Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio: Mazda MX-5 1.5 Soft Top – Em modo analógico

O Mazda MX-5 foi atualizado para um novo ano, com elementos que conseguem melhorar o seu prazer de condução enquanto mantêm a sua essência inalterada.

Se fosse feito à escala e crescesse alguns centímetros, o Mazda MX-5 seria o roadster perfeito para todos os entusiastas deste género de modelo. Assim, será apenas perfeito para quem se conseguir instalar confortavelmente no seu habitáculo. O pequeno descapotável de dois lugares, motor dianteiro e tração traseira da Mazda aposta da redução de peso para conseguir extrair o máximo de prazer de condução de todo o conjunto e eleva ao extremo o conceito Jinba Ittai da marca nipónica, que no condutor e no carro como um só.

Para muitos, este género de conversa e afirmações já poderá soar bastante estranho, mas para quem gosta efetivamente de conduzir e de automóveis, tudo isto faz todo o sentido. E neste aspeto, o Mazda MX-5 é dos melhores automóveis que podemos ter à nossa disposição. O seu peso reduzido, a precisão de todos os comandos, o feedback que nos traz às mãos através do volante, ao assento, aos pedais e através de diversos outros componentes, despertam-nos os sentidos para querermos conduzir mais e mais, saindo de casa de propósito para o fazer apenas porque sim. Até a capota de lona, com um comando totalmente manual e que se pode usar em poucos segundos, nos remete para o visual mais clássico dos roadsters, ainda que agora, com a possibilidade de trancar a mesma no seu lugar, mesmo quando está aberta e com uma proteção térmica mais moderna, que nos deixa conduzir este modelo em pleno Inverno sem grandes dissabores. E o melhor de tudo, é que o MX-5 nem sequer custa uma fortuna.

A mais recente atualização deste modelo, que se encontra atualmente na sua quarta geração (e com uma história de quase 30 anos na bagagem), conta com uma nova tonalidade para as jantes de liga leve de 16 polegadas da versão de acesso que aqui lhe mostramos e a capota de lona pode ter, em opção, uma nova cor castanha. As unidades que incluem o sistema multimédia MZD Connect, como o da unidade ensaiada, passam a ter disponível a função de conectividade com o smartphone, seja através do sistema Apple CarPlay ou do Android Auto. A bordo, os suportes dos copos são mais robustos e têm um novo desenho e a abertura das portas também recebeu melhorias no seu mecanismo.

Mas o melhor, deixámos mesmo para o fim. É que, agora, os Mazda MX-5 passam a contar com a presença da regulação em profundidade e em altura da coluna da direção, e de uma forma bastante ampla, o que permite obter uma postura mais correta ao volante e deixa que o MX-5 possa ser conduzido por pessoas com uma estatura mais acima da média. Além disso, os comandos para a regulação dos assentos também são agora mais robustos e precisos, com o objetivo de ajudar a encontrar a melhor posição de condução possível.

Depois de tudo ajustado, resta escolher uma das nossas estradas preferidas e arrancar. As dimensões deste pequeno roadster, com pouco mais de 1,20 de altura, deixam-nos ao lado das portas de muitos dos SUV que andam pela cidade, mas assim que nos afastamos da confusão, começamos de imediato a sentir que o MX-5 se deixa conduzir com uma simplicidade e precisão incríveis e que a motorização de 1,5 litros, apesar de não estar pensada para prestações dignas de rivalizar com alguns dos desportivos que costumam andar por estas mesmas estradas, tem uma voz mais grossa e que explora todos os seus 132 cavalos da melhor forma possível.

Mais uma vez, é o peso do conjunto abaixo de uma tonelada que faz a maior parte da magia, mas claro que os triângulos duplos na suspensão dianteira e solução multibraços para o eixo posterior também são uma das configurações mais desejadas para um modelo com estas caraterísticas. A direção tem uma precisão milimétrica, que nos deixa apontar a frente para a zona da curva em que queremos passar mas, ao mesmo tempo, também nos dá uma ajuda na gestão da tração do eixo traseiro, que pode ficar mais “leve” em algumas situações.

A condução do Mazda MX-5 está na categoria em que o seu custo praticamente nem sequer é comentado, mas claro que vamos chegar a uma altura em que será inevitável parar para beber um café e o seu preço será, garantidamente, um dos temas da conversa. Mas não fique triste. Com esta motorização de 1,5 litros e com o nível de equipamento mais recheado, ao qual nem sequer falta o sistema de navegação, os estofos em pele, o ar condicionado automático e o sistema de som da Bose, com altifalantes nos encostos de cabeça para poder ouvir a voz de quem lhe possa telefonar a meio de uma sessão de condução, o Mazda MX-5 fica com um preço de 31.655 euros, mais 400, se desejar um tom com pintura metalizada. A versão base não fica muito acima dos 25 mil euros, mas com um equipamento bastante reduzido e se optar pela versão com motor de dois litros, o preço andará mais em torno dos 40 mil euros. Mas neste ponto, já tudo depende daquilo que está disposto a pagar por um prazer de condução puro, que casa na perfeição com os melhores dias de primavera que se aproximam.

VEREDICTO

O Mazda MX-5 continua a ser o modelo que tem uma imagem no dicionário quando falamos em roadster. O motor à frente, tração atrás, descapotável, com um peso reduzido e uma distribuição de pesos perfeita é a melhor receita existente para este tipo de modelos. E com a motorização 1.5, é possível manter um ritmo interessante, sem que se torne mais complicado utilizar este modelo numa qualquer rotina diária. Até porque este motor também permite que o seu preço fique num patamar muito interessante. E com a inclusão da ampla regulação em altura e profundidade de coluna da direção, o prazer de condução do MX-5 pode chegar a ainda mais condutores.

FICHA TÉCNICA

Mazda MX-5 Soft Top 1.5 SKYACTIV-G 132cv Excellence Navi

MOTOR: 4 cilindros em linha; Cilindrada (cm3): 1.496; Potência máxima (cv/rpm): 132/7.000; Binário máximo (Nm/rpm): 152/4.500; TRANSMISSÃO: Tração traseira; Caixa manual de 6 velocidades; Suspensão (fr./tr.): Independente, com triângulos duplos; Multibraços; DIMENSÕES: Comprimento/Largura/Altura (mm): 3.915/1.735/1.225; Distância entre eixos (mm): 2.310; Largura de vias (fr./tr.) (mm): 1.495/1.505; Travões (fr./tr.) Discos vent./Discos sólidos; Peso (kg): 986; Capacidade da bagageira (l): 130; Depósito de combustível (l): 45; Pneus (fr./tr.): 195/50 R16; PRESTAÇÕES: Aceleração de 0-100 km/h (s) 8,3; velocidade máxima (km/h) 204; CONSUMOS: Urbano/Extraurbano/Combinado (l/100 km): 8,8/5,5/6,3; Emissões de CO2 (g/km) 145; PREÇO (versão base): 31.655 euros; PREÇO (unidade ensaiada): 32.055 euros

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...