Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

#Ensaio – Mercedes-AMG C43 Coupé – Uma questão de equilíbrio

Um desportivo não tem de ser necessariamente o mais potente e o mais agressivo. Muitas vezes basta apenas ser equilibrado. E este Mercedes-AMG C43 parece ficar perfeito em muitas balanças.

A renovada gama do Mercedes-Benz Classe C não poderia deixar de contar com uma versão AMG digna desta sigla. Aliás, mais do que uma, se contarmos com as duas versões equipadas com o motor V8 biturbo, além deste C43 que aqui lhe mostramos. Apesar de não ser um AMG “a sério”, a Mercedes continua a inclui-lo na família das três letras mágicas, mesmo quando inclui “apenas” um motor V6 de três litros e 390 cavalos de potência e até um sistema de tração integral permanente, em vez de ver toda a potência a ser encaminhada para as rodas do eixo posterior.

Os mais saudosistas vão certamente preferir a opção mais potente, de preferência com o V8 a gritar a plenos pulmões, enquanto queima a borracha dos pneus traseiros ao longo de uma curva. E se pudessem até o equipavam com uma caixa de velocidades manual, para a experiência de condução ser ainda mais pura. Mas na nossa opinião, sincera, a experiência de condução mais envolvente também pode passar por um ritmo um pouco mais tranquilo e não tão aproximado de uma sessão de ginásio com pesos pesados e com uma aula de Crossfit pelo meio. Por vezes, basta um modelo equilibrado, e que nos permita apreciar a paisagem, enquanto o levamos de uma curva para outra, explorando as capacidades do seu chassis, sem ter a sensação de que o carro nos quer matar e, mesmo assim, continuar a apreciar cada momento.

E isto é a melhor descrição que podemos fazer desta versão C43 AMG mais comedida. Pelo exterior, o seu visual de AMG também é um pouco mais contido que o dos seus irmãos mais potentes e musculados, podendo mesmo passar por uma das versões mais comuns, equipada com uma linha de equipamento AMG. Para distinguir esta versão das restantes temos de recorrer à sigla C43 colada na tampa da bagageira, ao logo biturbo 4matic que marca presença junto das rodas dianteiras e às quatro imponentes saídas de escape que encontramos na secção traseira.

No habitáculo os assentos são desportivos e contam com um apoio lateral um pouco mais generoso e existem diversos componentes com o padrão da fibra de carbono, outros em alumínio, muitas costuras em vermelho nos assentos, nos tapetes e no volante, mas também nos painéis das portas e no tabler. E para completar este visual, estão presentes uns imponentes cintos de segurança em vermelho, que contrastam com o ambiente mais escuro do habitáculo.

Na consola central, além do comando destinado a selecionar os diferentes modos de condução, está também um botão destinado a manter a caixa de velocidades no modo manual, com as passagens de caixa a serem feitas através dos comandos atrás do volante, um outro destinado a selecionar os três modos possíveis de firmeza da suspensão e um terceiro, através do qual é possível ativar um modo mais permissivo do controlo de estabilidade. Se não quiser pensar em nenhum destes botões, basta perder dois ou três minutos a configurar o modo de condução individual e depois selecioná-lo sempre que desejar, com todas as suas escolhas já definidas.

Nesta versão C43 AMG, um dos protagonistas é o motor V6 de três litros que se esconde lá à frente, debaixo do capot. Conta com uma tampa plástica com um enorme V pintado de vermelho, mas já não é daqueles que inclui a assinatura de quem o contruiu desde a primeira peça. Tem menos dois cilindros que a obra de arte que equipa as opções mais potentes, mas não é por isso que deixa de soar bem ao ouvido ou oferecer um número respeitável de 390 cavalos de potência. Segundo os valores indicados pela marca, consegue atingir os 100 km/h em 4,7 segundos e atingir os 250 km/h de velocidade máxima a que está limitado pela eletrónica.

Em termos dinâmicos, a presença do sistema de tração integral permanente inclui um acréscimo de peso, passando o valor total do conjunto para os 1.750 quilos mas que acaba por beneficiar a precisão nas estradas mais sinuosas. Neste C43 Coupé, a potência passa para as quatro rodas, mas 69 por cento do valor total vai para as rodas do eixo posterior, o que ainda deixa margem suficiente para que se possa brincar um pouco com este Coupé, mas num patamar em que tudo é facilmente controlável através de uma direção muto precisa e de uma suspensão afinada para oferecer uma eficácia elevada sem comprometer (muito) o conforto.

Longe dos valores praticados pelas opções mais potentes e sem alguns dos componentes mais nobres de Affalterbach, o C43 AMG Coupé tem um preço de tabela de 85.050 euros, mas a configuração que nos chegou às mãos não foi pensada para ser comedida em termos de opcionais e isso fez com que o seu preço final ficasse quase nos 105 mil euros. Seja como for, num patamar ainda abaixo dos C63 e C63S que apenas começam a ver a luz do dia a partir dos 115 mil euros.

VEREDICTO

O Mercedes-AMG C43 Coupé não tem o visual “brutal” dos seus irmãos mais potentes de Affalterbach, nem um V8 com potências mais elevadas. Mas oferece um equilíbrio muito cativante, que pode ser explorado por muito mais condutores, em qualquer uma das suas estradas preferidas. E por um preço mais convidativo.

FICHA TÉCNICA

Mercedes-AMG C43 Coupé 4Matic

MOTOR: 6 cilindros em V; injeção direta biturbo; Cilindrada (cm3): 2.996; Potência máxima (cv/rpm): 390/6.100; Binário máximo (Nm/rpm): 520/2.500-5.000; TRANSMISSÃO: Tração integral permanente; Caixa automática 9G-Tronic de nove velocidades; Suspensão (fr./tr.): Independente, multibraços; Independente, multibraços; DIMENSÕES: Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.693/1.810/1.402; Distância entre eixos (mm): 2.840; Largura de vias (fr./tr.) (mm): 1.602/1.558; Travões (fr./tr.) Discos ventilados e perfurados/Discos ventilados; Peso (kg): 1.750; Capacidade da bagageira (l): 400; Depósito de combustível (l): 66; Pneus (fr./tr.): 225/45 ZR18/245/40 ZR18; PRESTAÇÕES: Aceleração de 0-100 km/h (s) 4,7; velocidade máxima (km/h) 250; CONSUMOS: urbano/extraurbano/combinado (l/100 km): 12,7/7,6/9,5; Emissões de CO2 (g/km) 217;

PREÇO (versão base): 85.050 euros
PREÇO (unidade ensaiada): 104.258 euros

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Xmas Work: chegou a ‘app’ que o vai ajudar a encontrar trabalho este Natal
Marketeer
Nesta cozinha há Lisboa e novos petiscos para partilhar