Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

Ensaio: Mercedes-Benz E 300de Station – Combinação perfeita?

A versão híbrida do Mercedes-Benz Classe E junta uma motorização Diesel a um sistema elétrico Plug-In. Será este o melhor de dois mundos tão distintos?

Por: André Mendes
(texto e imagens)

Continuamos a viver num mundo em que ninguém consegue garantir como será o futuro em termos de soluções energéticas para o mundo automóvel. E enquanto há marcas que apontam o dedo ao diesel como o combustível feio e mau, retirando-o da sua oferta, outras, como a Mercedes-Benz, provam que não é bem assim e o diesel, afinal, ainda tem muito para dar.

Um dos melhores exemplos é esta versão da carrinha Classe E que veio passar uns dias connosco. A sua designação é um pouco fora do comum pois acaba com as letras “de”, mas isto quer dizer apenas que é alimentada por uma solução que inclui um motor diesel e eletricidade. Já não é muito habitual, mas a marca alemã demonstra assim que esta poderá ser mesmo uma das melhores soluções da atualidade, ao reunir o melhor de vários mundos.

No mesmo automóvel temos o espaço de uma carrinha familiar perfeitamente adequada para incluir cinco pessoas a bordo, um motor elétrico capaz de alimentar todo o conjunto nas nossas deslocações diárias e uma motorização diesel destinada aos momentos em que nos queremos fazer à estrada.

Começamos pela parte elétrica. No dia-a-dia de grande parte dos condutores com quem partilhamos as entradas e saídas da cidade de Lisboa, estão deslocações que não vão além dos 50 quilómetros diários. E destas, muito provavelmente, a grande maioria ainda é capaz de percorrer bem menos que isso. No entanto, o facto de não existirem soluções de transporte porta-a-porta na maioria dos casos e de nunca termos o conforto de um habitáculo bem climatizado e com a música que mais queremos ouvir (ou a ausência dela), ainda fazem com que muita gente prefira levar o carro para o trabalho.

O sistema híbrido plug-in presente nesta carrinha Mercedes-Benz tem uma autonomia anunciada de 52 quilómetros e os seus tempos de carga nunca serão tão extensos como um carro 100 por cento elétrico, uma vez que a sua capacidade é bem mais reduzida. Com este valor, ficam preenchidas a maioria das deslocações diárias na zona da grande Lisboa e, com algum cuidado na utilização do pedal direito, a capacidade do sistema elétrico desta versão 300 de da Mercedes-Benz faz com que seja possível passar uma semana inteira ao volante sem sequer ligar o motor de combustão.

No nosso teste, percorremos diariamente a distância de 36 quilómetros na deslocação de casa para o trabalho e do trabalho para casa, passando a Ponte 25 de Abril com a companhia de todo o trânsito sentido nas horas de maior tráfego, mas conseguindo chegar ao destino com uma média de 0,0 litros aos 100, indicada no computador de bordo. E depois, basta ligar o carro a uma vulgar tomada doméstica, para que no dia seguinte o sistema elétrico esteja pronto para mais uma dose de pára-arranca, sempre com o ar condicionado ligado e com o sistema de som para nos fazer companhia.

Por outro lado, se o destino não for a cidade ou se quisermos adotar um trajeto mais alternativo, o motor de combustão tem para nos oferecer mais de mil quilómetros de autonomia com o depósito atestado, sendo que se trata do bloco turbodiesel de dois litros da Mercedes-Benz, que também consegue boas médias de consumo. Aliado ao sistema elétrico, consegue uma potência máxima (combinada) do sistema híbrido ligeiramente acima dos 300 cavalos, o que se traduz num familiar de prestações muito interessantes.

Além de tudo isto, o sistema híbrido ainda inclui a função e-charge, que permite carregar as baterias do sistema elétrico enquanto viajamos em autoestrada, por exemplo, sacrificando a média de consumo em pouco menos de dois litros de combustível a cada 100 quilómetros. Enquanto viajamos em autoestrada, acabamos por estar a acelerar na maior parte do tempo, não havendo muitas desacelerações com capacidade para ir carregando as baterias do sistema elétrico, pelo que este modo nos ajuda a ir carregando o sistema elétrico e desligar o motor de combustão assim que entramos em cidade.

Para arrumar toda esta tecnologia, a Mercedes-Benz escolheu uma carrinha Classe E, com todo o seu conforto e espaço, tornando-a numa das melhores apostas para quem tem uma família mais numerosa e usa o carro todos os dias a caminho da cidade, mas que não dispensa algumas viagens em família nos fins-de-semana ou nas férias. A única diferença do ponto de vista prático é que o espaço disponível na mala, sob a chapeleira ficou mais reduzido devido à presença das baterias do sistema, mas ainda assim, podemos contar com uma volumetria de 480 litros.

É certo que o preço base de 72.900 euros não está ao alcance de muitas pessoas, mesmo com o ISV em torno dos mil euros, esta E 300 de Station requer um investimento avultado. Mais ainda quando somamos alguns dos extras presentes na unidade ensaiada, que a deixam com um valor de aquisição próximo dos 76 mil euros. Mas mesmo assim, ficámos a pensar que, a médio ou longo prazo, esta opção da marca alemã pode mesmo ser uma combinação perfeita.

VEREDICTO

Um motor diesel eficiente em conjunto com um eficaz sistema híbrido revelaram ser uma excelente parceria para a nossa rotina diária a caminho da cidade e para os passeios em família. Tem um preço mais elevado do que gostaríamos, mas é um valor que inclui uma carrinha Mercedes-Benz confortável e espaçosa e já com um bom nível de equipamento.

FICHA TÉCNICA

Mercedes-Benz E 300de Station

MOTOR:4 cilindros em linha; injeção direta com turbo; Cilindrada (cm3): 1.950; Potência máxima combinada (cv/rpm): 306/3.500-4.000; Binário máximo (Nm/rpm): 700/n.d.; TRANSMISSÃO:Tração traseira; Caixa automática 9G-Tronic de 9 relações; Suspensão (fr./tr.): Independente, multibraços; Independente, multibraços; DIMENSÕES:Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.933/1.476/1.852; Distância entre eixos (mm): 2.939; Largura de vias (fr./tr.) (mm): 1.594/1.583; Travões (fr./tr.) Discos ventilados e perfurados/Discos ventilados; Peso (kg): 2.140; Capacidade da bagageira (l): 480; Depósito de combustível (l): 50; Pneus: 245/45 R18 (frente), 275/45 R18 (atrás); PRESTAÇÕES:Aceleração de 0-100 km/h (s) 6,0; velocidade máxima (km/h) 250; CONSUMOS:Urbano/Extraurbano/Combinado (l/100 km): n.d./n.d./1,7; Emissões de CO2 (g/km) 44; Combinado (kWh/100 km): 19,5;

PREÇO (versão base):72.900 euros
PREÇO (unidade ensaiada):75.903 euros

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
.PT promove talento feminino no sector da tecnologia
Marketeer
Primeiro Brand Storytelling da Auchan é português