Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Bosch prepara condução autónoma

A Bosch e a TomTom, fornecedora holandesa de mapas e informações de tráfego, alcançaram um avanço muito relevante no desenvolvimento de mapas de alta resolução para a condução autónoma. O fornecedor de tecnologia e serviços tornou-se no primeiro, a nível mundial, a criar um estrato de localização utilizando sinais de radar – o que será indispensável para estes mapas.

Até agora os dados de vídeo foram usados ​​para esse propósito. A “assinatura de radar da estrada” da Bosch é composta por milhares de milhões de pontos de reflexão individuais que são formados por todos os lugares em que os sinais de radar tocam – por exemplo, barreiras de choque ou sinais de trânsito – e reproduzem o desenho da estrada com base nessa informação. Os veículos autónomos podem usar o mapa para determinar a sua localização exata na estrada até alguns centímetros.

“A assinatura de radar da estrada é um marco no caminho para a condução autónoma e vai permitir que os veículos autónomos determinem de forma fiável a sua localização em todos os momentos”, afirmou o Dr. Dirk Hoheisel, membro do Conselho de Administração da Bosch.

A enorme vantagem da assinatura de radar de estrada da Bosch é a sua robustez: ao contrário dos mapas que dependem exclusivamente de dados de vídeo para a localização do veículo, os sinais de radar de estrada também funcionam de forma fiável à noite e em condições de visibilidade fraca.

Além disso, a assinatura de radar da estrada da Bosch transmite para a nuvem apenas cinco kilobytes de dados por quilómetro – esse volume de dados é duas vezes maior se for usado um mapa de vídeo. Espera-se que até 2020, o mais tardar, os primeiros veículos irão fornecer dados para a assinatura de radar da estrada na Europa e nos EUA.

Colaboração desde 2015

“Estamos muito satisfeitos por poder introduzir dados de localização suplementares, sob a forma de uma assinatura de radar da estrada, em parceria com a Bosch. Isso irá tornar a autolocalização para os veículos autónomos consideravelmente mais robusta em todos os aspetos”, afirmou Harold Goddijn, CEO da TomTom.

Desde o início da sua colaboração, em julho de 2015, as duas empresas têm trabalhado intensamente na assinatura de radar da estrada e na sua integração no mapa global de alta resolução da TomTom. A Bosch é líder mundial no mercado de sensores de radar com tecnologia de 77 giga-hertz e faixas de deteção de até 250 metros. Em comparação, os sensores de vídeo têm apenas uma faixa de deteção máxima de 150 metros.

O principal desafio foi encontrar uma forma de adaptar a essa nova tarefa os sensores de radar existentes. Quando usado num sistema de assistência ao condutor, como sistemas de travagem de emergência automática ou controle de cruzeiro adaptativo (ACC), os sensores detetam objetos em movimento. Mas, para gerar a assinatura de radar da estrada, também têm de conseguir detetar objetos estáticos, o que significa que os sensores de radar existentes tiveram que ser modificados. A próxima geração de sensores de radar Bosch será capaz de fornecer os dados necessários para a assinatura de radar da estrada. “Os carros que vão chegar ao mercado nos próximos anos com as funções de assistência do futuro vão estar a executar o mapa para os veículos autónomos”, diz Hoheisel.

Os mapas de alta resolução são essenciais para a condução autónoma e fornecem informações que vão além da área que os sensores podem monitorizar. Ao contrário dos mapas para os dispositivos de navegação de hoje, estes são compostos por uma série de estratos sobrepostos como:

Estrato de localização: um veículo autónomo pode determinar a sua posição numa estrada usando uma camada de localização que compreende a assinatura de radar da estrada Bosch e um mapa adicional de localização de vídeo. Ele compara informações sobre objetos que recebeu através dos sensores que o rodeiam usando as informações correspondentes do estrato de localização. Desta forma, o veículo pode determinar sua posição relativa a esses objetos.

Estrato de planeamento: o estrato de planeamento é usado para calcular manobras individuais durante a condução autónoma (planeamento da trajetória). O estrato de planeamento também contém informações sobre o percurso da estrada, sinais de trânsito e limites de velocidade, bem como curvas e gradientes. Um veículo autónomo pode usar o estrato de planeamento, por exemplo, para decidir quando deve mudar de faixa.

Estrato dinâmico: o estrato dinâmico fornece informações sobre situações de trânsito em rápida mudança tais como engarrafamentos, trabalhos de construção e perigos, ou espaços de estacionamento disponíveis.

Cada um desses estratos do mapa de alta resolução para a condução autónoma precisa de atualização permanente – o estrato dinâmico precisa mesmo de atualização em tempo real.

“Acreditamos que vamos precisar de frotas em autoestradas na Europa, América do Norte e Ásia. Cada uma terá de ter cerca de um milhão de veículos para manter o mapa de alta resolução atualizado”, explicou Hoheisel.

Os dados atualizados para cada um dos estratos serão gerados pelos sensores de bordo dos veículos enquanto estes estiverem na estrada. Caixas de comunicação, como a Unidade de Controle de Conectividade da Bosch, irão transmitir os dados dos sensores de radar dos veículos para a nuvem do fabricante e depois para o Bosch IoT Cloud. A Bosch irá usar a informação para criar a assinatura de radar da estrada, que é compatível com todos os formatos de mapas convencionais. As responsabilidades da TomTom incluem a integração da assinatura de radar da estrada no mapa geral e posterior distribuição.

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...