Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Nissan Qashqai: tudo (mesmo) sobre o renovado crossover

Vai estar à venda já em julho com preços semelhantes aos atuais trazendo várias alterações no estilo, na qualidade, tecnologia e performance, depois dos responsáveis da Nissan terem dado ouvidos aos mais de 2,3 milhões de clientes Qashqai. Neste momento estou em Viena, Áustria, para cumprir o primeiro ensaio ao modelo e daqui a pouco, como habitualmente, poderá ler a minha opinião sobre o renovado Qashqai.

A grande novidade do Qashqai é a espécie de condução autónoma que a Nissan vai instalar no seu crossover. Chama-se ProPilot e é o primeiro degrau ultrapassado pela casa japonesa no seu caminho rumo á condução autónoma. Com o ProPilot, a Nissan oferece ao Qashqai um equipamento de topo que oferece uma imagem tecnológica muito bem vinda e potenciadora de novos clientes para lá de fidelizar os mais de 2,3 milhões que rolam ou já rolaram, de Qashqai.

O ProPilot controla direção, aceleração e travagem quando o Qashqai segue em ritmo lento de engarrafamento sempre na mesma faixa ou quando a velocidade elevada. O sistema está baseado em três tecnologias: assistência á manutenção do veículo na faixa de rodagem (LKA no léxico da Nissan), cruise control inteligente (ICC) e no controlador de tráfego (TJP). O ProPilot é acionado através de um botão colocado no volante e projeta informação no ecrã colocado entre os instrumentos. O sistema não estará já disponível, chegará apenas no final do ano e nessa altura a Nissan diuvulga mais pormenores.

Foco em quatro áreas

Já lhe dei a conhecer a grande novidade do Qasqhai. Olhemos agora para as quatro áreas eleitas pela Nissan para melhorar o seu “best seller” e “pai” dos crossover: estilo exterior, qualidade do interior, melhoria do prazer de condução e novas tecnologias.

No que toca ao exterior, a Nissan limitou-se a conferir um ar de família ao Qashqai e permitir que o modelo mais bem sucedido da casa japonesa no Velho Continente em 83 anos de história – 2,3 milhões de clientes desde 2007, mais de 80 prémios ganhos – continue o sucesso do atual. E só para desfazer dúvidas, o Qashqai existe desde 2007 e, 10 anos depois, o mês de março de 2017 foi, oficialmente, o melhor mês de sempre com 33 mil unidades vendidas.

Mantendo a linguagem de estilo “Premium Dynamism”, a Nissan refinou o Qashqai com um para choques novo, uma grelha redesenhada com o já famoso “V-motion” (que tem dois acabamentos, um para as versões de base, outro para as de topo)  e novidades nos nichos dos faróis de nevoeiro. As grelhas não são todas iguais pela necessidade de albergar o radar do IEB (Travagem de emergência inteligente). Os faróis e farolins também são novos, o Qashqai utiliza, pela primeira vez, os faróis adaptativos (AFS) e também controlo dos máximos.

O capot em forma de concha foi redesenhado com linhas mais tensas e duras. Na traseira, além dos farolins, o para choques é novo e consoante as versões, pode aparecer um detalhe em prata acetinado. Os farolins passam a ter em maior destaque o efeito 3D feito com LED e o interior dos farolins está mais escuro. Questão de oferecer mais sobriedade e um ar Premium. As jantes passam a ser de 17, 18 ou 19 polegadas, têm um desenho otimizado aerodinamicamente para reduzir o arrasto e nas dimensões, o redesenhar de algumas peças levou a que o comprimento passe de 4377 para 4394 mm (mais 17 mm), mantendo a largura (1806 mm) e a altura (1595 mm) inalterados.

