Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio: Renault Kadjar TCe 160 Black Edition – Feito por medida

O SUV de tamanho médio da Renault é quase um irmão gémeo do Nissan Qashqai, mas teve de sofrer muito mais para chegar ao mercado nacional.

O Renault Kadjar sempre foi muito aguardado no mercado nacional. A sua proximidade com o Nissan Qashqai anunciava um sucesso equivalente em termos de vendas, mas assim que as primeiras unidades chegaram a solo nacional para homologação, a famigerada medição de classes de portagens atribuiu-lhe de imediato a segunda categoria e a marca francesa optou por adiar o seu lançamento. Entretanto, foram efetuadas alterações no eixo traseiro e criadas versões especificas para o nosso mercado, que incluíam a suspensão traseira da versão de tração integral, ainda que apenas passassem potência para as rodas dianteiras. Isto fez com que o Kadjar ficasse com um peso bruto mais elevado e já pudesse ser incluído na categoria em que paga apenas classe 1 nas portagens, desde que esteja equipado com um sistema de pagamento automático.

Claro que no meio disto tudo, os anos vão passando e pouco tempo depois de ter iniciado as suas vendas, já estava prestes a sair a nova versão que aqui lhe mostramos no nível de equipamento mais recheado de toda a gama, a Black Edition. Além dos novos grupos óticos dianteiros com luzes de condução diurna integradas em LED, da nova grelha dianteira, dos novos para-choques e de detalhes como a antena do tipo barbatana, estão também presentes umas jantes de tom negro e com um diâmetro de 19 polegadas, que lhe conferem um visual bem mais interessante. E nem sequer falta um logo lateral específico que identifica esta versão de equipamento mais recheado.

A versão Black Edition ocupa o lugar de topo na gama Kadjar, incluindo elementos como os estofos em Alcântara com costuras em vermelho, com regulações elétricas para o assento do condutor, o sistema de navegação e o sistema de som da Bose, compatível com as ligações Android Auto e Apple CarPlay. Mas também o sistema de iluminação totalmente em LED, o teto panorâmico em vidro e as capas dos espelhos em negro, que completam o visual iniciado com as jantes de liga leve de 19 polegadas no mesmo tom.

No habitáculo, o espaço é uma das notas dominantes e se a estatura dos ocupantes não fugir da média, conseguem-se encaixar facilmente cinco pessoas a bordo, mesmo que haja uma cadeira de bebé a bordo. Nos lugares da frente, as cotas de espaço mantêm-se, bem como uma boa posição de condução e um patamar de conforto que nos permitem somar rapidamente uns quilómetros ao totalizador quase sem darmos por isso. Notam-se que há alguns comandos partilhados com o seu primo Qashqai, tais como o da caixa de velocidades, mas a imagem da marca francesa está bem integrada e nem sequer faltam os menus personalizáveis com cores diferentes e que interagem com os modos de condução disponíveis, ora mais vocacionados para o conforto, ora para um ritmo mais dinâmico.

Neste caso, as jantes de liga leve de 19 polegadas ganham algum protagonismo, principalmente graças ao feedback da direção mais preciso, mas também porque trabalham bem em conjunto com a suspensão deste SUV e nem deixam que muitas das irregularidades do piso mais agressivas tenham vontade de passar para o habitáculo. O Kadjar é um SUV de características familiares que consegue oferecer um bom e tranquilo ambiente a bordo, de uma forma simples e sem grandes e elaboradas preocupações para o fazer. Lá atrás, há tomadas USB destinadas ao carregamento de dispositivos portáteis, mas se todos os ocupantes concordarem com lista de músicas a ouvir durante a viagem, o melhor mesmo é aproveitar os préstimos do sistema de som assinado pela Bose e a iluminação proporcionada pelo amplo teto de abrir em vidro.

Lá mais atrás, a bagageira conta com uma capacidade acima dos 500 litros e com algumas soluções destinadas à segmentação deste compartimento, o que pode traduzir-se numa ajuda preciosa para quando trazemos apenas alguns sacos e conseguimos evitar que estes andem a deslizar de um lado para o outro.

O motor TCe de 160 cavalos oferece uma boa dose de binário em baixo regimes e parece entender-se bem com a caixa de velocidades automática EDC de dupla embraiagem, o que só melhora experiência de condução. Em determinadas alturas, o seu fôlego nem sequer dá a ideia que se trata de um bloco de apenas 1,3 litros, ainda que esta seja a versão mais potente do mesmo. É justamente por isso que acabamos por abusar um pouco mais do pedal do lado direito do que seria ideal, fazendo com que a média indicada pelo computador de bordo já nos mostre valores acima dos sete litros. Mas estamos cientes de que conseguiríamos fazer menos sem grande esforço.

Com a nova motorização a gasolina de 1,3 litros e 160 cavalos de potência, mas também com a presença da caixa de velocidades automática EDC de dupla embraiagem e o nível de equipamento Black Edition, o preço de venda ao público do Renault Kadjar fica nos 34.400 euros, mas depois, ainda nos sentimos obrigados a incluir o tom Azul Iron da carroçaria (800 euros), que deixa este Kadjar ainda mais composto e com um visual mais apelativo.

VEREDICTO

Mais uma vez, o formato de que mais se fala volta a estar em alta e explicar-nos porque é que continua a ocupar as tabelas de vendas de uma forma tão marcante. O Renault Kadjar é uma solução perfeita para uma família pequena (casal com dois filhos, por exemplo), o motor a gasolina casa na perfeição com uma rotina diária citadina, mas não dispensa uns passeios mais afastados de casa ao fim de semana e o ambiente a bordo é mesmo um lugar onde não nos importamos de passar algum tempo. A versão Black Edition começa nos 34.400 euros, mas inclui um patamar de equipamento muito recheado e que praticamente dispensa a presença de qualquer opção.

Texto e imagens: André Mendes

FICHA TÉCNICA

Renault Kadjar TCe 160 EDC Black Edition

MOTOR: 4 cilindros em linha; injeção direta; Cilindrada (cm3): 1.332; Potência máxima (cv/rpm): 160/5.500; Binário máximo (Nm/rpm): 270/1.800;
TRANSMISSÃO: Tração dianteira; Caixa automática EDC de 7 velocidades; Suspensão (fr./tr.): Independente, tipo McPherson; Eixo semi-rígido;
DIMENSÕES: Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.489/1.836/1.613; Distância entre eixos (mm): 2.646; Largura de vias (fr./tr.) (mm): 1.556/1.542; Travões (fr./tr.) Discos vent./Discos sólidos; Peso (kg): 1.471; Capacidade da bagageira (l): 527; Depósito de combustível (l): 55; Pneus (fr./tr.): 225/45 R19;
PRESTAÇÕES: Aceleração de 0-100 km/h (s) 9,3; velocidade máxima (km/h) 210;
CONSUMOS: Urbano/Extra-urbano/Combinado (l/100 km): 6,8/4,9/5,6; Emissões de CO2 (g/km) 133;

PREÇO (versão base): 34.400 euros
PREÇO (unidade ensaiada): 35.200 euros

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
As japonesas não podem usar óculos no trabalho. Imagina porquê?
Marketeer
Vegetariano não chega. McDonald’s vai mais longe e lança opção vegan