Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio: Mercedes-Benz G350d – Ícone renascido

Tal como a Fénix que renasce das cinzas, o Classe G regressa ao mercado, renovado e mais atual, como se tivesse sido desenhado e projetado de novo. E foi mesmo!

Os puxadores das portas com um botão em que temos mesmo de carregar para as abrir, as dobradiças das portas à face da carroçaria em vez de escondidas algures no seu interior e o visual “quadradão” que carateriza este modelo, poderão deixar dúvidas na cabeça de quem passa por ele numa estrada ou no meio do trânsito. Assim de repente, este Classe G é precisamente aquele com que nos cruzamos há algumas décadas, mas se olharmos com mais atenção vamos perceber que não é bem assim.

A Mercedes-Benz voltou a colocar o Classe G no mercado, mas esta manobra não foi fácil. Afinal, o mundo automóvel está totalmente diferente do que era no final dos anos 70, altura em que o Classe G chegou ao mercado. Atualmente, os fabricantes de automóveis lidam com muito mais normas e regras do que acontecia na altura, pelo que não é fácil manter um modelo em comercialização durante tanto tempo. Só que, no caso do Classe G, trata-se de um dos ícones da marca e de mundo automóvel. É por causa deste “G” que todos os SUV da marca têm esta letra na sua designação.

Para deixar este modelo mais atual e competitivo, a Mercedes-Benz optou por construí-lo de novo. Desenhou uma nova carroçaria, com novos materiais, mas com os mesmos traços, para que este modelo fosse facilmente identificado como um G. No entanto, a largura da carroçaria é bem mais generosa, o sistema de iluminação é totalmente em LED e há diversos outros luxos com que o G nem sequer tinha sonhado até agora.

No habitáculo, fruto da maior largura da carroçaria, há agora muito mais espaço e a posição de condução é mais correta. Em frente ao condutor, está um painel de instrumentos totalmente digital, ladeado por um outro monitor, com o mesmo tamanho e que inclui os mapas do sistema de navegação, as afinações do sistema de som da Burmester e até os controlos da iluminação ambiente, entre diversas outras funções.

Na consola central, mesmo a meio do tablier, no entanto, está algo que não sofreu qualquer alteração e que só mesmo este modelo tem: a possibilidade de bloquear o diferencial central, o traseiro e o dianteiro. E na consola entre os assentos dianteiros, além do comando tátil que identifica gestos e o seletor dos modos de condução, está o botão que ativa as redutoras. Em conjunto com o bloqueio dos diferenciais e com a força do motor 3.0 de seis cilindros em linha, com 286 cavalos de potência e 600Nm de binário (disponíveis logo após as 1.200 rpm), o Classe G consegue-nos levar a locais que a grande maioria dos automóveis e SUV’s que andam pelo mercado nem sonham que existem.

Além do conforto que o Classe G passou a incluir a bordo, com os materiais de melhor qualidade e uma montagem a condizer, este verdadeiro todo-o-terreno de duas toneladas e meia, ainda se deixa conduzir em estrada com um bom controlo de carroçaria e sem movimentos disparatados como costuma acontecer com este género de modelos. E assim que saímos de estrada, é quando começam os momentos mais divertidos. Se olharmos para o mapa e para a zona onde queremos ir, com o Classe G nem sequer temos de seguir um trilho, podemos “afastar” uns arbustos e um ou outro monte de terra e seguir em frente. Podemos passar por cima dos desníveis que limitam o acesso à grande maioria dos automóveis sem sequer mudar de direção e enfrentar aquela subida íngreme de piso mais irregular, com cruzamentos de eixos pelo meio, com a temperatura a bordo nos mesmos 21 graus e sem alterar a playlist que estamos a ouvir através do sistema de som.

Mas o mais divertido, é mesmo quando chegamos a topo dessa mesma subida e nos lembramos que nem sequer usámos as redutoras ou os bloqueios dos diferenciais, o que nos prova que o Classe G nos consegue levar a locais que, afinal, nem sequer nós imaginamos e que lhe solicitámos apenas pequenas amostras daquilo que consegue fazer na realidade. Para nós, o mais complicado foi mesmo a entrada em algumas garagens e centros comerciais. É que, num modelo com quase dois metros de altura, por vezes, o teto está mesmo ali ao alcance da mão quando espreitamos pelo teto de abrir.

Como já deve estar a adivinhar, um pedaço de história automóvel com quarenta anos como o Mercedes-Benz Classe G requer um cheque avultado para que tenha a oportunidade de o colocar a dormir na sua garagem durante uns anos. E este novo modelo torna as coisas ainda mais complicadas devido a toda a tecnologia, requinte e carisma que inclui. O modelo que vê nas imagens é a única opção da gama equipada com um motor diesel e o seu preço de tabela é de 163.350 euros, ainda que a unidade que tivemos oportunidade de ensaiar e todos os seus extras já façam este valor passar para cima dos 184 mil euros.

O G500 e o G63 AMG com o seu V8 Biturbo de 585 cavalos tornam as coisas ainda mais complicadas em termos de preço, mas este ainda é dos modelos que se sai muito bem com um diesel e que não está muito preocupado com o que possam dizer sobre este tipo de combustível. E nas portagens, escusa de perguntar qual é a classe de portagem…

VEREDICTO

Quarenta anos depois do primeiro Classe G ter chegado ao mercado, o novo modelo não parece estar assim tão diferente. Mas isso é apenas porque as maiores diferenças são daquelas que não se veem facilmente. O Classe G continua a ser um modelo incrível para quem não gosta de andar em asfalto e mantem-se como um pedaço de história do mundo automóvel.

Texto e imagens: André Mendes

FICHA TÉCNICA

Mercedes-Benz G350d

MOTOR:6 cilindros em linha; injeção direta; Cilindrada (cm3): 2.925; Potência máxima (cv/rpm): 286/3.400-4.600; Binário máximo (Nm/rpm): 600/1.200-3.200;
TRANSMISSÃO:Tração integral permanente; Caixa automática 9G-Tronic de 9 relações; Suspensão (fr./tr.): Independente, de triângulos sobrepostos; Eixo rígido;
DIMENSÕES:Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.817/1.931/1.969; Distância entre eixos (mm): 2.890; Largura de vias (fr./tr.) (mm): 1.638/1.638; Travões (fr./tr.) Discos vent./Discos vent.; Peso (kg): 2.451; Capacidade da bagageira (l): 454; Depósito de combustível (l): 75; Pneus (fr./tr.): 265/60 R18;
PRESTAÇÕES:Aceleração de 0-100 km/h (s) 7,4; velocidade máxima (km/h) 199;
CONSUMOS:Urbano/Extra-urbano/Combinado (l/100 km): n.d./n.d./9,6; Emissões de CO2 (g/km) 252;

PREÇO (versão base):163.350 euros
PREÇO (unidade ensaiada):184.502 euros

As três gerações do Mercedes-Benz Classe G
Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
APG e ABRH assinam acordo de cooperação
Marketeer
Escape Game Week: jogos de fuga com descontos até 50%