Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio Nissan Qashqai ProPilot: condução quase autónoma

Claro que o estimado leitor já conhece, de ginjeira o Nissan Qashqai, mesmo que o modelo que serviu este ensaio estivesse equipado com caixa automática. Mas o que aqui interesse é mesmo o sistema Propilot.

[quote align=”right” color=”#999999″]Em autoestrada (o ProPilot), é muito agradável de utilizar, já em cidade ou em estradas nacionais, ainda falta algo mais. Apesar disso, é um belo sistema e rima muito bem com o Qashqai.[/quote]
Quando se fala de condução autónoma, lembramos, logo, os modelos da Tesla e os muitos projetos que continuam e banho maria que se diz que aparecem, mas não assomam ao postigo. A verdade é que todos os construtores aplicaram gorda fatia dos seus investimentos na condução autónoma e a aceleração que todos têm imprimido não deixa de ser relevante.

Ora, de onde menos se esperava chega um sistema já com muita qualidade, no caso o ProPilot da Nissan, aplicado ao Qashqai. Anunciado quando a casa japonesa lançou o Qashqai e materializado com o lançamento do Leaf, o ProPilot chega, agora, ao líder dos SUV e crossover. Fará este sistema diferença nas vendas, já muito boas, do Qashqai?

Para já o sistema está disponível com o motor turbodiesel mais potente (130 CV) acoplado à caixa automática XTronic, a versão Nissan de uma caixa de variação contínua. Experimentei o ProPilot ao volante de um modelo na versão Tekna+ que custa 39.150 euros. Calma… com a promoção da Nissan, fica em 34.150 euros, um valor razoável para um motor mais interessante que o de 110 CV e com a caixa que não é nada má, tenho de o dizer. Aliás, já o tinha referido aquando da apresentação europeia do X-Trail, esta versão da caixa CVT da Nissan é muito interessante.

Veja quanto é que lhe pode custar este Nissan Qashqai ProPilot

[xyz-ihs snippet=”Simulador Cetelem v2″]

O sistema de proteção inteligente, conhecido como Driver Assist Pack, inclui o Cruise Control Inteligente, o assistente de manutenção da faixa de rodagem, o “Traffic Jam Pilot” que ajuda o condutor no tráfego. Tudo isto funciona para criar o ProPilot que na Nissan, ao contrário daquilo que sucede em outras marcas, é controlado por um simples botão colocado no volante e que liga todas as ajudas de condução ao mesmo tempo, sem necessidade de andar a percorrer menus e sub-menus para ligar todos os sistemas que trabalham em conjunto para a condução, quase, autónoma.

“Agora, o Qashqai tem olhos, cérebro e músculos que detetam, analisam e ativam e controlam o funcionamento do carro.” Isto diz a Nissan na sua comunicação sobre o ProPIlot. E diz isso porque na realidade existem uma série de câmaras e de radares que funcionam em conjunto com o controlo da direção, travagem e o acelerador, que não fossem as limitações legais, poderia rolar quilómetros e quilómetros sem interrupção.

Porém, isso não é possível e por isso o ProPilot funciona mais ou menos como o sistema de “Cruise Control” conhecido do Qashqai. Basta ligar o botão, escolher a velocidade requerida e o sistema mantém a distância para o carro da frente. Desde que ande sempre acima dos 60 km/h, o sistema mantem o Qashqai dentro da faixa de rodagem com pequenos impulsos no volante. Claro que o sistema da Tesla ou da Mercedes faz tão bem ou melhor. Porém, o que impressiona no ProPilot é a forma suave e bem integrada do sistema na utilização do Qashqai. Não é tão agressivo quando encontra um putativo obstáculo – sim, a travagem ainda faz-se notar, mas é bem mais suave que outros sistemas – ou quando existe uma situação de pânico (para os sensores do ProPilot, bem entendido) e em todas as outras ocasiões, desacelera suavemente mostrando níveis de reação e atuação quase… humanos!

Confesso que depois de experimentar os sistemas da Mercedes e da Tesla, tinha algumas dúvidas sobre a eficácia e qualidade do ProPilot, mas a verdade é que a forma como funciona, a facilidade de utilizar e a forma “educada” como nos guia, levou-me a ligar, de forma quase automática, o ProPilot sempre que entrei numa autoestrada.

Em cidade as coisas são menos risonhas, mas também abaixo dos 60 km/h a sistema não funciona. E depois, em cidade, nenhum dos sistemas que conheço é bom, portanto…

Veredicto

Não é fabulosamente impressionante em termos tecnológico, mas o ProPilot da Nissan é um sistema semiautónomo que é agradável de utilizar, suave e fácil, mais que a maioria dos sistemas de outros construtores. Apenas um botão e tudo fica disponível. E em autoestrada, é realmente muito agradável de utilizar, bastando colocar as mãos por baixo do volante e dar uns pequenos toques para o sistema manter o Qashqai no rumo escolhido. Em cidade ou em estradas nacionais, ainda falta algo mais para permitir que seja plenamente eficaz. Apesar disso, para mim, é um belo sistema e rima muito bem com o Qashqai. É, sim, mais um motivo de interesse para o “rei” dos crossover. Por 34.150 euros…

FICHA TÉCNICA

Nissan Qashqai 1.6 dCi 130 XTronic ProPilot

Motor4 cilindros em linha, injeção direta, turbodiesel; Cilindrada (cm3)1598; Diâmetro x curso (mm)80 x 79,5; Taxa compressão15,4; Potência máxima (cv/rpm)130/4000; Binário máximo (Nm/rpm)320/1750; Transmissão e direcçãoTração dianteira, caixa CVT; direção de pinhão e cremalheira, com assistência elétrica; Suspensão(fr/tr)Independente tipo McPherson; eixo de torção; Dimensões e pesos(mm)Comp./largura/altura 4394/1806/1590; distância entre eixos 2646; largura de vias (fr/tr) 1560/1560; travões fr/tr. Discos vent./discos; Peso (kg)1410;Capacidade da bagageira (l)430/1585;Depósito de combustível (l)55; Pneus (fr/tr)225/45 R19; Prestações e consumos aceleração 0-100 km/h (s) 11,1; velocidade máxima (km/h) 183; Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) 4,4/5,3/4,7 (consumo real medido 5,4 l/100 km); emissões de CO2 (g/km) 122; Preço da versão ensaiada (Euros)34.150

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...