Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

#Ensaio – Ford Focus Active SW – À prova de rotina

Com a versão Active a Ford Focus SW ganha um visual mais aventureiro, tornando mais interessante e diferente cada uma das viagens que podemos fazer.

Olhar pela janela ao acordar e descobrir um dia de nevoeiro e chuva é uma daquelas sensações que temos diversas vezes nesta altura do ano e que pode influenciar o começo de dia. No entanto, há diversas formas de equilibrar os pratos da balança e uma delas pode muito bem estar relacionada com o automóvel que nos vai acompanhar ao longo das mais variadas tarefas e desafios que poderemos ter no nosso dia-a-dia, desde a simples deslocação para o trabalho, ao passar pelo infantário para deixar os miúdos, com chapéus de chuva, casacos e mochilas à mistura.

Foi uma espécie de desabafo este primeiro parágrafo, mas a verdade é que também é a introdução perfeita para esta nova versão Active da gama Focus, que se distingue pelos para-choques e cavas das rodas escurecidos e de visual mais robusto, mas também pelo tejadilho pintado de negro. É que, com a companhia desta carrinha, o começo do dia acabou por não ser assim tão complicado. A abertura elétrica do portão da bagageira, com a chave ainda no bolso é o primeiro passo para despejar todas as tralhas para a mala da Focus SW, sem ter de fazer grandes contas ao espaço disponível, uma vez que estão disponíveis mais de 600 litros de capacidade e com um tapete reversível (em opção). A abertura das portas em espaços mais acanhados como uma garagem, é o ensaio perfeito para os batentes de portas automáticos presentes neste modelo e que continuamos a considerar uma das melhores invenções de sempre. E depois, o espaço disponível a bordo também não é dos que requer um constante jogo de chega o banco para a frente e para trás, uma vez que todos têm espaço suficiente para garantir um bom nível de conforto a bordo.

Ao sair da garagem, o dilúvio. Chove como se o mundo fosse acabar e as escovas começam a trabalhar imediatamente na sua velocidade máxima. No entanto, a suspensão da versão Active desta Focus SW faz com que a carroçaria fique numa posição mais elevada em cerca de três centímetros. Tanto as molas como os amortecedores e até as barras estabilizadoras são especificas desta versão, sendo que se juntam a uma configuração de suspensão que sempre foi conhecida pela sua eficácia. E agora, que estamos presentes a enfrentar uma zona de estrada inundada onde já se encontra um carro parado mesmo a meio e com água pela altura das portas, não há como não sentir uma maior dose de conforto por estar ao volante desta versão Active que, como esperado, passa por tudo isto sem qualquer dificuldade e até com alguma indiferença.

O motor diesel de 1,5 litros com 120 cavalos de potência e 300 Nm de binário parece uma escolha muito equilibrada para este modelo e caixa de velocidades está bem escalonada. Mecanicamente, todos os componentes são de utilização dócil e estão arrumados perfeitamente onde devem estar, dando origem a uma excelente posição de condução. Nos momentos em que deixamos o ponteiro do conta-rotações descer abaixo do valor em que o binário funciona em pleno, sentimos que o motor nos poderá estar a insultar, mas imediatamente acima das 1.800 rpm, desperta e começa a progredir sem qualquer dificuldade, deixando-nos apenas com um “aviso” de que temos de o conhecer melhor.

Também com a versão Active, os modos de condução ganham duas novas posições: “Escorregadio” e “Trilho”. A primeira ajusta a intervenção do controlo de estabilidade e de tração, impedindo que as rodas derrapem, mas também do acelerador, através de uma atuação muito mais suave. Com o segundo modo, o ABS já permite que as rodas deslizem um pouco, ao mesmo tempo que aumenta a rotação das mesmas com o objetivo de expelir lama ou areia, mas também inclui uma resposta do acelerador um pouco mais suave.

É pela presença de todas estas coisas que, depois de dar o exemplo de pessoa séria e responsável ao deixar os mais novos na escola, optámos por ir brincar com a Focus Active SW nas poças de água e pequenos lagos criados pela chuva que se fez sentir durante a noite, tendo obviamente o cuidado de nunca nos esquecermos de que apenas as rodas dianteiras passam potência para o piso. Ainda assim, em estradas de terra e com bastantes irregularidades, a suspensão da carrinha Focus demonstra uma firmeza bastante elevada, mas ao mesmo tempo muito precisa e longe de ser desconfortável, em conjunto com uma insonorização cuidada do habitáculo, uma direção igualmente precisa e uma dinâmica que nos poderia levar a abusar mais do que devíamos de numa carrinha que se quer familiar.

A versão Active tem um preço base de 29.879 euros, muito semelhante ao da versão ST Line de visual mais desportivo, deixando a opção para o cliente: mais desportivo ou mais aventureiro. Em termos de equipamento, a lista de elementos fornecidos de série é bastante longa, mas aqueles de que gostamos mais são apenas fornecidos como opção. E isso acaba por fazer com que o preço da unidade ensaiada, com muito equipamento extra adicionado, já fique com um valor acima dos 36 mil euros. Mas não fique triste. Até ao final do ano, a Ford tem a decorrer uma campanha que pode reduzir cerca de 3.100 euros a este valor e uma oferta de 800 euros em equipamento opcional. Além disso, caso tenha um veículo para retoma, ainda pode usufruir de uma campanha de apoio no valor de 1.000 euros. E desta forma, a questão do preço já consegue ficar um pouco mais apelativa, principalmente num modelo que tem tanto para oferecer.

VEREDICTO
A versão Active da gama Focus acrescenta um toque de SUV a este modelo, sem deixar de ser uma carrinha familiar com tudo o que isso inclui. O motor diesel de 1,5 litros e 120 cavalos continua a ser um dos seus trunfos, ao conciliar um bom desempenho com médias de consumo razoáveis. A eficácia da suspensão e a solidez do conjunto são dois dos pontos que melhoram bastante a experiência de utilização deste modelo.

FICHA TÉCNICA

Ford Focus 1.5 EcoBlue Active SW

MOTOR: 4 cilindros em linha; injeção direta com turbo; Cilindrada (cm3): 1.500; Potência máxima (cv/rpm): 120/3.600; Binário máximo (Nm/rpm): 300/1.750-2.250; TRANSMISSÃO: Tração dianteira; Caixa manual de seis velocidades; Suspensão (fr./tr.): Independente, tipo McPherson; Multibraços; DIMENSÕES:Comprimento/Largura/Altura (mm): 4.693/1.825/1.532; Distância entre eixos (mm): 2.700; Largura de vias (fr./tr.) (mm): 1.582/1.576; Travões (fr./tr.) Discos ventilados/Discos; Peso (kg): 1.413; Capacidade da bagageira (l): 608; Depósito de combustível (l): 47; Pneus (fr./tr.): 215/50 R18; PRESTAÇÕES: Aceleração de 0-100 km/h (s) 10; velocidade máxima (km/h) 194; CONSUMOS: urbano/extraurbano/combinado (l/100 km): 5,2/4,4/4,7; Emissões de CO2 (g/km) 128;

PREÇO (versão base): 29.879 euros
PREÇO (unidade ensaiada): 36.055 euros

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Quantas faltas justificadas pode dar no trabalho?
Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players