Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

GM vai fechar 8 fábricas e despedir 14 mil trabalhadores

A General Motors (GM) vai fechar oito das suas fábricas em todo o mundo (quatro nos EUA), o que implicará uma redução de 15% no número de trabalhadores – serão cerca de 14 mil os afetados – até final de 2020. 

Foto: GM

Em comunicado publicado no site oficial (aqui), a General Motors afirma que esta é a forma de se tornar mais rentável, ajustando-se à evolução na sua área de negócio. Assim, a empresa vai reduzir a produção e os postos de trabalho, e deixar de produzir alguns modelos (como os Chevrolet Volt, Impala e Cruze, os Cadillac CT6 e XTS, e o Buick LaCrosse). Um plano que deverá permitir um poupança anual de cerca de 6 mil milhões de dólares (mais de cinco mil e duzentos milhões de euros).

Além das instalações em Gunsan, na Coreia do Sul – a empresa já tinha anunciado o seu encerramento anteriormente – a GM anunciou que irá encerrar quatro fábricas nos EUA (em Detroit, Maryland, Michigan e Ohio), uma no Canadá (em Oshawa, Ontario) e duas outras fora da América do Norte (não especificando onde).

“As medidas que estamos a tomar fazem parte da nossa transformação para sermos ágeis, resilientes e rentáveis, ao mesmo tempo que nos dão flexibilidade para investir no futuro”, afirmou Mary Barra, CEO da GM, em comunicado. “Reconhecemos a necessidade de nos anteciparmos às mudanças nas condições de mercado e das preferências dos clientes para posicionar a nossa empresa para o sucesso a longo prazo”.

Recorde-se que as pressões de custos sobre a GM e fornecedores têm vindo a aumentar devido à quebra na procura de automóveis ditos tradicionais e aos custos associados às tarifas de Trump sobre o aço e o alumínio.

Entretanto, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, exprimiu a sua indignação tendo mesmo telefonado a Mary Barra, e também o primeiro-ministro canadiano Justin Trudeau lamentou a estratégia da empresa norte-americana.

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...