidos.

Se não houver espaço suficiente – se estivermos colados a uma parede, por exemplo –, as portas simplesmente não abrem. A marca diz mesmo que é preciso menos espaço para abrirem do que as portas convencionais (cerca de 30 cm).

Foto: TeslaTemos assim acesso à segunda e terceira fila de bancos. Para os bancos mais atrás podemos entrar com o carregar num botão, que movimenta para a frente todos os bancos para uma entrada fácil nos confortáveis e luxuosos bancos. Os sete ocupantes vão com espaço que chegue na configuração mais completa – que já nos dá acesso a uma bagageira decente ou não tivesse o Model X mais de 5 metros –, mas podemos ganhar espaço com configuração para seis ou cinco ocupantes. Se os bancos estiveram todos para baixo, temos até 2.180 litros (a marca não divulga os valores nas outras configurações).

Ecrã gigante faz tudo

O luxo e modernidade no interior são de bom nível e salta à vista o enorme pára-brisas panorâmico com olhar privilegiado para o céu (usa-se um sistema de tinta interior para tapar).

Foto: TeslaDe resto, (quase) tudo no Tesla é configurável no gigante ecrã tátil no centro do carro. Além de termos, incluído de série, internet gratuita (via 3G e com serviço em toda a Europa), temos Spotify Premium incluído e um GPS completo ao estilo Google Maps bem pormenorizado e facilidade de navegar na internet. Não são precisos botões, com um verdadeiro computador/tablet, com tanto para escolher. Gostámos da explicação que nos deram sobre o ar condicionado: não só permite selecionar à distância a temperatura do carro, para quando lá chegarmos “estar no ponto”, como permite acionar o modo isolamento, no caso de um ataque biológico para proteger o interior de gases nocivos!

Foto: TeslaPodemos ainda selecionar a altura de suspensão e, se o fizermos numa lomba junto a casa, por exemplo, o sistema memoriza que naquela zona há uma lomba e sempre que passa por lá já eleva a suspensão de forma automática. Lá está, é inteligente. Há um sem fim de opções para escolher, mas destacamos ainda o modo desportivo, com respostas ainda mais imediatas e o nível de intensidade da travagem regenerativa – tão importante num elétrico, na hora de acumular energia (se quisermos travagem mais intensa quando tiramos o pé do acelerador haverá maior aproveitamento da energia).

Performance eletrizante!

O Model X P100D é o SUV mais rápido do mundo, atingindo os 100 km/h em apenas 3,1 segundos. Não tivemos acesso a esta versão mas sim à 90D, que é menos explosiva mas, ainda assim, de potência impressionante para as dimensões do Model X: faz dos 0-100 km/h em 5 segundos. O D em 90D significa que temos nesta versão, tração integral com dois motores elétricos, um atrás e outro à frente. Cada um dos motores têm a mesma potência, 263 cv – combinado dá o equivalente a 417 cv – mas o mais surpreendente é a forma como temos toda a potência de imediato, com um binário de 658 Nm! É normal num elétrico, mas num veículo tão grande não deixa de transmitir uma sensação tão suave quanto bruta (sim, é possível) impressionante.

Foto: TeslkaApesar do tamanho e do peso, é dos SUV mais ágeis que podemos conduzir, mantendo-se estável nas curvas, com a carroçaria a manter-se equilibrada, especialmente se tivermos a suspensão no modo mais baixo – ajuda ao centro de gravidade baixo termos as baterias na parte de baixo do veículo. A sensação de imponência é notável não só pelo tamanho e pela posição de condução elevada, mas também pela forma explosiva como arranca e sentimos que temos controlo sobre este gigante do asfalto.

Foi pena o teste que efectuámos ter durado pouco tempo, mas deu para ficar apaixonado pelo conceito  No difícil (para os elétricos) tema da autonomia, a Tesla está na vanguarda há alguns anos e este Model X em particular tem 489 km de autonomia anunciada. Quando pegámos nele já só tinha 3/4 de bateria e 340 km para ‘gastar’. Quando o deixámos, depois de cerca de 80 km entre cidade, estradas locais de várias curvas e auto-estrada, ainda tínhamos 250 km.

Foto: TeslaUm valor que nos surpreendeu, já que andámos num ritmo bem rápido, aproveitando a aerodinâmica (com um coeficiente de 0,24) e estabilidade notável do veículo que se ajusta na perfeição a qualquer um dos cenários por onde andámos: cidade (onde a suavidade e silêncio dos elétricos é perfeita e adequada), estradas regionais (onde o equilíbrio permite tirar partido e gosto pela condução) e autoestrada (onde o confortável e rápido Model X com cruise control adaptativo) também se sente em casa. Nas viagens longas o único stress é a autonomia e o carregamento mas já há postos rápidos (carregam 80% em meia hora) em várias bombas de gasolina da A1 até à A2.

A versão que conduzimos ainda não tinha disponível o famoso Autopilot da Tesla, de condução semi-autónoma. O preço condiz com a tecnologia e o luxo: 116 mil euros – a versão base custa 103 mil. Não é para todos mas é incrivelmente rápido, ágil, divertido e surpreendente.

 

FICHA

Motor dois motores elétricos em cada eixo de 263 cv cada Potência máxima 417 cv (311 Kw) Binário máximo 658 Nm Tração integral Dimensões (mm) Comprimento: 5037 / Largura: 1999 / Altura: 1.684 / Distância entre eixos: 2964 Peso (kg) 2391 Aceleração 0-100 km/h 5 segundos; Velocidade máxima 249 Km/h Preço da versão ensaiada (Euros) €113.000

 

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...