Notícias actualizadas ao minuto sobre o sector automóvel

O lítio está mesmo em crise?

Muitas vezes apelidado de “petróleo branco”, o lítio parece atravessar a sua primeira crise desde que foi eleito como uma das tendências do setor energético.

A quebra verificada junto dos veículos elétricos está a afetar os produtores de lítio, uma vez que este é o mineral utilizado no fabrico das baterias destes automóveis.

Dados da Canaccord apontados pela Reuters indicam que empresas como Albemarle e Tianqi Lithium estão a produzir mais lítio do que os fabricantes automóveis precisam neste momento. A oferta a nível global ultrapassa a procura em cerca de 5%.

Em simultâneo, as vendas de veículos eléctricos na China – o maior mercado para esta alternativa – caíram perto de um terço no passado mês de setembro, na sequência de um abrandamento dos subsídios atribuídos pelo governo. Segundo aponta a Jefferies, este foi o terceiro mês consecutivo de recuo.

A nível global, a média de preços desceu mais de 50% desde o início de 2018, revela ainda a Benchmarck Mineral Intelligence. Ainda assim, os analistas parecem antecipar um futuro risonho para o lítio, olhando para os próximos 10 anos.

O maior desafio poderá estar mesmo – ainda que paradoxalmente – na capacidade de responder à procura crescente que se prevê a longo prazo. Segundo Joe Lowry, analista independente citado pela mesma agência noticiosa, a questão que se coloca é como a indústria será capaz de produzir pelo menos 800 mil toneladas até 2025, tendo em conta a capacidade actual.

Chris Berry, outro analista independente, considera que a popularidade de modelos anunciados por marcas como Volkswagen e Tesla implicarão investimentos massivos na indústria do lítio, na ordem dos milhares de milhões de dólares.

Agora, porém, a reação dos produtores de lítio à quebra do preço vai no sentido inverso, uma vez que passa por reduzir os gastos.

Ler Mais
OUTRAS NOTÍCIAS
Comentários
Loading...

Multipublicações

Human Resources
Quantas faltas justificadas pode dar no trabalho?
Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players