Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

#Ensaio – Nissan Navara N-Guard – Farto do asfalto

A nova Nissan Navara N-Guard parece desajustada da realidade atual, mas acabou por nos mostrar que é apenas um dos exemplos de que temos cada vez mais saudades nesta era de eletrificação.

Numa altura em que quase todos os modelos que chegam ao mercado têm algures um sistema eletrificado e em que praticamente não é possível escrever um texto sobre automóveis sem referir a categoria dos SUV ou dos Crossovers e acabar tudo com uma qualquer dissertação sobre sustentabilidade, a chegada de uma nova pick-up com motor diesel ao mercado parece totalmente desadequada. No entanto, esta nova edição especial N-Guard da Nissan Navara não poderia ter vindo em melhor altura.

Um modelo deste género e com as suas caraterísticas tão peculiares fez-nos praticamente entrar de férias e poder escrever sobre algo bastante diferente e já pouco comum nos dias que correm e até a criança de dois anos que vive lá em casa ficou com os olhos a brilhar quando deparou com este pequeno monstro a entrar na garagem. Por todas estas razões, o ensaio desta Navara parece ter passado em apenas algumas horas, sendo que foram poucas aquelas em que pisámos o obrigatório asfalto.

A Nissan Navara pertence ao grupo das Pick-Up mais desejadas do mercado, ombreando com modelos como a Toyota Hilux ou a Ford Ranger, entre outros. A sua geração mais recente trouxe um visual mais robusto e uma motorização com 190 cavalos de potência que é justamente a que temos aqui disponível com esta edição especial N-Guard. Face aos restantes modelos da gama, a versão N-Guard adiciona uma grelha frontal pintada de negro e novas óticas com o interior escurecido. As jantes de liga leve de 18 polegadas também são negras e tanto as capas dos espelhos retrovisores como os puxadores das portas ou as barras do tejadilho também incluem o tom mais escurecido que faz a diferença neste modelo. Mas não é só. Para identificar da melhor forma esta versão especial da Navara, a Nissan ainda incluiu uma faixa lateral na zona inferior da carroçaria e da caixa de carga que compõe todo o conjunto.

Além dos elementos decorativos, a versão N-Guard conta ainda com a vantagem de fortalecer o equipamento de série da versão Tekna que já é bastante completa e passa a incluir os sensores de estacionamento traseiros e o teto de abrir de comando elétrico, além da camara inteligente de visão a 360 graus, do controlo de descidas, do arranque assistido nas subidas e do sistema inteligente anti colisão.

Ao volante, a posição de condução é tipicamente a de uma pick-up, com um comando da caixa de velocidades de maiores dimensões e uma posição mais vertical. O espaço disponível é bastante amplo e quem viaja nos lugares traseiros já não tem as costas dos assentos tão na vertical como acontecia com os modelos de gerações anteriores. A versão especial adiciona as costuras dos assentos e dos painéis das portas com uma cor especifica e um conjunto de tapetes específico para este modelo, deixando o habitáculo um pouco mais personalizado.

O motor de 2,3 litros é um autêntico poço de força e está preparado para qualquer aventura. Para quem está habituado a passar a maior parte do tempo em asfalto, ao volante de outro tipo de modelos, é necessário um pouco de habituação à fasquia de regimes em que devemos circular na maior parte do tempo, com o objetivo de aproveitar da melhor forma os 450 Nm de binário máximo e os 190 cavalos de potência. E se nos portarmos bem, este bloco até nos consegue premiar com médias de consumo bastante comedidas e semelhantes às de um automóvel convencional. Apesar do tamanho e peso de todo o conjunto, o computador de bordo chegou-nos a indicar médias em torno dos seis litros, apesar dos números mais frequentes andarem mais próximos dos 8,5.

O comportamento dinâmico desta versão da Navara é bastante influenciado pela arquitetura da suspensão traseira que, em vez das tradicionais molas de lâmina, conta com uma solução multibraços, muito mais precisa e eficaz. Em estrada, porta-se quase como um automóvel familiar, sem grandes ressaltos do eixo traseiros devido à ausência de peso e com um nível de conforto bastante aceitável para um carro que se diz ser de trabalho.

Fora do asfalto, os caminhos de areia e terra são uma lufada de ar fresco em relação à rotina das estradas do costume e mal nos fazem ter de ligar o sistema de quatro rodas motrizes, circulando apenas com tração traseira. Mas assim que o piso começa a exigir um pouco mais de tração, basta rodar o seletor existente na consola central para a posição seguinte e deixar que o sistema faça o seu trabalho.

A grande vantagem desta pick-up da Nissan é que também nos podemos aventurar pelos trilhos em que é complicado andar a pé, sejam trilhos de lama, subidas e descidas de montes, um pequeno rio ou outros desafios semelhantes. Na maior parte dos casos, o sistema de redutoras dá conta do recado e só ficamos a desejar que estivesse presente um bloqueio manual dos diferenciais para sermos ainda mais exploradores. Mas se calhar, ainda bem que não estavam presentes, pois o excesso de confiança, por vezes, pode trazer resultados menos agradáveis e preferimos manter a Navara intacta.

O preço de tabela da Nissan Navara nesta edição especial N-Guard e com a cabine dupla de cinco lugares é de 44.601 euros. No entanto, a marca tem a decorrer uma campanha promocional que faz este valor descer 3.200 euros e mais 2.000 euros se o negócio incluir a retoma de uma viatura. Esta versão já inclui os cinco anos de garantia ou 160 mil quilómetros, pelo que resta apenas abastecer o enorme depósito de combustível e rumar onde bem entender, seja numa estrada de asfalto ou não.

VEREDICTO

A Nissan Navara é muitas vezes associada apenas a um carro de trabalho, mas pode ser muito mais do que isso. Em muitos casos, até pode ser mesmo o carro de família perfeito, com espaço para tudo e mais alguma coisa. Com esta edição especial N-Guard, o visual desta Navara fica ainda mais apetecível e aventureiro.

FICHA TÉCNICA

Nissan Navara N-Guard 2.3 dCi 190 CV Cabine Dupla

MOTOR: 4 cilindros em linha; injeção direta com turbo; Cilindrada (cm3): 2.298; Potência máxima (cv/rpm): 190/3.750; Binário máximo (Nm/rpm): 450/1.500-2.500; TRANSMISSÃO: Tração traseira ou integral; Caixa manual de seis velocidades; Suspensão (fr./tr.): Independente, tipo McPherson; Multibraços; DIMENSÕES:Comprimento/Largura/Altura (mm): 5.300/1.850/1.840; Distância entre eixos (mm): 3.150; Largura de vias (fr./tr.) (mm): 1.570/1.570; Travões (fr./tr.) Discos ventilados/Tambores; Peso (kg): 2.001; Capacidade da bagageira (l): n.d.; Depósito de combustível (l): 73; Pneus (fr./tr.): 255/60 R18; PRESTAÇÕES: Aceleração de 0-100 km/h (s) 12; velocidade máxima (km/h) 172; CONSUMOS: urbano/extraurbano/combinado (l/100 km): 6,9/6,0/6,3; Emissões de CO2 (g/km) 167;

PREÇO (versão base): 44.601 euros
PREÇO (unidade ensaiada): 45.101 euros

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Quantas faltas justificadas pode dar no trabalho?
Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players