Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Renault Clio V terá Turquia como base de produção europeia

A Renault está a planear concentrar praticamente toda a produção da nova geração do seu utilitário Clio em fábricas fora de França, reporta a agência a Reuters, com base em fontes do setor.

DR

Além da fábrica turca de Bursa (foto), o Clio é atualmente também produzido em França (Flins) e na Eslovénia (Novo Mesto). O Renault Clio V tem chegada ao mercado anunciada para 2019.

Bursa já é a principal fábrica do Clio, na Europa. No ano passado, produziu 72% dos Clio IV vendidos na Europa, cabendo a Flins 15% e a Novo Mest0 13%. Para o Clio V, as percentagens evoluirão para 80% na Turquia, 14% na Eslovénia e 6% em Flins.

“Bursa será a fábrica principal do novo Clio, seguida de Novo Mesto. Flins fará o excedente, se aquelas duas unidades não satisfizerem a procura”, confirmou à Reuters uma fonte da Renault.

A produção de Flins será apenas nos 2-3 primeiros anos após o lançamento do Clio V, para responder a picos de vendas do novo modelo, quando as duas outras fábricas não conseguirem satisfazer a procura.

Fogto: Renault

A mudança permitirá à Renault reduzir os custos de produção do Clio e aumentar as vendas do modelo em mercados emergentes, como o turco.

O Clio é o modelo mais vendido da marca francesa na Europa e a transferência da produção para a Turquia é um dossier “politicamente sensível”, refere a Reuters, adiantando que em 2010, quando a Renault anunciou plano de transferir toda a produção do Clio para o estrangeiro o governo francês, então presidido por Nicolas Sarkozy, reagiu negativamente à medida pelo impacto que teria na indústria e no emprego.

No ano passado, foram vendidas 325 mil unidades da atual quarta geração Clio, na Europa, mais 3,9% que em 2016, o que lhe garantiu o segundo lugar no ranking dos modelos mais vendidos, atras apenas do Volkswagen Golf. Desde o lançamento da primeira geração, em 1990, o modelo soma já mais de 15 milhões de unidades vendidas.

Elétricos compensam saída do Clio

A Renault Flins emprega 2500 trabalhadores e espondeu no ano passado por cerca de 15% da produção do Clio. Além deste pequeno utilitário, a fábrica localizada en Aubergenville (Yvelines), produz também o Nissan Micra e é o centro exclusivo de produção o citadino elétrico ZOE.

Está agora nos planos da companhia para a produção de novos modelos eletrificados. Hoje, um em cada quatro veículos produzidos em Flins é um ZOE.

Foto: Renault

Na semana passada, a Renault celebrou a produção em Flins da unidade 100 mil do Zoe (foto), que desde 2015 é o líder de vendas no segmento dos elétricos na Europa. Desde o lançamento do modelo, em 2012, o ritmo de produção não cessou de aumentar, atingindo as 29 671 unidades, em 2017, contra as 19 115 de 2015 e as 12 718 de 2014.

A transferência do Clio para fora de França será assim compensada pelo aumento da produção nacional de veículos elétricos, tornando a medida mais aceitável por parte dos sindicatos e do Estado francês, um dos acionistas da referência da Renault.

A redução da produção do Clio em Flins, que no futuro não deverá ultrapassar as 25 mil unidades/ano, poderá, no entanto, não justificar o investimento necessário para atualizar a fábrica. A alternativa poderá passar por reservar a Flins a montagem de kits fabriocados e fornecidos pelas outras fábricas, simplificando as linhas de produção e baixando os custos do investimento na unidade francesa.

A próxima geração Clio será completamente diferente da atual, incorporando as últimas tecnologias de conetividade e ajudas à condução. Está prevista uma versão híbrida com motores elétrico e gasolina.

 

 

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
O gestor de pessoas algoritmo
Marketeer
Quer bilhetes para o Nos Alive? Faça a Filomena rir