Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio Renault Kadjar 1.5 dCi 110: automóvel único

Por menos de 30 mil euros não acha um excelente negócio comprar um quase Qashqai, com um sóbrio e económico motor turbodiesel e um conjunto de alterações que o torna único no mundo? Aqui está ele, o Kadjar 1.5 dCi 110 da Renault, o mais forte rival do… Qashqai.

[quote align=”right” color=”#999999″]Com o Kadjar tem um Qashqai diferente e sem o estigma do “todos têm um!” sendo ainda um carro único no mundo. Parece um bom negócio, não acham?[/quote]
Quando a Renault lançou o Kadjar, apesar do nome, estava escrito nas estrelas que seria um sucesso. Muita emoção, muita ansiedade e… a montanha pariu um rato, ou seja, chegar a Portugal foi adiado “sine dia”. Tudo porque este pais à beira mal plantado tem políticos frouxos que se submetem às empresas que os dominam. Não, não estou bloquista ou esquerdista, apenas lembrar que por causa de uma questão de estilo do Kadjar, este é Classe 2 nas portagens e não havia forma de dar a volta á situação.

Felizmente que a Renault em França – certamente depois de uma bela barrigada de riso ao olhar as regras portuguesas de portagens que os deixaram ainda mais espantados que com o sistema de dupla tributação dos automóveis – não desistiu e concedeu promover uma alteração ao plano industrial do Kadjar para satisfazer os ditadorzecos da Brisa e demais concessionários de pontes e autoestrada.

Veja aqui quanto lhe pode custar este Renault Kadjar 1.5 dCi 110 Exclusive

[xyz-ihs snippet=”Simulador Cetelem v2″]

Foram necessários dezoito meses para a Renault desenhar um projeto financeiro que tornasse viável a solução, depois de validada pela parte técnica e pela parte da industrialização. E chegou a uma solução que permite vender o Kadjar como Classe 1 nas portagens, desde que equipado com Via Verde. Como? Simples!

Fez um carro esculpido para o mercado português! Para fazer chegar o Kadjar aos 2305 quilogramas de peso bruto (peso do carro mais o peso máximo admissível), não mexeu no estilo, mas todos os Kadjar vendidos em Portugal têm um eixo traseiro independente multibraços igual ao da versão 4×4 (que não se vende em Portugal) e não o eixo semi rígido que exibem todos os outros Kadjar 4×2.

Com esta alteração o peso do carro sobre para os 1426 quilogramas (mais 46 quilos que oi Kadjar “normal”), a capacidade de carga para expressivos 879 quilogramas, 383 quilos a mais que um Kadjar “normal”. Naturalmente que estes valores são declarativos – acho que ninguém conseguirá enfiar algo com 879 quilogramas de peso dentro de um Kadjar  – mas a Renault assegura que se isso acontecer, o carro irá curvar e travar sem colocar em risco a integridade física dos ocupantes.

Parabéns! Se gosta do Kadjar, passa a ter um carro único no mundo que paga Classe 1 com a Via Verde. Ah… mas só está disponível o motor 1.5 dCi de 110 CV com caixa manual de seis velocidades e o preço é ligeiramente acima daquilo que um Kadjar sem estas alterações poderia ter.

O Renault Kadjar é feito com a mesma plataforma e sessenta por cento das peças são comuns com o Nissan Qashqai e mesmo que a casa francesa tudo faça para afastar o seu carro do original da casa japonesa, eles têm quase tudo em comum. Claro, o estilo é diferente (a volumetria não…) com o Renault a ser mais rebuscado e com uma lateral que parece ter sido apertada a meio pela mão do Hulk!

Quem procura um crossover ou um SUV, procura espaço interior, posição de condução dominante, conforto, economia de combustível e, claro, um bom preço. Vamos por partes. Com 527 litros de bagageira que facilmente engolem toda a tralha da família e a habitabilidade oferecida no banco traseiro, onde viajam duas pessoas à vontade com a terceira a ter de se encolher e viajar um nadinha menos confortável, o Kadjar cumpre parte dos requisitos.

A posição de condução é igual à do Qashqai, ou seja, alta o suficiente para nos fazer sentir num SUV, mas sem exageros à camionista como acontece em alguns modelos do segmento, permitindo uma boa visibilidade. O banco do condutor é confortável e o espaço é suficiente.

A qualidade do interior no que toca a construção e materiais é boa, mas comparando-a com o Qashqai, está uns furos abaixo. Isto porque não tendo sido obrigado a ser uma ave rara para o mercado português, o Kadjar seria mais barato, ainda, que o Qashqai. Ou seja, devido à trapalhada das portagens, o Kadjar fica mais caro e a qualidade oferecida não rima com esse estatuto.

