Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ao volante da nova geração do Mazda 3, apresentada em solo nacional

A Mazda deu início a um processo de renovação total da sua gama e o primeiro modelo da lista é o seu Mazda3. A apresentação internacional à imprensa decorreu em Portugal e nós já tivemos oportunidade de conduzir este novo modelo.

A Mazda acabou de dar início a um grandioso ciclo de renovação, que irá incidir em todos os modelos da sua gama. E para começar, nada melhor do que apostar em um dos modelos que mais vendas registou ao longo dos últimos anos. O Mazda3 original foi introduzido no mercado em 2003 e desde essa altura já foram comercializadas mais de seis milhões de unidades no mundo inteiro, sendo que um milhão destas se referem apenas ao mercado europeu.

A nova geração do Mazda3 representa um enorme salto qualitativo e tecnológico, pois é neste modelo que serão introduzidas as mais recentes soluções da marca nipónica, que têm vindo a ser desenvolvidas e aperfeiçoadas ao longo dos últimos tempos. Entre elas está o próprio desenho da carroçaria, sobre o qual já falamos diversas vezes. Quem ainda não ouviu falar do design Kodo ou da alma em movimento? Bem, até este ponto o Mazda 3 está mais evoluído. Os painéis de carroçaria deste modelo são agora mais curvos e têm as suas superfícies pensadas para oferecer diversos contrastes de cor consoante a luz que incide sobre eles. A berlina de cinco portas continua a ter um visual mais desportivo e dinâmico, enquanto a carroçaria de quatro portas oferece uma solução mais clássica e elegante. Em termos de cores, o Soul Red ainda é o que nos continua a chamar mais a atenção, mas a nova cor Polymetal Grey também conseguiu ganhar um bom destaque entre todas as unidades que estavam disponíveis para ensaio.

No habitáculo, as arestas desnecessárias também desapareceram, tal como no exterior, e a primeira impressão é que a Mazda se continua a focar essencialmente no posto de condução e na ligação entre o humano e a máquina. Ou seja, a posição de condução continua a ser excelente, com regulações ainda mais amplas na coluna da direção do que acontecia até agora e muitos dos comandos foram revistos, o que permite uma melhor e mais simples utilização. O comando da caixa de velocidades, por exemplo, está agora um pouco mais à frente e ligeiramente mais acima, num ponto que permite um ângulo mais natural ao braço. Ao mesmo tempo, o comando do sistema multimédia passou para uma posição mais acessível e tem um funcionamento mais simples e intuitivo. Além disso, a imagem do habitáculo também é completamente nova e repensada, com muito menos elementos de distração e áreas mais limpas de traços e junções provocadas pela utilização de diversos componentes.

A insonorização a bordo foi bastante cuidada e é um dos elementos de que nos apercebemos de imediato, assim que nos sentamos a bordo do novo Mazda3 e fechamos a porta, o que também deu uma ajuda no desenvolvimento dos novos sistemas de som disponíveis para este modelo. Graças a uma nova colocação dos altifalantes e a um estudo melhorado sobre a forma como o som chega aos passageiros, os novos sistemas de som soam ainda melhor, com uma qualidade mais definida e detalhada, especialmente quando ouvimos o sistema topo de gama, desenvolvido especificamente pela Bose para este modelo.

Para visualizar todas as funções e informações, o Mazda3 conta agora com um monitor central de 8,8 polegadas colocado na zona superior do tablier, que pode ser comandado através do comando rotativo existente entre os assentos dianteiros. Mesmo à frente do condutor, o painel de instrumentos é agora totalmente digital, ainda que mantenha os mostradores circulares de visual mais tradicional. Além disso, os processadores do sistema são mais evoluídos e mais rápidos e todo o grafismo do sistema de info-entretenimento foi renovado para, mais uma vez, facilitar o trabalho do utilizador, deixando mais focado e concentrado na condução.

A gama de motores passa a contar com a opção diesel de 1,8 litros e 116 cavalos, que substitui, em simultâneo, as opções 1.5 e 2.2, e que pode ser disponibilizada com uma caixa de velocidades manual ou uma automática, ambas de seis relações. Mas a grande evolução está mesmo no motor a gasolina Skyactiv-G, com uma capacidade de dois litros, 122 cavalos e um binário máximo de 213 Nm. Esta motorização inclui a tecnologia mild hybrid de 24V, que adiciona a nova tecnologia de propulsão elétrica.

Trata-se de um conjunto integrado de motor de arranque e gerador, acionado por correia, que converte a energia cinética recuperada pela desaceleração em energia elétrica, armazenando-a numa bateria de iões de lítio específica deste sistema e com uma capacidade de 600 kj. Depois, o sistema consegue usar esta mesma energia para alimentar o motor elétrico integrado, que dispensa muito do trabalho do motor térmico, o que acaba por se refletir em médias de consumo mais comedidas e emissões poluentes mais reduzidas.

Mas não é só. O motor 2.0 a gasolina que está presente no Mazda3 também passa a contar com a tecnologia de desativação de cilindros, desligando dois dos quatro existentes sempre que não estão a ser necessários.

Além de tudo isto, a nova geração do Mazda viu ainda melhorados diversos pontos de conforto através da eliminação de vibrações e ruídos desnecessários, mas também dos equipamentos de segurança ativa e passiva, dos quais destacamos o sistema de monitorização do condutor, que utiliza uma camara para detetar e avaliar o seu nível de atenção, o sistema FCTA (Front Cross Traffic Alert), que deteta outros veículos em ângulos mortos e informa o condutor da sua presença e diversos outros que passam a estar presentes neste modelo, consoante o seu nível de equipamento.

A carroçaria de cinco portas, que mais procura tem no nosso mercado, já se encontra disponível para encomenda nos concessionários da marca, com as motorizações a gasolina de 122 cavalos e diesel com 116 cavalos. Vão estar presentes dois patamares de equipamento, Evolve e Excellence, sendo que, para o primeiro, estão disponíveis quatro pacotes de equipamento opcional e o segundo já inclui todos eles no seu equipamento de série. Os preços começam nos 26.409 euros da versão Evolve com motor a gasolina e nos 30.305 euros da versão diesel com o mesmo nível de equipamento.

Para Junho, fica agendada a chegada da carroçaria de três volumes e quatro portas que, apesar de não ter muita procura no nosso mercado, parece visualmente muito equilibrada e com um visual de Mazda6 mais compacto. Os preços desta opção começam nos 26.442 euros para a versão de acesso com motor a gasolina ou nos 30.307 euros caso se prefira o motor diesel de 1,8 litros e 116 cavalos de potência.

E por agora, resta esperar pelos próximos frutos desta renovação da gama, sendo que o segundo modelo deste processo, o SUV CX-30, já foi apresentado recentemente em Genebra.

OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...