Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio: Citroën Berlingo – Problemas com espaço?

Poderá não ter o visual mais cativante, mas, com um agregado familiar generoso e necessidades de espaço acima da média, este é o tipo de modelo que precisa.

Imagine uma família com três filhos, em que dois ainda requerem uma cadeira instalada a bordo e um deles está na idade em que ainda é necessário um carrinho de bebé e uma generosa mochila por perto. No total, com o pai e mãe, são cinco pessoas e respetiva bagagem. E depois de meses de rotina diária, há aquele momento em que tem de organizar tudo para ir de férias. E nesse mesmo dia, podemos garantir-lhe que a convencional carrinha de tamanho médio ou o habitual SUV que tanto está na moda, simplesmente, não vão chegar.

O novo Citroën Berlingo poderá não ter o visual de carroçaria mais cativante e o primeiro olhar não o vai apaixonar. Mas a sua versatilidade, facilidade de utilização e ausência de problemas relacionados com o espaço vão fazer com que esta relação tenha tudo para ir evoluindo à medida que vai usando o carro no seu dia-a-dia. E enquanto o visual da carroçaria o tenta aproximar a diversos outros modelos da família Citroën, no habitáculo encontramos uma posição de condução correta, uma boa visibilidade sobre a maioria dos ângulos e espaços de arrumação que nunca mais acabam e têm uma capacidade gigantesca. Só para ter uma ideia, nas bolsas das portas cabem garrafas de água de 1,5 litros e mesmo em frente ao condutor há um alçapão onde cabem quase todos os pequenos objetos com que costumamos andar durante o dia.

No topo do tablier, e numa posição central, está um novo monitor de comando tátil, semelhante aos que costumamos encontrar em diversos outros modelos da marca, e que também inclui o sistema de navegação ou as ligações ao smartphone através de Apple CarPlay ou Android Auto, mas também a mais tradicional, por Bluetooth.

Nos lugares traseiros quase não chegamos ao tejadilho do Berlingo e podemos esticar os braços para nos espreguiçarmos as vezes que quisermos. Com este nível de equipamento Shine, os vidros traseiros têm uma abertura vertical convencional, com comando elétrico e as portas de correr laterais facilitam o acesso ao interior. Como inconveniente fica apenas o cheiro a plásticos de qualidade inferior, os mesmos usados na versão de trabalho, o que requer uns dias de habituação, mas a sua robustez faz com que fiquemos com a sensação de que este Berlingo está pronto para os piores “maus-tratos” familiares, tais como os brinquedos espalhados por todo o lado, as infindáveis migalhas de bolacha e tantas outras coisas que poderíamos aqui enumerar, mas que preferimos deixar na sua imaginação.

O novo Citroën Berlingo está disponível com dois formatos de carroçaria, o “M” e o “XL”, sendo que a principal diferença é mesmo o seu tamanho e o consequente espaço disponível a bordo (e a possibilidade de ter sete lugares na versão de tamanho mais amplo). A unidade que vê nas imagens é o mais pequeno, mas, mesmo assim, há três lugares individuais na fila traseira e uma bagageira com uma volumetria de quase 600 litros, com duas possibilidades de abertura e duas posições para a chapeleira, que consegue dar origem a um espaço fechado e que poderá manter malas e mochilas afastadas de olhares mais indesejáveis.

A motorização turbodiesel 1.5 BlueHDi de 100 cavalos que está presente na unidade ensaiada é o diesel mais comedido da gama e há momentos em que ficamos a desejar um pouco mais de potência e também uma sexta relação na caixa de velocidades nos trajetos de autoestrada. Ainda assim, não é por isso que o Berlingo passa a ser um carro lento e com este motor é ainda mais fácil registar médias de consumo que não ficam muito acima dos cinco litros.

Com o tamanho de carroçaria “M”, com o nível de equipamento Shine e com a motorização diesel de 1,5 litros e 100 cavalos de potência, o preço do Berlingo fica uns euros acima dos 28.700 euros. O tom de carroçaria verde Aqua como o da unidade ensaiada talvez não fosse a nossa primeira escolha de todas as opções disponíveis, mas o cinzento escuro não fica nada mal e acrescenta apenas os 360 euros da pintura metalizada ao valor final.

Na gama Berlingo, a gama de acessórios disponíveis para este modelo tem a capacidade de fazer com que as suas férias de verão sejam memoráveis e incluem elementos como as cortinas traseiras de proteção para o sol, diversas soluções de transporte para o tejadilho, redes, suportes para tablets e soluções de ligação para os assentos traseiros onde não faltam tomadas de 12v ou mesmo uma de 220V, tal como as que temos em casa.

Seja qual for a sua escolha ou decisão, se sair do concessionário ao volante de um novo Berlingo, marque a sua primeira paragem num posto de atendimento da Brisa e peça uma Via Verde para o seu novo carro. É que, se não o fizer, vai-se arrepender da compra assim que parar na primeira portagem.

VEREDICTO

O Berlingo usa um modelo de trabalho como base, pelo que o espaço é bordo é o mais amplo possível. Se em vez de carga, estiverem presentes assentos para passageiros, janelas para o exterior e um consequente melhoramento de revestimentos e materiais isolantes, este modelo fica transformado numa das melhores soluções para famílias com grandes necessidades de espaço. O motor diesel é económico e consegue um ritmo razoável e o preço de venda ao publico deste modelo está longe de ser uma barbaridade.

Texto e imagens: André Mendes

FICHA TÉCNICA

Citroën Berlingo 1.5 BlueHDi 100 Shine

MOTOR: 4 cilindros em linha; injeção direta com turbo; Cilindrada (cm3): 1.499; Potência máxima (cv/rpm): 102/3.500; Binário máximo (Nm/rpm): 250/1.750;
TRANSMISSÃO: Tração dianteira; Caixa manual de cinco velocidades; Suspensão (fr./tr.): Independente, tipo McPherson; Eixo de torção;
DIMENSÕES: Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.403/1.848/1.844; Distância entre eixos (mm): 2.785; Largura de vias (fr./tr.) (mm): 1.553/1.567; Travões (fr./tr.) Discos ventilados/Discos; Peso (kg): 1.473; Capacidade da bagageira (l): 597; Depósito de combustível (l): 50; Pneus (fr./tr.): 205/60 R16 (frente);
PRESTAÇÕES: Aceleração de 0-100 km/h (s) 12,3; velocidade máxima (km/h) 175;
CONSUMOS: Urbano/Extraurbano/Combinado (l/100 km): 4,8/4/4,3; Emissões de CO2 (g/km) 113;

PREÇO (versão base): 28.708 euros
PREÇO (unidade ensaiada): 29.918 euros

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
7 formas para se voltar a apaixonar pelo seu trabalho
Marketeer
Domino’s Pizza vai deixar quatro mercados europeus