No que toca à tecnologia, a oferta de ajudas à condução é grande e justifica as cinco estrelas EuroNCAP que o Kadjar garantiu. Travagem de emergência que funciona entre os 30 e os 140 km/h, aviso de mudança inadvertida da faixa de rodagem, leitura de sinalização vertical que pode ser coordenada com o “cruise control” reduzindo ou aumentando a velocidade de acordo com a leitura feita, monitorização do ângulo morto, etc. Tudo controlado através do RLink 2, sistema de conectividade que tem Bluetooth, ligação à internet, sistema de navegação, etc., etc., etc.. O ecrã de 7 polegadas é que destoa e aqui percebe-se os 18 meses que o Kadjar já conta.

O Megane,o Espace e o Talisman, têm ecrãs muito maiores e mais legíveis. Não há espaço para um ecrã maior pois o Kadjar surgiu antes dos “tablet” dos modelos acima citados. E a parte central oriunda do Qashqai ainda não contemplava ecrãs gigantes. Infelizmente, aqueles sistemas não são de série em nenhum dos Kadjar.

O Pack Safety (sistema de ajuda ao estacionamento lateral, travagem de emergência ativa e controlo do ângulo morto) custa 650 euros, o Pack Easy Parking (Easy Park Assist, Câmara de marcha atrás, ajuda ao estacionamento lateral e controlo do ângulo morto) custa 650 euros e o Pacote Conforto (Banco do condutor elétrico, aquecimento dos bancos dianteiros, volante em couro Premium) fica por 600 euros, mas obriga a comprar os estofos em couro, mais 1100 euros. O Pacote Teto Panorâmico (tejadilho panorâmico e espelho interior electrocromático) custa 900 euros.

O motor 1.5 dCi acaba por ser um dos “joker” deste Kadjar. É a mesma unidade do Qashqai, exibe um consumo combinado de 3,9 l/100 km (neste ensaio consegui 5,1 l7100 km) e as emissões de CO2 de 103 gr/km. O motor é suave e consegue dinamismo suficiente para ultrapassagens em estradas nacionais sem muito balanço – a caixa está muito bem escalonada e permite explorar tudo do pequeno bloco – suporta velocidades de cruzeiro elevadas em autoestrada. Se gosta de carros espigadotes, procure em outro lado.

Graças ao eixo traseiro multibraços, o Kadjar tem uma ótima postura em curva, não deixando de exibir algum rolamento da carroçaria quando estugamos o passo. Porém, nunca perde a compostura – o ESP vai sempre ajudá-lo – e mesmo quando incina i+um pouco mais, raramente tira as rodas do chão.

Veredicto

Exclusivo! Esta será a palavra chave para um Kadjar que tem tudo para ser um enorme sucesso, mesmo que só tenha um motor. Mas, caramba!, tem um eixo traseiro exclusivo e motor que não sendo um foguete, é mais que suficiente. O equipamento é honesto, mesmo que existam opcionais a mais. Com o Kadjar tem um Qashqai diferente e sem o estigma do “todos têm um!” sendo ainda um carro único no mundo. Parece um bom negócio, não acham?

Gostou deste Renault Kadjar 1.5 dCi 110 Exclusive? Então porque não ir ao site da Renault e escolher o seu agora?

Ficha Técnica

Renault Kadjar 1.5 dCi Eco2 Exclusive

Motor 4 cilindros em linha, injeção direta, turbodiesel; Cilindrada (cm3) 1461; Diâmetro x curso (mm) 76×80,5; Taxa compressão 15,5:1; Potência máxima (cv/rpm) 110/4000; Binário máximo (Nm/rpm) 260/1750; Transmissão e direcção Tracção dianteira, caixa manual de 6 velocidades; direção de pinhão e cremalheira, com assistência elétrica; Suspensão (fr/tr) Tipo McPherson; independente, multibraços; Dimensões e pesos (mm) Comp./largura/altura  4449/1836/1607; distância entre eixos 2646; largura de vias (fr/tr) 1556/1542; travões fr/tr. Discos ventilados/discos; Peso (kg) 1426; Capacidade da bagageira (l) 527/1478; Depósito de combustível (l) 64; Pneus (fr/tr) 215/60 R17; Prestações e consumos aceleração 0-100 km/h (s) 11,9; velocidade máxima (km/h) 185; Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) 3,6/4,2/3,9; emissões de CO2 (g/km) 103; Preço versão ensaiada (Euros) 31.600 (Excellence)

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...