Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Já conduzimos o Renault Scénic em solo nacional

Apesar de já terem passado uns anos desde a sua apresentação, só agora se justifica a entrada em comercialização do monovolume de tamanho médio da Renault.

A Renault vai finalmente trazer o seu Scénic até ao mercado nacional. Finalmente porque, quase sem darmos por isso, já passaram praticamente três anos desde que estivemos presentes na apresentação internacional deste modelo no sul de França. As dificuldades por que os condutores portugueses têm de passar no que diz respeito às classes de portagens fez com que apenas a versão mais longa deste modelo, o Grand Scénic, tivesse chegado ao mercado com a sua lotação de sete lugares, deixando o mais convencional formato de cinco na prateleira, até que surgisse um momento mais propício para a sua entrada no mercado.

Agora que houve alguns ajustes no assunto das classes de portagem, também o Scénic de cinco lugares pode pagar apenas classe 1 se estiver equipado com o sistema de pagamento automático da Via Verde e, por isso, é a altura certa para a Renault o trazer para o mercado nacional. Mas não é só por isso que esta é o momento perfeito. Na lista de novidades da marca francesa está também a nova motorização a gasolina de 1,3 litros, sobrealimentada, com três patamares de potência (115, 140 e 160 cavalos), e que também passa a estar disponível com os dois formatos de carroçaria do Renault Scénic. Em paralelo, está também a chegar ao mercado a nova motorização diesel Blue dCi com 120 e 150 cavalos, que fará parte de diversas gamas da Renault, incluindo o Scénic.

O nome Scénic é um daqueles que associamos muito à história da marca francesa, tal como o Clio ou o Mégane, ou mesmo o Twingo ou o Espace. É um nome com diversos anos de história e que foi um dos principais responsáveis pela criação deste subsegmento dos monovolumes de tamanho médio que ainda continuam a ser a ferramenta perfeita para transportar famílias na sua rotina do dia-a-dia.

Apesar de os SUV continuarem a aumentar a sua presença nas tabelas de vendas, a verdade é que são os monovolumes deste tamanho que oferecem a maior dose de versatilidade e facilidade de condução. No Renault Scénic, por exemplo, os espaços de arrumação são mais que muitos e têm capacidade para arrumar a maioria das tralhas que muitos de nós carregamos no dia-a-dia. As costas dos assentos dianteiros contam com tabuleiros capazes de transportar diversos objetos, em vez de um convencional porta-luvas está presente uma enorme gaveta, capaz de receber bebidas, por exemplo e a bagageira de 572 litros (na sua configuração mais acanhada) tem capacidade suficiente para as malas e sacos que os passageiros possam querer transportar a caminho de uns dias de férias. Além disso, o banco do passageiro dianteiro também se pode rebater, caso queira transportar uma prancha, por exemplo, e a sua modularidade é semelhante à que encontramos no monovolume Espace.

Na componente da tecnologia e além de todos os sistemas de segurança que já conhecemos das gamas Mégane e Talisman, por exemplo, o novo Scénic passa também a incluir o sistema de travagem ativa com deteção de peões, disponível a velocidades entre os sete e os 60 km/h. Na parte mais funcional e mais visível, conte também com a presença do R-Link com o seu ecrã tátil de 8,7 polegadas, que inclui os sistemas de navegação, os comandos do sistema de som da Bose e diversos outros que podem ser configurados através deste monitor.

Depois de tudo isto, no entanto, não fique a pensar que o Scénic tem aquele visual chato e simples, que está a levar diversos clientes a optar pela moda dos SUV. O novo Scénic é bastante apelativo, principalmente na configuração com a carroçaria de duas cores, como nas imagens e com cores mais dinâmicas e irreverentes, em vez dos tradicionais tons de cinzento e negro. E tudo isto com a presença das jantes de 20 polegadas, presentes de série em todas as versões do Scénic, sendo esta a única escolha possível para este modelo, graças a um trabalho intensivo entre a marca francesa e o construtor de pneus. Não só ficam garantidas melhores notas no conforto, no comportamento dinâmico e no consumo, tal como foi possível confirmar numa primeira impressão de condução ao volante deste modelo, como se promete que os seus preços não alcancem valores astronómicos, característicos nas medidas que acompanham as jantes de maiores dimensões.

O início da comercialização do Renault Scénic (e a continuação do Grand Scénic) está marcado para o final deste mês de fevereiro, com as motorizações diesel a ficarem adiadas para o mês seguinte. Os preços começam nos 30.770 euros, havendo a opção de caixa manual ou automática EDC de dupla embraiagem.

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...