A Nissan acrescentou mais um nível aos patamares de equipamento disponíveis (ver a organização da gama portuguesa mais daqui a pouco no seu AUTOMONITOR) que se destaca pela utilização de novos bancos na frente para condutor e passageiro. O desenho 3D na parte central – estreia absoluta nos produtos europeus da Nissan – melhora o aspecto, o conforto e reduz a fadiga. Os bancos têm regulação elétrica e duas posições de memória, algo que também é estreia absoluta na Nissan. Pelo menos na Europa. Há um novo sistema de som Bose (a parceria desta marca com a Renault é assim partilhada com a casa do lado) e neste novo nível de equipamento, diversos pormenores interiores e exteriores que reforçam a sua ambição Premium.

Ainda no que toca ao interior, dizer que há um novo volante com maior diâmetro (de 34 para 37,5 mm) e base cortada, muito semelhante ao do Micra e do XTrail. Os satélites de comando dos vários sistemas são agora mais simples e o desenho do centro do volante lembra a grelha “V-motion”. Os quatro vidros são elétricos e automáticos, ou seja, descem com um só toque.

Mais confortável

Respondendo às criticas que os clientes e os jornalistas faziam ao conforto e falta de envolvimento na condução, os engenheiros da Nissan quiseram mudar as leis de conforto, comportamento e sensibilidade ao volante. Para melhorar o conforto, procuraram controlar os movimentos da carroçaria e melhorar os limitadores da suspensão. Os amortecedores têm outra afinação, as molas também e foram modificados os apoios de borracha. Além disso, a dureza da barra estabilizadora foi reforçada e o Qashqai pode contar, ainda, com o sistema “Active Ride Control System”. Já para melhorar o comportamento, a arvore de ligação foi afilada e a caixa de direção alterada para exigir menos esforço ao sistema em redor do ponto central. A direção está, agora, equipada com o “Active Return Control” uma ajuda ao condutor que faz o volante ao ponto neutral central com mais facilidade e sem esforço de que segue ao volante.

Outra alteração reside na melhoria dos níveis de NHV (Noise Harshness and Vibration, ruido, aspereza e vibração) com a aplicação de mais material isolante, melhor qualidade dos materiais do interior, colocação de material absorvedor de ruido e vibrações nas cavas das rodas e vidros mais grossos (de 3,15 para 3,85 mm) nas portas traseiras. Reclama a Nissan que melhorou 5% a capacidade de conversar sem ser incomodado pelos ruídos.

Finalmente, quanto à tecnologia a bordo, o Qashqai está muito bem fornecido. Alé do ProPilot que já destaquei, agrupados no Nissan Inteligent Mobility, estão o avisador de carros a passar na traseira quando estamos a fazer a manobra de saída do estacionamento (uma estreia no Qashqai), a travagem de emergência inteligente (agora com reconhecimento de peões), controlo do ângulo morto traseiro baseado em radar e não em imagens de câmara, reconhecimento dos sinais de trânsito, avisador inteligente do condutor para sinais de fadiga, estacionamento automático, vista 360 graus, avisador de transposição inadvertida de faixa de rodagem. Outra novidade do Qashqai é o SSA (Stand Still Assist). Funciona como a ajuda ao arranque em declive, mas está pensado para os distraídos. Seja inclinado a subir, a descer, ou em piso plano, o SSA trava o carro durante 3 minutos. Se nada suceder, entretanto, o SSA trava o carro com o travão de mão.

O Nissan Qashqai manteve, naturalmente, a classificação de cinco estrelas EuroNCAP alcançada em 2014.

Mecânicas conhecidas

Neste departamento, não há grandes novidades, apenas uma oferta de blocos diesel (1.5 110 CV, 1.6 130 CV) e a gasolina (1.2 115 CV e 1.6 163 CV) que podem ter caixa manual de seis velocidades ou uma automática CVT. As emissões vão das 99 ás 134 gr/km de CO2 e os consumos oscilam entre os 3,8 e os 5,8 l/100 km (gasolina e gasóleo).

Ler Mais

pub


OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...