Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio: Toyota Camry Hybrid – Regresso à europa

Passaram 15 anos que o Toyota Camry nos abandonou, mas agora que conta com uma nova geração, está de regresso e com vontade de recuperar o tempo perdido.

A Toyota parece estar finalmente a apostar num dos seus principais trunfos. Um que é tão importante que até nos parece estranho que tenha sido posto mais ou menos de parte ao longo dos últimos anos. Estamos a falar da história da marca e da experiência que tem registado ao longo das últimas décadas, sendo das poucas marcas que pode afirmar ter na sua gama alguns dos modelos mais vendidos do planeta.

Apenas uns meses depois de termos assistido ao regresso do nome Corolla ao mercado, é agora o momento de recebermos outro nome de que já não ouvíamos falar há uns anos. Trata-se do Toyota Camry, ausente das lides europeias durante cerca de 15 anos, mas que conta agora com uma nova geração e vai regressar a solo europeu.

A única versão disponível, como não poderia deixar de ser, é a que conta com o sistema híbrido mais avançado da gama e a mesma que encontramos em modelos como o Toyota RAV4, por exemplo. Trata-se de uma motorização a gasolina de 2,5 litros de capacidade, em combinação com um motor elétrico. A potência combinada do sistema é de 218 cavalos, o que lhe permite alcançar os 180 km/h e os 8,3 segundos na aceleração dos 0 aos 100 km/h.

Apesar disto e como já deve ter suspeitado, não são as prestações que mais queremos explorar no novo Toyota Camry e sim a sua simplicidade de funcionamento e a tranquilidade com que se faz deslocar pela cidade, mesmo nos momentos em que há um pouco mais de trânsito do que o desejado. O sistema de som da JBL ajuda a obter a serenidade nestes momentos, mas as médias de consumo em torno dos seis litros também dão uma ajuda. Consoante o estado de espírito, é possível optar entre três modos de funcionamento distintos (Eco, Normal e Sport), que ajustam a resposta ao acelerador, influenciando o ritmo a que nos deslocamos.

Os assentos traseiros contam com algumas das mordomias dignas de um topo de gama, tais como as costas reclináveis com comando elétrico, as cortinas laterais e traseira para ajustar a privacidade a bordo, mas também uma consola central tátil com todos os comandos necessários para regular o ar condicionado e a posição dos assentos, mas também o sistema de som. E depois, o espaço. Quem optar por viajar nos lugares traseiros do novo Camry, dificilmente terá de se preocupar com espaço para as pernas. O mesmo acontece com a volumetria da bagageira, que parece explorar todo e qualquer centímetro cúbico disponibilizado pela carroçaria, somando qualquer coisa como 524 litros de capacidade.

Nos lugares dianteiros, a posição de condução é tipicamente nipónica e colocada num patamar mais elevado, mas todos os componentes estão no lugar correto. No centro do tablier, o monitor tátil conta com o mesmo grafismo que já conhecemos de diversos outros modelos, mas oferece uma boa interação, sem grandes dificuldades em percorrer menus em busca das mais variadas funções. No entanto, um dos elementos que mais nos cativa o olhar é a originalidade dos acabamentos da consola central e da zona do tablier em frente ao passageiro que parece ser madeira, mas que é uma espécie de escultura com um efeito tridimensional que confere um visual mais moderno ao habitáculo.

Para quem está de fora, o formato de três volumes e o tom mais escuro da carroçaria, lapidada com muitos dos traços mais vincados que constituem a imagem mais moderna da Toyota, transformam o Camry num modelo executivo e elegante, que nem parece ter um preço abaixo dos 50 mil euros, mesmo quando consideramos a versão mais equipada das três disponíveis para o mercado nacional.

VEREDICTO

O Camry entra diretamente para o topo da gama Toyota, passando a ser o seu representante no segmento dos grandes familiares. Inclui um elevado nível de conforto e um ambiente tranquilo a bordo, mas também uma solução híbrida capaz de registar médias de consumo reduzidas e uma condução simples e descontraída. E tudo isto, por um preço que se mantém abaixo da fasquia dos 50 mil euros.

Texto e imagens: André Mendes

FICHA TÉCNICA

Toyota Camry 2.5L Hybrid Dynamic Force

MOTOR: 4 cilindros em linha; injeção direta e indireta; Cilindrada (cm3): 2.487; Potência máxima (cv/rpm): 218/5.700.; Binário máximo (Nm/rpm): 221/3.600-5.200;
TRANSMISSÃO: Tração dianteira; Caixa automática de variação contínua (CVT); Suspensão (fr./tr.): Independente, tipo McPherson; Independente, com triângulos sobrepostos;
DIMENSÕES: Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.885/1.840/1.445; Distância entre eixos (mm): 2.825; Largura de vias (fr./tr.) (mm): 1.580/1.580; Travões (fr./tr.) Discos vent./Discos sólidos; Peso (kg): 1.595; Capacidade da bagageira (l): 524; Depósito de combustível (l): 50; Pneus (fr./tr.): 235/45 R18;
PRESTAÇÕES: Aceleração de 0-100 km/h (s) 8,3; velocidade máxima (km/h) 180;
CONSUMOS: (urbano/extraurbano/combinado – l/100 km): 4,8/4,4/4,4; Emissões de CO2 (g/km) 101;

PREÇO (versão base): 43.990 euros
PREÇO (unidade ensaiada): 49.690 euros

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Qual o impacto da tecnologia na Gestão de Talento?
Marketeer
Arranca a segunda edição do From Start-to-Table