Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Primeiro ensaio: Opel Insignia Sports Tourer

Comprido, espaçoso e elegante, assim é a nova Insignia Sports Tourer. A carrinha da Opel está refinada, aumentou o espaço interior e oferece mais qualidade, melhor comportamento e conforto de exceção. Uma evolução a ter em conta.

João Tomé

Símbolo do melhor que a Opel é capaz, o Insignia foi lançado em 2008 e mudou na altura a face da marca alemã, sendo um sério rival para Volkswagen Passat e Skoda Superb.

Depois do restyling de 2014, o novo Insignia chega agora com uma elegância convincente e muita tecnologia a acompanhar. O objetivo é dar-lhe o ar de grande coupé, especialmente na berlina Grand Sport, mas também está presente na Sports Tourer. No fim de contas, a marca de origem alemã vai chegar ao grupo PSA com um belo produto a tentar rivalizar com as marcas Premium.

Com 4,99 metros de comprimento, a carrinha Insignia cresceu e é maior do que as rivais como o Ford Mondeo, o Mazda6 ou o Renault Talisman e isso sente-se no espaço interior – a distância entre eixos também cresceu, tal como a largura. O habitáculo nunca foi tão amplo e espaçoso à frente e atrás (onde esse espaço extra se destaca mais) e a posição de condução foi rebaixada e isso acaba por ser ajudar no comportamento. A bagageira de 560 litros (bem maior do que os 490 litros da berlina) cresceu 130 litros face à primeira geração. E inclui abertura facilitada e automática, com a passagem do pé por baixo do para-choques traseiro.

[xyz-ihs snippet=”Simulador Cetelem v3″]

O interior é sóbrio e moderno, onde o ecrã tátil agora ocupa uma posição mais importante, substituindo vários dos botões (ligar o ar condicionado, por exemplo, passou a só estar disponível através do ecrã). O sistema multimédia IntelliLink está assim mais moderno e intuitivo, deixando cair vários botões e é compatível com o Apple CarPlay e Android Auto. Já o painel de instrumentos passou a ter um ecrã de dimensões razoáveis.

Há ainda tecnologia relevante como: head up display, que facilita a condução, câmara de 360 graus, regulador de velocidade adaptativo, avisador de transposição de faixa, alerta de veículo no ângulo morto, luzes LED Matrix IntelliLux, entre muitos outros. Mas destacamos o já popular ONStar, que não só funciona como assistente pessoal (ao carregarmos num botão), como também como hotspot de Wi-Fi 4G no próprio carro.

O equipamento de série de todos os Insignia inclui infoentretenimento IntelliLink com CarPlay e Android Auto, sistema de fechaduras sem chave ‘Open&Start’, travão de estacionamento elétrico e câmara dianteira ‘Opel Eye’, entre muitos outros. A versão que testámos tinha o nível de equipamento mais evoluído, o Innovation, já com vários dos opcionais.

Equilíbrio ao volante

Uma carrinha de quase cinco metros é sempre um gigante na estrada, mas a Insignia Sports Tourer perdeu 200 kg face ao anterior modelo e, com a ajuda do aumento da distância entre eixos e das vias mais largas, há uma estabilidade nas curvas e uma agilidade global impressionante, para o tamanho. Também ajuda o coeficiente aerodinâmico de 0.26, que torna o novo topo de gama da Opel num dos automóveis mais aerodinâmicos de sempre nesta classe de veículos.

Testámos a versão com o motor 2.0 litros turbodiesel, de 170 cv, com boas respostas e recuperações (ajuda a perda de peso), como seria de esperar e assenta bem na carrinha – cumpre dos 0-100 km/h em 8,9 segundos. A unidade que testámos estava a fazer os primeiros quilómetros e, por isso, é difícil tirar conclusões definitivas dos consumos. A promessa é de 5,3l/100 km mas, numa condução em circuito misto, fizemos médias acima dos 7l/100km.

A caixa manual de seis velocidades é suave e precisa, e tem um bom comportamento quando queremos aumentar o ritmo da condução, onde a Insignia também se dá muito bem.

Veredicto

Maior mas mais leve, mais espaçosa e mais equilibrada e confortável. A Insignia Sports Tourer é sólida, elegante e convincente e tem argumentos para fazer frente aos modelos Premium, como o Audi A4, BMW Série 3 e Mercedes Classe C. Perfeita para viagens longas, em conforto e em silêncio (no habitáculo).

FICHA TÉCNICA

Motor 4 cilindros em linha, injeção direta, turbo, gasóleo

Cilindrada (cm3) 1956

Diâmetro x curso (mm) 83,0 x 90,4

Taxa compressão 16,5

Potência máxima (cv/rpm) 170/4000

Binário máximo (Nm/rpm) 400/1750-2500

Tracção dianteira

Tipo Transmissão caixa manual de 6 vel.;

Suspensão (fr/tr) tipo McPherson / multi-link

Dimensões e pesos (mm) Comp./largura/altura 4986 / 1863 / 1500

Peso (kg) 1633 kg

Capacidade da bagageira (l) 560 

Depósito de combustível (l) 62

Prestações e consumos aceleração 0-100 km/h (s) 8,9; velocidade máxima (km/h) 223; Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) 4,3/6,9/5,3; emissões de CO2 (g/km) 139;

Preço da versão ensaiada (Euros) €45.230 (nível de equipamento Innovation)

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...