Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ao volante da nova geração do Renault Clio

A quinta geração do Clio chega apenas em setembro, mas já tivemos a oportunidade de conduzir em solo nacional e perceber porque é que vai agitar o segmento.

Faltam cerca de três meses até à nova geração do Renault iniciar a sua comercialização no nosso mercado, mas como a sua apresentação internacional à imprensa se encontra a decorrer em Portugal, já tivemos oportunidade de conduzir este novo modelo em solo nacional, em muitas das estradas que tão bem conhecemos.

 

Com mais de quinze milhões de unidades comercializadas o Renault Clio é um daqueles modelos que todos conhecemos. Muito provavelmente está a ler este texto ao lado de um neste preciso momento ou consegue contar dois ou três à sua volta, ou então conhece alguém que tenha ou já teve uma destas quinze milhões de unidades, separadas por cinco gerações.

À primeira vista, este novo modelo não parece muito diferente do seu antecessor, mas olhe com mais atenção para as imagens. A nova geração do Renault Clio é totalmente nova. Comecemos pela carroçaria, que é uns milímetros mais curta que a anterior geração, mas que conta com um desenho mais agressivo. Há novos vincos no capot, uma faixa lateral na carroçaria que se prolonga pela carroçaria, sistemas de iluminação em led (de série em todas as versões) e um visual mais moderno.

Apesar da medida mais curta no comprimento, o espaço disponível no habitáculo é agora mais amplo, graças a uma otimização do desenho dos mais variados componentes, como os assentos, a coluna da direção ou mesmo o tablier, em buscar de todo e qualquer milímetro que estivesse por ser descoberto. Além disso, o incremento de qualidade é também visível desde o primeiro momento. Há muitas mais zonas com materiais moles e agradáveis ao toque e um ambiente mais requintado e tranquilo, com uma insonorização bem mais cuidada.

Ao volante do novo Clio, tudo parece ser agora mais tranquilo, graças a um conforto acústico bastante melhorado e o novo desenho do tablier faz com que o condutor se sinta ainda mais envolvido em todo este ambiente. Mesmo ao centro da consola está a nova geração do sistema R-Link, que pode incluir um monitor tátil de até 9,3 polegadas, vertical, e é compatível com os sistemas Android Auto e Apple CarPlay, para que possa ouvir a música que tem armazenada no seu telefone. E neste caso, a melhor forma de o fazer é através do sistema de som da Bose, desenvolvido especificamente para o Clio, que conta com nove altifalantes e um generoso subwoofer que, pela primeira vez, está integrado numa zona lateral da carroçaria e não requer um espaço específico na bagageira.

Tal como lhe referimos anteriormente, o habitáculo do Clio conta agora com cotas de habitáculo mais generosas e apesar de se tratar de um segmento B, não é complicado encaixar duas pessoas de tamanho mais volumoso na fila de assentos traseira e ainda deixar espaço para uma bagageira que chega agora perto dos 400 litros de capacidade. Além disso, o espaço a bordo pode ser personalizado através de um sistema de iluminação em led que pode variar entre oito cores, consoante o modo de condução escolhido (Normal, Sport ou Eco) ou gosto pessoal. Mesmo em frente ao condutor, o novo painel de instrumentos é digital, mas será ainda evoluído em breve para uma versão que terá a área total da instrumentação.

Em termos de motorizações, a nova geração do Renault Clio aposta nos dois blocos a gasolina que tínhamos disponíveis neste evento: o novo motor 1.0 TCe de 100 cavalos e um 1.3 com uma potência de 130 cavalos. O primeiro conta com uma caixa de velocidades manual de apenas cinco relações, enquanto o segundo já inclui uma automática EDC de dupla embraiagem de sete relações. Na altura do lançamento, o Clio também terá disponíveis opções com motor diesel, equipadas com o bloco de 1,5 litros com 86 e 115 cavalos de potência, contando ambos com uma caixa de velocidades manual de seis relações.

No capítulo da segurança a nova geração do Clio também volta a surpreender, uma vez que inclui diversos dos sistemas que normalmente só estamos habituados a encontrar em segmentos mais elevados. Durante este evento, por exemplo, já tivemos oportunidade de testar algumas das funções destinadas à condução autónoma e que o Renault irá incluir num futuro próximo, tais como a manutenção de faixa de rodagem ativa, o programador de velocidade adaptativo e o assistente de pára-arranca no trânsito, que imobiliza o Clio numa fila de trânsito e o faz voltar a andar, mantendo sempre a distância para o carro que se encontra à nossa frente.

Tal como referimos no início ainda não há preços disponíveis para a nova gama Clio, uma vez que estes ainda estão a ser finalizados. Estará disponível uma versão Intens, a laranja que vê nas imagens e uma R.S. Line de visual mais desportivo, com uma suspensão um pouco mais firme. E mais tarde, chegará também ao mercado uma Initiale Paris, que ocupará o lugar de topo na gama e contará com os melhores materiais e o ambiente mais requintado a bordo.

Para o próximo ano, a gama Renault terá imensas novidades no tema da eletrificação e o Clio será incluído neste tema com uma nova motorização híbrida, com dois motores elétricos e um térmico capazes, segundo as informações da marca, de reduzir as médias de consumo drasticamente e usar o motor elétrico em cerca de 80 por cento do tempo em ambiente urbano.

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Marketeer
Os principais desafios do marketing para 2020